Guarapari

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa



Cquote1.png Búzios é minha arte! Cquote2.png
Felipe Smith Seucu

Cquote1.png Pai, já tá chegando? Cquote2.png
Filho de um turista mineiro sobre Guarapari.
Cquote1.png Cala a boca moleque! Cquote2.png
Turista Mineiro sobre citação acima.
Cquote1.png Pai, e agora? Cquote2.png
Mesmo moleque sobre citação acima.
Cquote1.png Á o marrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!! Cquote2.png
Mineiro ao chegar em Guarapari.
Cquote1.png Oia que trem grandão di mais da conta sô Cquote2.png
Outro mineiro ao ver o mar.
Cquote1.png Oia só que lagoão sô. Bão pra criá uns pato. Cquote2.png
Mineiro empreendedor ao ver o mar.

Punta que Guarapariu, a praia dos Mineiros[editar]

Conhecida como Punta que Guarapariu, é a praia oficial dos mineiros, que foi anexada ao Estado dos pão de quejo bão dimais sô. Se você nunca foi a Punta que Guarapariu, vou lhe ensinar como se chega lá. Primeiro, tem de ser mineirinho dos jecas para poder fazer um programa de índio desses. Preferencialmente vindo de Catinga Caratinga, da Capital mundial da punheta, Manhuaçu, Simonésia, Glória Pires's Father City, Cipotânea, Viçosa ou de Belzonti mesmo. Depois, é preciso um saco muito grande, que servirá de tapete voador se seu carango Jumentinho Jejê enguiçar nas estradas da colônia mineira. No geral, é uma cidade boa, mas certifique-se de não estar levando nada de muito valor, pois sacomené... você pode passar as férias onde quiser, mas ainda vai ser na bosta do no Brasil. Não avise pra sogrona, pode creditar em mim, ela vai amar.

Como chegar[editar]

Pegue o Seu Jumento Meio de Locomoção Arrume mais quatro bobos, que é para dividir os gastos da viagem, preferencialmente aquele cunhado que sempre te sacaneou, mais aquele monte de tralhas que se leva não sei por que. Pegue a pior estrada de Minas, cheia de buracos, barbeiros, caminhoneiros loucos, idiotas de fusquinha ou kombi, motoristas drogados, bêbados e por aí vai. Observe o nível de fiscalização da estrada ao passar nos postos policiais, se eles estão jogando baralho, comendo ou praticando o onanismo em si mesmo ou em seus amantes Companheiros. Depois de muitas serras, paradas e comidas típicamente indigestas capixabas, se você não tiver sido assaltado, tido o carro robado e sofrido abuso sexual estupro ou qualquer merda que infie o pau de um bandido no teu cu você entra em Punta que Guarapariu.

A diversão dos cidadãos de Guarapari

Lugares[editar]

Praia do Morro Beatch[editar]

Chique no úrtimo, né? Lá o Zé Nanica, que faz um tropeiro delicioso, atende perto do quiosque 555, se já não o mataram. A praia é um misto de cheiro de galinheiro com indústria química, mas mineiro gosta. Não se assuste com os preços, porque mineiro gosta... Nem com aquela gorda que come muita ostra e pamonha de uma vez e vomita tudo em seu colo, enquanto observa despistadamente aquele fio dental de uma cachorra. Aqui tambem tem o delicioso churasquinho do GIL

Ah, pouco antes de chegar na praia tem uma ponte onde uma pivetada fica pulando. Evite passar lá depois das 10 para não chegar ao seu apartamento pelado!!! Porque te juro que até aquele tigrão pode te roubar...

Produtos capixabas[editar]

A deliciosa moqueca de peixes com frutos do mar que se encontra no Restaurante do Garcia (não diga Gracinha que o dono não gosta) ouvindo a deliciosa música "a guaranha Índia", interpretada pela bicentenária cantora Perla, eleita rainha dos barangos de capixabas. Aproveite para levar o docinho de jaca, mas não exagere nas comidas sob risco de intoxicação alimentar enjoo. O peroá frito, o namorado (não o seu, né, amor?), sardinha, camarão, lula, mariscos e petiscos da culinária japonesa, introduzida (ops!) nos bares capixabas durante a invasão Otaku. Para sua sogra, dê o peixe mo momento: "Baiacu", depois de molestado, incha e expele um possante veneno, que primeiro paralisa a vítima e depois causa infarto, não detectado em necropsias.

