Guarujá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Guarujá é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Todos os carros daqui foram fabricados na década de 1990 ou antes.

Sciences de la terre.svg.png
Turista se divertindo na piscina de um moderno hotel do Guarujá.

Cquote1.png Você quis dizer: Acapulco Cquote2.png
Google sobre Guarujá
Cquote1.png Aonde nós vamos? Praia ou Supermercado? Cquote2.png
Farofeiro paulistano perguntando à sua família qual o entretenimento da vez em Guarujá.
Cquote1.png Guarujá é uma droga! Só tem praia suja e pé rachado (caiçara)! Cquote2.png
Farofeiro poucos minutos antes de chegar à Guarujá e se enroscar com algum Guarujaense.
Cquote1.png Eu fui assaltado lá! Cquote2.png
Pelé sobre Guarujá.
Cquote1.png Eu também! Cquote2.png
Qualquer pessoa sobre comentário feito acima.
Cquote1.png Eu também! Cquote2.png
Você sobre os comentários feitos acima.
Cquote1.png Guarujá é um porra, mais ainda é melhor do que todas as cidades da baixada. Cquote2.png


Guarujá Guarujágua
Bandeira.jpg
Bandeira
Pimentabilis codo outrem refrescorum est.
Hino "Hei de torcer, torcer até morrer, pois Guarujá é assim."
Local Bandeira do Brasil Brasillink={{{3}}} São Paulo
Idioma Santistês, Carioquês, Os Mano
Geografia
Clima Insuportávelmente quente e úmido
Locais de referência Praia, boca, praia, boca, praia, praia, boca e praia.
Economia Tráfico de Gatinhos, Lavagem de dinheiro, torragem de Amendoim
Produtos exportados Gatinhos, Coca, Caqui, Jambolão, Cuca, Coco e milho verde (nas praias) e Siri do mangue
Política
Governo
Nuvola apps core.png
Coronelismo-biciletarismo
Atual prefeito
Nuvola apps core.png
ValterMercado<s/>Suman PSB
Vice-prefeito
Nuvola apps core.png
O engenheiro que fez mais obras públicas na história dessa cidade (só que não)WTF
Mídia
Cidadãos ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Menina pastora loucaMensalistas trairas da prefeitura
Esporte símbolo Bocha, Tamboreu
Santo local São Nunca
Mapa de Guarujá: a ilha do dragão foi o local de treinamento do cavaleiro Shiryu.

Guarujá, é uma praia gigante, com um pouco de cidade <s>cagada em volta, que conseguiu, não se sabe como, pelos idos de 1207 a.C., se separar do despótico Reino de Santos graças à destruição do Anel de Sauron por Frodo. Estima-se hoje que a população de Guarujá varie entre 4 ou 5 pessoas nos meses entre março a novembro. Contudo, nos feriados e entre os meses de dezembro a fevereiro, sua população e eleva para aproximadamente 7.281.015,1578 (quase 100% desses vêm de São Paulo) concentrada em aproximadamente de 25 km de praia.

Dos cinco moradores de Guarujá, quatro trabalham em Santos e um tem uma barraquinha de quinquilharias roubadas na Feira do Rolo em Vicente de Carvalho. Os demais seres que se encontram em Guarujá são advindos de outros planetas dimensões seu cu locais vizinhos ao município.

Fronteiriço ao sul-do-norte com Santos e com a Ilha de Lost, se chega em Guarujá por barquinhas e balsas se o seu avião cair sobre a cidade ou se os seus balões, nos quais você inteligentemente se amarrou, murcharem e o fizerem pousar na ilha.

Guarujá teve seu ápice em 1418 d.C., quando sua população média (sim média, em Guarujá não existe nem cacetinho nem pão francês) chegou a incríveis 12 habitantes, com uma marca considerável de 21.128.975,12π.k + x0.ta = b.b turistas de temporada oriundos de São Paulo.

Atualmente, todos os farofeiros paulistanos esnobam dizendo que Guarujá é uma grande porcaria, mas nem por isto deixam de dar uma decida de sua hiper-mega-super-master cidade para encher o saco dos moradores do município e causar um pouco de congestionamento.

Metade de Guarujá pertencia ao Maluf. A outra metade, a um tal de Souza, também conhecido como Cabeção. Maluf teve que vender suas terras em Guarujá por conta de injustas perseguições políticas que sofreu do Ministério Público. Muitos lugares ainda guardam o nome deste ser: Morro do Maluf, Terreno do Maluf, etc.

Política[editar]

Farid Madi recebendo o alvará da construção de sua ciclovia de R$ 3,4 bilhões no bairro de Santa Rosa

Guarujá possuí uma política baseada no coronelismo-bicicletariano: construa ciclovias para a população e ela, satisfeita, te dará votos em troca. O ex-prefeito-colonial da cidade é um libanês desgraçado chamado Farid Madi. Conseguiu ganhar as eleições devido a uma história muito mal contada de que o antigo prefeito estava desviando verbas para ajudar na campanha eleitoral (como se ele não tivesse feito o mesmo).

