Guarinos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Guarinos é uma merdinha de nada perdida no interior de Goiás. Possui meia-dúzia de habitantes, conforme último censo do IBGE.

História

Cidade de história antiga, fundada em 1729 com o nome Gorino, devido ao seu primeiro habitante João Gorino, um bandeirante que se perdeu por ali enquanto procurava ouro. Acabou que todo mundo que se perdia por ali acabava indo parar em Gorino... A medida que o tempo foi passando devido ao sotaque goiano capaz de distorcer qualquer palavra, a cidade começou a ser chamada de Guarinos.

Durante o seu auge chegou a abrigar 3500 habitantes (escravos), mas depois que a Princesa Isabel mandou exterminar os escravos, a população da cidade caiu para 29 caipiras.

Os habitantes remanescentes de Guarinos decidiram inventar que encontraram uma imagem de Nossa Senhora da Penha numa gordura de panela, atraindo assim metade de Goiás para a cidade para ver o "milagre".

Hoje, Guarinos é só mais uma cidade qualquer de Goiás sem nenhuma perspectiva de futuro, dessas dominada pelo tráfico ilegal de prostituição infantil.

Religiosidade

Aparição de Nossa Senhora da Penha numa gordura de panela em Guarinos.

Cidade humilde e pobre, sem esperanças e com nada a se fazer. Tédio, playboys, prostitutas, velhas fofoqueiras, só acreditando em Deus mesmo para ter esperança de um dia melhor...

Acreditam fielmente na Nossa Senhora da Penha, cuja imagem fora encontrada numa gordura de panela a 150 anos atrás.

Geografia

Cidade cercada por mais de 9000 serras, escondida nas montanhas, o acesso à Guarinos só pode ser feito através de para-quedismo. Entretanto, a geografia local reserva várias cachoeiras para o ecoturista ir se perder no meio daquele mato.

O Rio Cabaçal que corta a cidade inteira, recebeu esse nome por ser na antiguidade o local onde os escravos eram punidos com a perda do cabaço.

Atualmente 80% da água das redondezas está contaminada com mercúrio porque pelo visto o povo faz questão de extrair ouro dos rios da maneira mais porca possível.

Romaria

Festa junina disfarçada de comemoração religiosa, acontece todos os anos no mês de junho à julho, com doze dias de festa, regadas com barracas, bailes, procissões, sexo, aumento populacional, disputas de subida no pau-de-sebo, campeonatos de caça ao porco na lama e torneios de chifre mais grande, tudo em homenagem à Nossa Senhora da Penha, a santa padroeira dos cornos.