Acompanhantes[editar]

Não deixe de levar a sogra, há muitos lugares pitorescos em que ela (ou você) pode adorar ir. Tem o penhasco do convento das capixabas pescadoras cegas e pernetas. Tem o famoso precipício marinho do Porto de Vitória. Também temos o "Chuveiro de Ubu", onde encontram restos de navegantes Vikings. A famosa "Pizsa" capixaba que é uma mistura de molho de tomate vencido e comida estragada altamente radioativa. E finalmente a "Praia das Almas" perto do Porto da Samarco Mineração, onde, segundo consta a lenda local, vários navios desapareceram.

Exposição ao Sol[editar]

Turista mineiro passando as férias em Guarapari.

A primeira medida contra queimaduras nos "sóis capixabas" é comprar um bom óleo bronzeador. Então procure, mas não aceite outro, tem de ser "Tan ou Ton" de 100ML, é fácil e só custa R$ 4,65 à vista ou "Rayto de Sol". É o que há de matéria de bronzeamento. Primeiro você fica vermelho igual a um pimentão maduro, depois um misto de laranja e rosa fosforescente. Após três dias você já está com aquela cor de índio , totalmente integrado à comunidade, um cinza meio roxo, cabelos lisos e beiço grande. Cuidado, não passe nada estranho no local ou deixe que desconhecido bolinem suas costas, você pode não aguentar...

O SOL sinal do apocalipse que destroi o lugar em Janeiro é muito nocivo a sua pele e faz a temperatura subir até incríveis 34 grau Mortais Temperaturas, isso é muito apreciado pelos Trambiqueiros Guaraparienses, pois movimentam o turismo o ano inteiro, isso é se você aguenta a Porra do Vento os Ventinhos que vem no inverno, e o Frio FDP Clima Ameno que faz no inverno.

Aliás Furacões em Miniatura Os Ventinhos que ventam lá o ano inteiro, são muito sentidos pelos capixabas, que molhados naquela Geleira derretida água gelada com o vento saem voando, os mineiros nem tanto, pois são forrados por muito Pão de Queijo e Torresmo, porém eles estranham ver vários "magricelin" Capixabas e várias sombrinha "avuando", também estanham sinti Calor por quetem capa de gordura "Friuzim" ao meio dia e naquele sol de matar.

A volta[editar]

Depois de várias diarréias, vômitos, queimaduras de 2 e 3 graus, empurradas de carros e enchida de tanques a R$3,00 o litro de gasolina com direito a uma ducha, chegou o dia da sua volta. Olhe se seus amigos não estão levando areia preta da praia de Punta que Guarapariu, pois o seu contrabando dá cadeia. Na duvida, ponha um pouco na mala da sogra, se ela sobreviveu à viagem. Procure ver lugares mais baratos para a próxima vez se houver, mas não traga esses inúteis que trouxe com você dessa vez. Esperamos ter lhes ensinado o que há de melhor nas praias capixabas, principalmente em Punta que Guarapariu e que Deus os proteja na viagem de volta. Há uma estatística de que 24% dos mineiros que não sobrevivem à praia são apurados na viagem de volta, principalmente de avião...

Ah! Esqueci de colocar outro tipo de viagem[editar]

O trem Vitória/Belzonte – Começa pelo lindo "visual do trem, pra quem gosta de coisa velha vá com várias bolinhas de naftalina no bolso. O horário é quase britânico, você tem de ir lá à Inglaterra e acertar o relógio antes de pegar o "troço", trem ou "negócio" que pra mineiro tudo é igual... É uma visão do demo, aquele pessoal colocando aquelas malas de couro do século passado dentro do vagão e depois aquele apito infernal de saída, que não acaba (ou começa) nunca.

Depois de 70 latinhas de Água Tônica, a merda sacoleja mais que navio e várias caixinhas de bicarbonato de sódio enfim uma parada e não é de pneu furado, parece que acabou a lenha do trem, todos têm de descer e catar lenha no cerrado é um programão ver as bibas, com aquelas toras de lenha na mão, fazendo piadinhas de mau gosto. O banheiro do trem é muito limpinho, tirando os vômitos, mijadas/cagadas pra fora e alguns papeis usados espalhados pelo chão e aquelas frases rabiscadas na porta, entre uma ou outra pixação, com os velhos dizeres:

Aqui, nesse lugar imundo.
Todo vaidade se acaba.
Todo covarde se mija e
todo valente se caga...

Nesse tristonho lugar
De solidão tão profunda
Onde o mais forte geme
E as veias se estufam
Onde as forças se acabam
De água teu olho inunda
É bosta batendo na água
E água batendo na bunda!