A atual prefeita, Prof. Antonieta-ta assumiu a cidade no ano de 2009 e ainda não dá pra zuar com ela, tirando o trocadilho com o nome.

Claro, até aí nada demais (estranho seria se algum não fizesse). O problema, e o motivo da revolta geral, é que o dinheiro teria vindo das verbas para a construção de ciclovias passarelas para bicicleteiros que trabalham em Santos . Esquecendo de mencionar, a parte em que a querida Antonieta, com aquela cara de santa, acha que engana todo mundo fazendo o papel de prefeita faço tudo no Guarujá, assim sendo o Guarujá uma merda e sem nenhuma capacidade de ser uma cidade turística. Parabéns Antonieta, seu trabalho completo e fazendo o Guarujá seguir adiante, esta obtendo muito resultado, na casa do caralho.

Se há uma coisa que os guarujaenses cativam mais que a própria vida são suas bicicletas, pois com elas (e APENAS com elas) se dá a locomoção de pessoas pela cidade, principalmente as que precisam trabalhar em Santos com seus salários de fome, já que a pé você só conseguirá ir do nada ao lugar nenhum.

Cquote1.png Agora eu estou pronto para ir ao Guarujá! Cquote2.png
José Serra, Governador de São Paulo, sobre violência urbana em Guarujá

Foram criadas muitas técnicas de manipulação do povo, com as famosas Audiências Públicas (que só ocorrem na periferia rica da cidade) e com projetos sociais "revolucionários", tais como a "inovadora" distribuição gratuita do Diário Oficial na entrada da Barquinha Guarujá-Santos.

Porém a política na prática ainda é baseada no Coronelismo do interior das cidades do norte. Ou seja, democracia no Guarujá tem o sinônimo de bala na cabeça. Então, eu que sou esperto paro por aqui de falar em política da cidade. E se fosse você também sairia correndo antes que mandem te matar por saber demais.

Outro detalhe importante é a probidade dos Prefeitos de Guarujá: o ante-penúltimo, Rui Gonzales, foi preso por assalto a banco (isto é sério); o penúltimo, Maurici Mariano, conseguiu desviar tanto dinheiro que quebrou o diabólico hospital Santo Amaro (quem precisa de Hospital mesmo...); o atual prefeito, Farid Madi, (Toninho Malvadeza de Guarujá), mata quem se opõe ao seu regime totalitarista.

Hoje, Rui Gonzales desfruta de liberdade provisória e Maurici Mariano está jogando truco valendo o toba com ACM, no inferno. Morreu jogando

Com as eleições de 2008, Farid acabou sendo destronado por Marta Suplicy Professora Antonieta. Farid teve um chilique em casa e destruiu toda sua mobília, após investir alguns milhões de dinheiro público em sua campanha (isto também é verdade). Ai botou um dinheirinho na mala da família e despachou para o Libano.

A família Maluf era(?) dona de metade de Guarujá.

A Desciclopédia parabeniza a prefeita eleita de Guarujá com o seguinte verso:

Estávamos na praia,
com a Professora Antonieta-ta.
Veio uma onda,
e molhou sua...
canela-la. (a maré estava baixa)

Fatos Curiosos[editar]

  • Somente um morador de Guarujá pode constatar isto. Você sabe como um Guarujaense faz para saber quando é o final-de-semana ou quando está na temporada? Simples. Ele anda pela cidade. Se houver mutirões de peões de obra tentando remendar a cidade, é porque chegou o fim-de-semana ou as férias. Fora disto, não existe qualquer obra na cidade.
  • O Paço de Guarujá é de cor laranja e azul. Dizem que a cor de circo é para combinar com os palhaços que ficam lá dentro, contudo fontes atuais começam a desconfiar que os palhaços estão do lado de fora do Paço.

Meios de Transporte[editar]

Ônibus (guarujaês: ombus’’)[editar]

Um meio seguro de se chegar em Guarujá.

Guarujá é conhecido pela facilidade nos transportes que te levam de lugar nenhum à casa do caralho, demorando uma eternidade para tanto.

  • Você está entediado em Guarujá? Não aguenta mais torrar na praia? Solução: vá andar de coletivo. Pegue o T2 55 24 42 69 666 ah sei lá na praia de Perequê e desça no terminal de * Vicente de Carvalho, uma hora e meia depois.

Outro detalhe do transporte coletivo de Guarujá é o conforto em que seus passageiros viajam. Se você é mulher, cuidado: você pode engravidar no ônibus, de tão cheio que ele vai. Se você é homem, bem, deixa para lá...

Não se pode esquecer do bem estar dentro dos ônibus. Se ainda é cedo, em uma temperatura aproximada de 22º Graus Celsius, o Guarujaense está agasalhado até não conseguir mais fechar seus casacos. E claro, o ônibus vai inteiramente fechado com todo mundo dentro dele tossindo, espirrando, fedendo a perfume barato, naftalina ou suor, além de peidando como uns bois com diarréia. Uma experiência única.

