Guapó

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Guapó é um afastadíssimo bairro de Goiânia, aquele depois das montanhas e que fica no meio do brejo. Se achou que Abadia de Goiás fica longe é porque nunca tentou ir para Guapó.

História[editar]

O maior buraco de estrada da cidade, conhecida como Lagoa de Guapó, hoje é até ponto turístico.

A corrutela surgiu como uma pequena expansão de Trindade, onde se instalaram indígenas, caipiras, roceiros, putinhas e toda corja que sempre habitou o interior do Brasil. A pequena corrutela logo se destacou na produção de cachacinhas, caninhas e afins, conseguindo assim se sobressair em relação aos povoados vizinhos.

Apareceu pela primeira vez no mapa em 1905 (de acordo com dados arqueológicos) após um rápido desenvolvimento econômico alavancado pela produção das mais potentes caninhas da América Latina. Um ano depois inventaram o boteco carioca, a geladeira e a cerveja brasileira (ruim). O que fez Guapó cair no esquecimento mais uma vez.

Tornou-se oficialmente uma roça dependente de Trindade em 1914, quando o Império Austro-Húngaro declarou guerra contra a Tríplice Entente, não que os dois fatos tenham necessariamente relação entre si, mas vai que sim.

Em 1935, depois que surgiu do nada a capital Goiânia, a capital mundial da caipirada música sertaneja, Guapó foi conquistada e anexada pelos caipiras do mundo inteiro que reuniram-se ali. Tornando-se logo uma periferia de Goiânia, fazendo parte de uma suposta região metropolitana, mas na prática não mesmo.

O nome da cidade não significa nada, ele foi escolhido por representar a grandiosa falta de criatividade inerente à todo e qualquer goiano. Como haviam nos primórdios da aldeia uns 12 roceiros imigrantes da corrutela cidade mineira de Guapé, decidiram trocar o "e" por "o" e ficar por isso mesmo, sem nem pesquisar o que diabos seria um "guapé". Mas esse péssimo nome não deve em nada aos vizinhos igualmente bizarros de Hidrolândia, Leopoldo de Bulhões e Nerópolis.

Economia[editar]

Cidade sem estrutura, esburacada, carente, que alaga a cada chuva e a população acumula lixo em qualquer canto. Não espere nada além de chikungunya vindo desse lugar.

Turismo[editar]

Alguns dos principais símbolos e atrações turísticas da cidade de acordo com a própria prefeitura são:

  • Estádio Valdir Cândido de Queirós - O mais moderno da cidade, o único de toda Região Metropolitana de Goiânia com gramado de 3 metros de altura.
  • Lagoa na entrada da cidade - Um antigo buraco de estrada que evoluiu e se transformou num lago. Hoje é uma tradicional poça criadouro de dengue na única entrada da cidade onde reúnem-se a pseudo-juventude de Guapó.
  • Pesque-Pague na Entrada da Cidade - Um daqueles barracos na entrada da cidade, dizem ser um um pesque-pague.
  • Igreja da praça São Sebastião - É sério que esse povo é religioso? Não parece, só tem capeta.
  • Pecuária - ...Como que pecuária pode ser um ponto turístico? Que mané visita Goiânia e vai conhecer a pecuária de Guapó? Ninguém, claro.
  • Pedra Grande - Cansados de cavar demais e não achar ouro, a população foi jogando as pedras que encontravam na Serrinha. Assim, uma pedra caiu em cima de outra e se transformou em ponto turístico.