Grupo de pressão

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lobby no Congresso Nacional brasileiro

Grupo de pressão, Lobby ou ainda tráfico de influenza influência é um dos maiores tipos de cânceres que existem na política mundial, sobretudo na política brasileira. É ele quem interfere nos preços de bicicletas, medicamentos, gasolina e tudo quanto é merda que vocẽ vê ter o mesmo preço mínimo desde a criação do mercantilismo, mesmo com a demanda tranquilamente favorável.

Apesar de muitos ditos especialistas políticos colocar o termo como sendo algo benéfico para toda a sociedade, o Lobby é o principal motivo para a criação de algumas medidas e aprovações de leis em favor a algumas grandes organizações em detrimento de seu povo, como ocorre na República Banânica desde que os portugueses foram lá roubar Pau Brasil.

O lobby também é considerado o autor das séries de leis e medidas esdrúxulas tomadas pelos nobres deputados, já que em troca sempre recebem alguma benesse, muitas vezes em forma de dinheiro ou obras particulares, como um num sítio particular ou em algum triplex por ai.

Tipos[editar]

O lobismo é praticado por um lobista das mais diversas formas, podendo se tratar de um lobista criador de grandes massas encefálicas (gado) e que convoca seus criados para reagirem conforme seus interesses, como a mídia, ou também de um simples cidadão que age como um dr. advogado do diabo das grandes corporações, como as empreiteiras, empresas da indústria automotiva ou grandes multinacionais se aproveitando do fácil acesso que tem ao puteiro do poder federal, seja no congresso, parlamento ou nos departamentos ministeriais.

Também existe o lobby social, aquele que não tem nada a ver com as empreiteiras, mas sim aquele pautado por movimentos antisociais ou pela massa conservadora do parlamento. São esses setores da sociedade quem definem a aprovação de mais uma esmola eleitoreira no parlamento ou se o congresso vai ser forçada a derrubar mais uma reforma agrária. Normalmente, a imprensa os definem como sendo a sociedade e não como meros grupos de esquizofrênicos como realmente são.

Sobre a prática no Brasil[editar]

Apesar de ser regulamentado ao redor do mundo (ou pelo menos nos países desenvolvidos), no Brasil o lobby ainda não foi regulamentado. Alguns setores mais conservadores da sociedade temem com isso perder o poder de barganha e o "eu" dos deputados passaria a ser "nós", o que com certeza tiraria toda a graça do negócio.

Ainda assim o lobismo está em alta o ano todo em zonas como a capital internacional da corrupção e também em locais que sediam autarquias, empresas públicas e outros órgãos governamentais e que hajam grande circulação financeira, como no Rio de Janeiro ou em São Paulo. Por fim, não podemos deixar de citar pequenos brejeiros no interior do Brasil que contam apenas com uma mísera indústria que responde pelo emprego de toda a população, como em Abreu e Lima, Anápolis, Betim, Camaçari e Catalão, nesses lugares, a prefeitura é um mero embuste, vigorando mesmo o "veadarismo" (parlamentarismo municipal), onde quem está por trás dos vereadores são as grandes empresas que atuam na região.

Ver também[editar]