Com relação aos ônibus, finalmente, não se pode deixar de falar das campanhas de arrecadação: para alimentar famílias(dos vereadores), para ajudar aos ex-consumidores de drogas, para ajudar no combate ao alcoolismo, para ajudar aos dependentes de gatinhos, para proteger as florestas, para derrubar as florestas, para matar as baleias, para salvar as baleias, e por aí vai...

Nunca se esqueça de andar SEMPRE com MP3 no ouvido, mesmo com o risco de ser roubado. Caso contrário, você será obrigado a ouvir aqueles funkeiros de merda tocando, em seus celulares roubados ou comprados na Casas Bahia (em 358 vezes), aqueles funks, pagodes ou sertanejos da melhor (?) qualidade. Além disto, o MP3 poupará você de ouvir os baianos e baianas berranndo conversando entre si sobre assuntos de sumo interesse, tais como, novela das 6, das 7 e das 8, BBB, Fala que eu te escuto, Os mutantes, entre outros.

Bicicleta (guarujaês: baique ou bissicreta)[editar]

Bicicleta modelo Barra-forte, veículo mais vendido e utilizado do Guarujá

Este é o meio de transporte mais popular de Guarujá. Apesar de cinco habitantes no município, existem, pelo menos, 798.245448.42 bicicletas para cada 0,35 habitantes. Em função disto é que se apóia a política do coronelismo-biciletarismo acima citada.

O Guarujaense de bicicleta acha tem certeza que a rua é inteiramente sua. É normal se ver bicicletas andando lado a lado ocupando até uma faixa e meia de uma avenida de duas faixas sem nenhuma vergonha.

Se você atropelar um Guarujaense de bicicleta, é melhor correr: linchamento na certa!

Carros e Motos[editar]

São as motos que praticamente dominam dentre os veículos terrestres. Tudo o que as bicicletas fazem, as motos fazem pior.

Quanto aos automóveis, já se viu um ou dois destes fora da temporada.

Cuidado ao andar em Guarujá: existem milhares de radares espalhados pela cidade. Multa-se até pedestre que estiver correndo. Venha ao Guarujá e ganhe uma multa!

Catraia (guarujaês: catraia mesmo)[editar]

Um exemplo de uma Catraia Pirata, entrando no esgoto de Santos.

Guarujá possui alguns meios de transporte com sua vizinha Santos . Catraia é um barquinho fudido e aberto que literalmente atravessa o esgoto de Santos , saindo da bacia do Mercado de Santos , até Vicente de Carvalho, ou Itapema.

A viagem lembra Veneza, talvez com um pouco menos de merda flutuando na água. Ao andar de catraia, não deixe de utilizar roupas especiais contra radiação para proteger-se da água fosforecente vinda do choque da catraia com as ondas. A água da baia de Santos recebe todo o tipo de dejetos radioativos das indústrias de Cubatão, tornando um banho de suas águas muito nocivo à saúde de seu organismo e principalmente de suas roupas.

Nas horas vagas, os catraieiros sobem a bandeira pirata e saqueiam os navios atracados no porto (isto também é verdade).

Barca de Itapema[editar]

Barquinha de Guarujá desviando de detritos na Baia de Santos.

Apesar de percorrer quase a mesma distância da catraia, cuja viagem demora aproximadamente 10 minutos, a viagem nestas barcas podem demorar até 40 minutos. Em Guarujá, ela sai do mesmo terminal das catraias, chegando em Santos na Alfândega, onde todos os desembarcados tem sua documentação vistoriada e os bolsos, revistados.

Barquinha[editar]

Liga a Ponta da Praia de Santos à Guarujá. Não fede nem cheira.

Balsa[editar]

Típico tiozão zé-ruela (provavelmente paulistano) tirando uma foto na Balsa Santos Guarujá. Ao Fundo, o terminal de ônibus espacial de Guarujá e shopping Ferry Boat Plaza.

Liga a Ponta da Praia de Santos à Guarujá. Se a baia de Santos não estiver envolta em nevoeiro provocado pelos dejetos tóxicos do mar, a espera de sua travessia pode demorar até 3 horas. Tudo isto para uma vigem de 10 minutos em que os paulistanos saem dos seus carros para tirar fotografia do tipo: Hei Mãe, oia eu no marrr. Tem coisa mais brega? E prepare-se para desembolsar R$ 10,60 pela travessia.

Dizem existir uma balsa que liga Guarujá à Bertioga, uma cidade acreana a cuja existência não houve comprovação.

Porto de Guarujá[editar]

Guarujá ao mesmo tempo tem e não tem porto, pois é oficialmente extensão do Porto de Santos.

Base Aérea de Santos (em Guarujá)[editar]

Muito antes da criação do Universo, prometeram a transformação da BAST - Base Aérea de Santos, no aeroporto de Guarujá.

Provavelmente, o Monotrilho de Levi Fidelix deverá ficar pronto antes do tal aeroporto.

Sobre a Beleza e Estilo[editar]

No Guarujá existem diversar espécies de habitantes, cada um com sua determinada característica. Na famosa RIO DE JANEIRO (sim, é uma rua com dois bares que faz o maior sucesso entre jovens menores de 17 anos, que ficam bêbados e drogados... até caem no canal)você encontra:

Os COLÍRIOS Só top Usam sempre a mesma roupa. Se um está de calça branca, todos estão.. é facil identificar, só olhar pro cabelo. (Isso é verdade)

Os BOMBADOS Homens fortes no trabalho antes da ousadia São todos iguais tbm, parecem gorilas gigantes que ficam parados esperando alguma cocota gostosinha passar pra pegar pelo braço, jogar na parede e chamar de lagartixa. Vivem sem camisa, com corrente de prata e com bermuda mostrando sua cueca da Torra-Torra.(Isso é verdade)

Os NÃO BOMBADOS Existe também a gangzinha do juvenis em sua grande maioria crianças, ops Pré-adolescentes, que parecem a Lacraia (in memorian), e exibem seus 8 centímetros de bíceps em babys-looks e regatinhas. Isso é verdade)

Os MACONHEIROS /_ Andam arrastando seu violões pela praia levando suas ervas, não ligam pra ninguém e só querem fazer um som pra Jáh contaminando a área toda com aquele cheiro.

As COCOTINHAS Cocotinhas assim, você só encontra no Guarujá! Geralmente são novinhas atrás de colirios ou algum muleke piranha que a satisfaça. Normalmente estão de shorts (não importa o frio) rasteirinha e corselets. E com muita maquiagem barata comprada a cinquenta centavos, de preferencia usando sombras nas cores azul, laranja, e verde. Com MUITO brilho! Não esquecendo do batom vermelho combinando com o detalhe da blusa de lantejoulas (não é paête) curta que mostra o piercing pendurado no IMBIGU. Quanto menos roupa melhor,pois, todos sabemos que elas não gostam de perder muito tempo, afinal o último 37 passa meia-noite.

Os FUNKEIROS [[Imagem:]] Sempre no estilo Sim, eles infectam lá também! Todas as espécies citadas a cima fazem (ou fingem que fazem) parte do grande baile funk formado pelos carros na rua. Todos resolvem dançar juntos, formando uma grande ponte de contaminação ----do HIV. Fora que qualquer carro que passar eles começam a balançar, parecendo cães raivosos. As pessoas que já passaram por essa experiências relatam que não tem como você fugir ou se defender, quando percebe já está dançando créu e jurando amor eterno ao Catra.. resumindo, é uma grande ----putaria. (Isso é verdade)

Os EMOS AmIgUxO FaZeNuH BiKiNhU A parte boa dos emos, é que eles ficam isolados numa praça localizada perto da RIO, ----beijando pessoas do mesmo sexo, ouvindo Fresno/Glória/Restart e chorando.Você não os vê com frequencia, costumam ficar em locais escuros e vestidos de preto. Mas eles existem no Guarujá, acredite! (Isso é verdade) Cuidado ao atravessar uma rua mal iluminada, você pode se assustar. O mais dificil é identificar o sexo da criatura. "Se aquilo for mulher, é feia; Se for homem, também.. então não tem saída" não crie expectativas, a não ser que você queira um casual =]

- E dificil encontrar caiçara, pois a grande maioria está concentrado em outras tarefas como assalto, tráfico ou simplesmente sendo flanelinhas nas avenidas e """guardando""" carros de turistas (sabe né, haha, guardar..)


Hábitos da população[editar]

Um Guarujaense fazendo fogo para queimar a rosca alguma coisa.
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...


Por ser uma cidade ilhada (dãaaa), os nativos de Guarujá colecionam alguns hábitos peculiares aos demais seres que partilham das redondezas. Sim, hábitos e costumes muito maiores do que chamar o pão francês (ou cacetinho, como os gaúchos preferem) de média ou comprar o tradicional pão de cará:

  • Porque estão à deriva, no meio do nada, com o declínio da cidade, os Guarujaenses cultivam o hábito de por fogo em tudo o que não presta. Cientistas Andorrenhos atribuem tal fato à recém descoberta do fogo pelos Guarujaenses. Onde há lixo acumulado, lá está um Guarujaense pondo fogo.
  • Se um Guarujaense não tem o que fazer, ele vai abrir uma loja de colchões ou uma loja de decoração. Existe uma concentração de 11 lojas desta natureza para cada habitante.
  • Guarujá tem uma espécie de Shopping, com duas lojas e meia e um McDonald's, que satisfaz os pobres coitados Guarujaenses que compram seus tênis e roupas em 72 vezes naquelas lojas.
  • Os preços de todos os produtos em Guarujá ( os poucos que chegam) são astronômicos, dado o frete para se atravessar o oceano.
  • Se a temperatura é menor ou igual a 25º graus Celsius, o Guarujaense começa a definhar de frio.
  • Você sabia que 108% dos habitantes de Guarujá são evangélicos?
  • Você sabia que 289% dos habitantes de Guarujá são Macumbeiros?
  • Em Guarujá, tal qual no Reino de Santos , o termo baiano é extremamente pejorativo, se referindo a qualquer criatura nascida acima do estado do Rio de Janeiro.

Hábito dos Turistas[editar]

Observar os turistas em Guarujá é um espetáculo curioso.

  • Durante a temporada, hordas de filhinhos-de-papai invadem o Guarujá, dirigindos seus possantes carrões adquiridos em 72 vezes sem entrada. Veraneiam em apartamentos que têm séculos de condomínio e IPTU em atraso, pois há muito a grana da família acabou. Alimentam-se basicamente de Miojo e Guaraná Bacana, mas ainda assim insistem em bancar os fodões. Arrumam uma briga a cada 5 minutos, mas só quando estão em bando.
  • Os mais ricos chegam em seus carros de luxo, enquanto o resto espreme a família toda mais um butijão de gás e 2 isopores de cerveja dentro do Corcel 1978.
  • Os homens, gordos e brancos, vestindo uma sunguinha berinjela-mamãe-acho-que-virei-gay, saem desfilando por aí com seu óculos escuro e pochete. A utilização da pochete é opcional: muitos turistas enfiam celular, chaves e carteira dentro da sunga.
  • As mulheres, mais gordas e pelanquentas que a tua mãe, vestindo um biquini com menos tecido do que uma gravata, além de enroladas em uma canga colorida, óculos escuros e chapeu de palha. Uma visão do inferno.
  • Os adolescentes e os meninos, branquelos igualmente, ficam jogados por aí bebendo, bebendo, bebendo, bebendo, fumando, cheirando com seus bermudões de surfista e pinta de reggeiro.
  • As adolescentes e as meninas, com aquela ridícula cor alaranjada de bronzamento artificial, utilizam álcool e drogas de forma mais controlada. Elas se aproveitam dos moradores de Guarujá, que comem qualquer coisa que se mexa, além de seus conterrâneos, bêbados e drogados, para dar a periquita até não aguentar mais.
  • Todos andam em todos os lugares de sunga/bikini e chinelo havaiana. Os turistas não trazem outra roupa.
  • A primeira coisa que o turista faz quando chega é ir ao supermercado. É o ponto de encontro de todos os paulistanos antes e depois da praia.
Que bonito! Sair do caos de São Paulo para chegar no caos da praia lotada.
  • Os turistas ricos ficam em casa de praia alugadas ou hoteis, pagando preços absurdos.
  • Os turistas pobres ficam na casa de amigos ou alugam uma casa de praia para rachar o aluguél com 712 pessoas para um local de 5 metros quadrados.
  • Os turistas se divertem em piscinas que mais parecem tanquinhos, fazendo competições idiotas, como volei sem rede, pólo, e jogar objetos inusitados (cadeiras, mesas, panelas, etc) dentro das piscinas. Interessante ver que após um dia na água, as piscinas desses turistas, de cristalinas, passam a turvas e verdes.
  • Música é o combustível dos turistas. Os piores tipos musicais, tais como funk, técnico, pagode, sertanejo, emo, enfim, todas ouvidas no último volume. Os turistas não desconfiam que existem - poucos, é verdade, mas existem - moradores em Guarujá.
  • Os turistas adoram chamar os caiçaras de pé rachado. Mas no fundo, há uma inveja por parte deles porque não moram em uma cidade em que se consegue ver o horizonte, diferente de, por exemplo, São Paulo, que tem seu horizonte encoberto por uma camada de neblina toxica-mutante.

Geografia e Demografia[editar]

Mapa de Guarujá com legenda: Em Azul, Parte Rica; em Vermelho, Parte Pobre; em Verde, Vicente de Carvalho.

Cquote1.png Demografia? Ai! Isso é coisa do capeta! Cquote2.png
Evangélico sobre título acima
Guarujá se divide em 3 partes, a Parte Rica, a Parte Pobre e Vicente de Carvalho (Também conhecido como Itapema ou Cornolândia). Você pode chegar a qualquer uma das partes através da Balsa, da Catraia e da Barquinha. Com exceção da Parte Rica que fica em um local onde se é preciso percorrer uma perigosa trilha a pé, pode-se chegar a qualquer parte da cidade com as embarcações.

Parte Rica[editar]

Corresponde a faixa que engloba os bairros de: Guaiúba, Pitangueiras e Astúrias (antigamente a Enseada também fazia parte desse seleto grupo, mas os favelados já tomaram conta de tudo). Algumas outras regiões como Praia do Tombo também querem fazer parte desta seleta parcela de Guarujá, mas como lá só vai surfista e maconheiro não podem integrar a nobreza imperial da colônia. Estas praias são povoadas por fantasmas de paulistas que morreram há muito tempo e que voltam para alegrar o lugar em todo o verão. É marcada por mansões imensas e abandonadas, que possuem câmeras para que habitantes da Parte Pobre e de Vicente de Carvalho não as invadam. Também possui o Casa Grande Hotel, um imenso hotel mal assombrado (já que até Santos Dumont morreu ali) que fica na orla da praia da Enseada, dizem que quem sobrevive a uma noite no hotel é um herói: aliás, Hollywood filmou a história deste hotel nos filmes O Iluminado e o mais recente 1408.

Para chegar à Parte Rica atravesse a Balsa no Ferry Boat de Santos, e então corra até o fim da Av. Adhemar de Barros. Quando avistar um viaduto estará salvo dos assaltantes!

Parte Pobre[editar]

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...em Guarujá, tal qual no Reino de Santos , o termo baiano é extremamente pejorativo, se referindo a qualquer criatura nascida acima do estado do Rio de Janeiro.
Praia de farofeiro e caboclo , ops perdão , os caboclos são pessoas dignas diferentes dessa porcaria de cidade.

Corresponde a faixa que engloba as demais partes entre a Marginal da Piaçaguera, a Avenida Santos Dumont e o Perequê, onde se é possível pegar a Balsa para Bertioga. Na parte pobre os habitantes não são fantasmas, mas sim baianos que foram expulsos pela maioria classista de Santos e agora se refugiam em casebres pequenos localizados em ruas de terra e avenidas com paralelepípedos hexagonais.

A Parte Pobre tem como um grande centro comercial a Avenida Adhemar de Barros, que liga a Balsa para Santos até a Parte Rica. O comércio consiste em botecos e pontos de tráfico, prostituição e assalto. A Parte Pobre não tem nada, é chata e você corre grande perigo se ficar zanzando por lá. Nos dias de chuva essa Avenida também pode ser bem divertida para quem procura esportes radicais como o banana boat. Caso queira chegar até lá é só aportar pelo Ferry Boat de Santos ou no de Bertioga.

* Vicente de Carvalho[editar]

Vicente de Carvalho (também conhecida como Cornolândia) é na verdade um primo perdido do Acre. É aonde ficam os Baianos, Buius e Macacos de Guarujá que declararam guerra política ao Reino de Santos e são renegados inclusive pelos habitantes de Guarujá. Seus habitantes são peões da Cosipa, cornos, funkeiros, pagodeiros e estivadores que tentam constituir uma nova ordem mundial com a dominação do Mundo pela Igreja Universal. Predomina em Vicente de Carvalho os bailes funks, pagodadas, churrasco com sertanejo e outras desgraças que existem por ai.

A Guerra[editar]

Há uma rixa entre o centro de Guarujá e o distrito de Vicente de Carvalho, que fica depois da ponte. Os Guarujaenses do centro, que vão no Itapema fazer compras disfarçados, não admitem que Vicente de Carvalho seja parte do mesmo município que eles. Já os moradores de Vicente de Carvalho, dizem, entre si, com orgulho, que moram em Itapema Mas quando fornecem seu endereço, nunca dizem Vicente de Carvalho, mas sim, Guarujá.

Unknown Zone[editar]

Existe ainda uma pequena área localizada na Praia de Pernambuco, próximo ao barraquinho do Sr Cenoura. Devido a forte segurança que cerca o local, poucas pessoas tem acesso e as que entram, quando voltam, não lembram de mais nada do mundo exterior. Dizem as más línguas que somente os frequentadores da parte rica tem acesso a este local e que o mesmo possui escondidos em seu interior grandes segredos perdidos da humanidade tais como os artistas que criaram as estátuas da Ilha de Páscoa, as máquinas que montaram a Stonehenge, a Área 51 e indícios de uma suposta passagem interdimensional para o Acre.

Fauna[editar]

membro da fauna em pose típica

A orla de Guarujá é rica em vida marinha, como o famoso peixe-toroço, sendo que a qualquer hora do dia podem ser observadas as seguintes espécies: vereadores ladrões, maconheiros, catadores de latinha, pedintes, mendigos, vagabundos, bêbados, indigentes, baianos metidos a paulista, vendedores de castanha, amendoim, milho, queijo-coalho, pamonha, espetinho de gato, jornal, tatuagem de henna, bijuterias neo-hippies e toda a sorte de tranqueiras, inutilidades e bugigangas. Durante o verão, feriados prolongados e dias santos também há a presença maciça de trombadinhas, trombadões, assaltantes, ladrões, traficantes, piolhos e desocupados em geral, que durante o período diurno migram da Parte Pobre e de Vicente de Carvalho com o intuito de proverem suas descomunais proles dos restos das zelites da Pitangueiras.

Dados Geo-Políticos[editar]

O idioma oficial é o Carioquês adaptado, imposto pela metrópole santista. A moeda é o Mango, uma variação do Real, a menor unidade é 5 centavos e a maior são 10 Mango, meios de transporte são além das balsas, os micro-ônibus completamente sujos de areia da praia, uma tradição local para alimentar a lenda de que os mortos andam de ônibus e carregam consigo a areia da praia.

A evolução do "Carioquês", puxado do "santixta apaixonado" inclui ainda a completa deformação dos plurais nas frases, o uso adverbial da letra "í" como ícone ("nóIs Vai", "mais voceis não me avisaram", etc), bem como adição de termos essencialmente pobres ao vocábulo português tradicional como "conjuge" ou "esposo" em lugar de simplesmente marido, "tá (ou tô) gestante" em substituição de grávida. Ainda, os seres caiçaras da terra odeiam a letra "R". Em nomes próprios Aguarujazados, sucumbe-se o "R" no meio ou no fim dos nomes (Marcelo vira Macelo, Vitor vira Vito, Orlando vira Olando e etc). O "R" some também na conjunção dedicatória, por exemplo o "para" ou coloquialmente "pra", vira pá. Então é um tal de "deixa eu levo PÁ tú", "eu ligo PÁ tu" e etc.

O povo de Guarujá é multi-étnico, aqui encontramos: Fantasmas, Turistas, Surfistas, Pescadores, Baianos, Baianos Xiitas e Funkeiros, sua distribuição pelo território da ilha já foi previamente citada

Economia[editar]

A Distribuição de Renda é simples: quem é rico não mora lá, mas tem casa lá; quem é pobre conformado mora na Parte Pobre; quem é pobre, corno e rebelde mora em Vicente de Carvalho.

Guarujá não tem loja alguma. Pra tudo o que você pode precisar você terá que ir à megalópole de Santos para comprar. Se, por milagre de Inri Cristo, existir o produto almejado em Guarujá, este será vendido por um preço inacreditavelmente alto.

O verdadeiro termômetro da economia do povo local, revela-se ao gigantesco número de trabalhadores (99,99% peão do porto) que invadem, todas as manhãs, as balsas para Santos.

Moeda oficial da cidade: MANGO,em Guarujá é 1 mango, 2 mangos, 3 mangos..., turista é facilmente identificado ao trazer pra cidade uma moeda estrangeira pra cidade como o Real por exemplo.

As atividades econômicas de Guarujá se dividem por sexo:

Homem - Cortador de Côco, Trabalhador de barraca de praia, Pescador, Assaltante, Traficante, Vagabundo, peão da usiminas PELEGO, Corretor, Aposentados, Nóias, Zeladores e bêbados (com uma garrafa de vodka abastecida com pinga pitú).

Mulher - Doméstica, Muambeira, Prostituta e Evangélica-Mãe de Santo.

Cada Colônias de Santos possui uma atividade econômica própria que as diferencia da outra das quais:

Santos: Recolher tudo o que for produzido por suas colônias ( como você acha que a cidade é o polo da região?) e elas que vão para a puta q te pariu. São Vicente: Turismo gay, jogar os bandidos da região no presídio e viver de fama de cidade mais antiga do Brasil. Cubatão: Contribuir para o aquecimento Global e criações de metalúrgicas. Guarujá: Praias, violência e forte para autoridades maiores Praia Grande: Praias, Violência e forte para autoridades maiores e capital estadual da Macumba Bertioga:praias sem violência mas chove todo dia e a cidade é fantasma.Ou seja vive da chuva. Itanhaém: Vive da frustração de ser considerada a 2ª cidade mais antiga do brasil e praias com esgoto com exceção da do centro que é menos pior. Peruíbe: Aldeias indígenas e praias poluídas. Mongaguá:Artesanatos e praias poluídas. Vicente de carvalho (Distrito)Comércios.

Como percebe-se Guarujá e Praia Grande são quase duas cidades Gêmeas no quesito economia tirando o fato de uma ser macumbeira.

Entretenimento[editar]

PRAIA: em Guarujá, só tem praia. Nada mais do que praia. Tudo mais o que disserem, é mentira.

BALADA: Se desconhece a existência. Há rumores, no entanto, que há uma tal de Lucky Scope, a única possível sobrevivente casa noturna de Guarujá, com o banimento do Avelinos Perequê e da Marina Santa Aldeia. Nos feriados, carnaval e no período de férias de verão abre a Target, no hotel Delfin da praia da enseada, onde os mauricinhos paulistanos e cocotas menores de 16 anos vão de divertir, pegar pagar um pau de malandros beberrões e fumantes de fim de semana.

Gatinho, fugindo desesperado de Guarujá, com medo de ser cheirado por algum turista ensandecido.

No sombrio Casa Grande Hotel, abre o Café de la Musique onde os velhos fantasmas esperam seus filhinhos saírem da Target e levá-los pra casa antes que sejam assaltados ou cobertos de porrada por algum habitante local.

No Morro do Sorocotuba abre a Vive la Vie onde as ratinhas-drogadinhas-de-praia exibem seu corpo com roupas curtas, sempre entrando vip e os paulistas metidos a surfistas desembolsam no mínimo 60 reais (ou mangos) para ver se descola alguma das ratinhas e leva pra casa (ou não). É um investimento de alto risco, pois geralmente as ratas são esnobes e metidas, condicionando seus favores sexuais em troca de maconha, ecstasy, cocaína, fluido de isqueiro, gatinhos ou qualquer outro psicotrópico. Sem falar nos 123 degraus (sem brincadeira) que se tem que enfrentar pra chegar naquela porra de balada.

Existe também a Rua Rio de Janeiro que é ponto de encontro dos paulistas menos afortunados e ponto de assalto dos habitantes da parte pobre da colônia, todos motorizados com suas bicicletas e mobiletes detonadas e infectadas com tétano para a fuga.

SHOPPING: O Shopping La Plage é um arremedo de shopping, com duas lojas e meia, além, é claro, de um McDonald's. Somente há alguns meses, lá instalaram um cinema, cuja a tela é menor do que uma televisão de 14 polegadas. Contudo, os Guarujaenses ficaram satisfeitos, já que desconheciam aquela tecnologia de "imagens se movendo". Reza a lenda que o La Plage é assombrado pelo fantasma de Santos-Dumont.

Em Vicente de Carvalho, há um shopping peor ainda, o Cris Shopping, que conta com uma loja e sem McDonald's. Alias o McDonald,s preferiu abrir um restaurante do lado de fora.

A Praia da Enseada conta com um shopping tão ruim como aquele de Vicente de Carvalho. Possui uma sucursal da MOfficer, local em que as patricinhas e os boys pagam, com facilidade, R$200,00 por uma calça jeans falsificada.

O terminal de ônibus e barcas de Guarujá é, também, um shopping, o Ferry Boat Plaza. Tem meia loja que vende quinquilharias do tipo camisetas com os dizeres "Estive em Guarujá e lembrei de você. Verão de 1982.". Há um cinema um pouco melhor lá, que o Cinemark recusou franquear.

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...A primeira coisa que o turista faz quando chega em Guarujá é ir ao supermercado. É o ponto de encontro de todos os paulistanos antes e depois da praia.

SUPERMERCADOS: Pão de Açucar, onde você encontra uma mega fila imóvel para comprar um humilde sanduíche e aguentar pessoas como gordos turistas que chegam roçando o umbigo cheio de areia na fila e mães impacientes batendo nos filhos Compre Bem e Carrefour são os points de encontro dos turistas, antes de irem torrar nas praias. É normal, ao se andar por estes supermercados, você se deparar com uma família de farofeiros vestindo roupa de praia e espalhando areia no chão, com a maior naturalidade.

Praça 14 Bis: Centro do de Vicente de Carvalho, lá se aglomeram todos os mano, maloqueiros|Maconheiros, pseudo-playboys, basicamente para fazer nada ou comer um X-podrão na praça de alimentação que fica ao lado do Muambódromo.

Ensino[editar]

Os colégios são umas porcarias malditas e decadentes: Colégio Don Domênico, Colégio Ômega, Colégio Objetivo, Colégio Adélia, Colégio Yeda Maria, Colégio Raquel de Castro entre outras bostas.

Guarujá também é famoso (???) por suas faculdades inúteis.Colégio Adélia, com um ensino que prima pela esselênssia ecelência excelência.

Há, ainda, Faculdade Don Domênico, cujos cursos, de tão ruíns, tem aulas em dias alternados da semana. Só estuda lá quem quer trabalhar dando aula nas escolas municipais da cidade e ganhar 10 mangos por mês. Nessa só tem Administração.

As faculdades acabam sendo supérfluas porque a maioria da população, além de não poder pagar as mensalidades, para de estudar após o MOBRAL ou após a conclusão do ensino fundamental e médio, em 30 dias, pelo Instituto Universal Brasileiro.

Há também o rumor de uma Faculdade do Guarujá, que na verdade é a bosta da UNIESP que mudou de nome e de prédio de tanta vergonha de onde está localizada. Não há nada lá além de Administração e Direito, onde em média, dos 30 alunos que entram no primeiro semestre, 25 desistem por não terem dinheiro ou verem que a faculdade é uma grande bosta. O prédio parece o PAM da rodoviária e antes era um galpão de aço, onde o pessoal da faculdade colocou umas madeiras pra fazer as paredes e já chamaram de faculdade, mas ao menos saíram do prédio antigo que estava a um passo de cair de tão inclinado que já está.

Tem a UNAERP também, única salvação da cidade, mas ninguém estuda lá porque os moradores não tem dinheiro e gastam tanto pra chegar até lá que é melhor fazerem faculdade em Santos mesmo. Reza a lenda que a UNAERP terá o curso de Medicina, mas foi constatado que isso foi apenas um rumor criado pela prefeita da cidade para tentar ficar melhor na mídia, mas todos já perceberam a mentira. Lá também só tem Administração e Direito, mas consegue ser melhor que as outras porque tem um prédio bonito.

Veja também[editar]

Links Externos[editar]

  • Faça um passeio nos trenzinhos fumacentos da praia de Pitangueiras ou virtual por Guarujá, clicando aqui.