Guerra do Paraguai

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tempos-modernos01.jpg Este artigo é relacionado à história.

Se você vandalizar, Nikita Khrushchov vai te beijar!

Guerra do Paraguai
de 27 de dezembro de 1864 a 8 de abril de 1870
Paraguai-ponte.jpg
Local América do Sul
Integrantes
Bandeira do Paraguai.png Paraguay Bandeira do Império do Brasil.png Império do Brasil
Bandeira da Argentina.png Argentina
Bandera del Mate de Uruguay.png You are gay
Chefões de batalha
Mateus Solano Lopez Dom Pedro II
Duque de Caxias
Exércitos
Mortos em combate
Argentina, Brasil e Uruguai, a Tríplice Aliança
A Guerra do Paraguai foi um sangrentíssimo conflito ocorrido na América Latrina entre o Paraguai versus Argentina, Brasil e Uruguai, que formaram o Eixo, também conhecido como Tríplice Aliança ou também Os Três Patetas.

El Grande Paraguay[editar]

Cquote1.png Buá... somos pobres assim por culpa do Brasil!!! Cquote2.png
paraguaio chorando suas mágoas

Parada do exército paraguaio, prontos para submeter a América do Sul à hegemonia da raça pura guarani
Os paraguaios viviam num país paradisíaco, bucólico e feliz, até que os brasileiros, liderados pela satânica Inglaterra, destruíssem-los.

Isso é mentira para um professor de História capitalista.

Eu resolvi tudo, olha o mapa!!! do governador José Serra, que publicou as novas cartilhas de geografia da 6ª série com a revisão.

O Paraguai sempre foi um ponto de tensão na época colonial entre o Peru e a Argentina. Lima e Buenos Aires lutavam pela hegemonia, enquanto Assunção ficava no meio ligando as províncias do Rio da Prata com o Alto Peru. Obviamente o Paraguai viveu um grande progresso colonial. O Paraguai também foi colonizado pelas missões dos jesuítas, que antes de sua expulsão pela coroa espanhola deixaram o país com grande progresso cultural e científico. (Este parágrafo é incrivelmente sério. Dizem as más línguas que este é um artigo da Desciclopédia que contém mais verdade até que a Wikipedia. Isso não é nada difícil aliás)

Solano Lopez e seus planos de dominação mundial
Depois da independência, o Paraguai teve uma sequência de ditadores que o deixou uma potência militar formidável. Faltava apenas para o Paraguai uma saída para o mar. E só o Império do Mal do Brasil estava entre os paraguaios e o mar...

O Paraguai pós-colonial era o sonho e modelo de todo bom esquerdista latino-americano moderno:

1. Após a Independência, fechou suas fronteiras e se isolou no comércio mundial como países mais avançados atualmente como Cuba, Coreia do Norte e Albânia.

2. Nacionalizou Roubou as fazendas produtivas que haviam e estatizou tudo

3. Era governado invariavelmente por um caudilho/ditador barbudo cujo apelido sempre girava em torno de alguma variação de El Supremo

Por isso se entende porque todos os livros de História Gramsciantass louvam o Paraguai pré-guerra e recriminam o Brasil e Argentina por coisas como terem eleições, constituição e comprarem patins ou outras bugigangas baratas da Inglaterra.

Delenda Brasilis!!! - gritavam os sanguinários paraguaios! A anexação do Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Uruguai e as províncias do norte da Argentina formariam o Grande Paraguai, sonho de Francisco Solano Lopez, o ditador da vez.

E rapidamente os paraguaios acharam o motivo nefasto para a condução de seus planos malignos de dominação mundial...

A invasão do Brasil[editar]

Paraguaios invadem o Mato Grosso do Sul

Em A.D. 1865
Guerra estava começando.

D. Pedro II: Que acontece ?
Barão do Rio Branco: Alguém invade nós Mato Grosso.
Barão do Rio Branco: Nós tem telégrafo.
D. Pedro II: Quê !
Barão do Rio Branco: Telégrafo ler.
D. Pedro II: És tu !!
Solano Lopez: ¡¡ Cómo están señores !!
Solano Lopez: Todo su Río Grande del Sur son pertenecen a nosotros.
Solano Lopez: Ustedes están en lo camiño de la destrucción.
D. Pedro II: Que tu dizes !!
Solano Lopez: Ustedes no tienen ninguna posibilidad de sobrevivir hagan su tiempo.
Solano Lopez: Ha Ha Ha Ha ....
Barão do Rio Branco: Majestade!!
D. Pedro II: Tira todo 'Duque de Caxias' !!
D. Pedro II: Tu sabes o que tu fazendo.
D. Pedro II: Move 'Duque de Caxias'.
D. Pedro II: Para grande justiça.

Em guarani, um poster de recrutamento do exército paraguaio para a invasão do Brasil, que curiosamente se chama Holland nesta língua

O Uruguai havia entrado em guerra civil novamente. Havia dois partidos no Uruguai naquela época, o PIROCU - Partido Independiente Radical Operario Comunista Uruguayo e o PUTAS - Partido Uruguayo de los Trabajadores por Avanzos Sociales. O Brasil sempre foi atrás de PUTAS, até que o PIROCU deu um golpe de estado.

Ataque paraguaio.
Ataque paraguaio.

O Brasil, que naquela época era um país de respeito (tinha até trëma), invadiu o Uruguai para restaurar o governos de PUTAS no país. Porém o PIROCU era defendido pelo Paraguai e seu ditador, Francisco Solano Lopez, que não admitia que os filiados ao PUTAS retomassem o governo na frente do PIROCU. Usando de pretexto, Lopez rompeu relações diplomáticas com o Brasil e liderou a grande invasão do Mato Grosso do Sul....Ou seja Cerveja

Para invadir o Uruguai e o Rio Grande do Sul, um naco da Argentina estava no caminho. Lopez tentou convencer o governo argentino de que ele só iria atravessar seu território para pegar o Brasil. O governo argentino não disse nem que sim, nem que não, já que também gostaria de ver os brasileiros e uruguaios se fuderem. Porém como pegava muito mal ser atravessada e não fazer nada, declarou guerra ao Paraguai porque ninguém pisaria assim na Grande Argentina e sairia impune.

A Grande estratégia para conter o avanço paraguaio no Mato Grosso era esperar que a neve paralisasse o inimigo. Não deu muito certo...
O Brasil não esboçou reação à invasão paraguaia. Os brasileiros deixaram os paraguaios entrar sem resistência. Os ministros militares de D. Pedro, todos leais portugueses naturalizados, pensaram em usar a mesma estratégia que a Rússia fizera contra Napoleão Bonaparte, deixar os paraguaios entrarem bastante no Brasil até chegar o inverno e a neve paralisar o avanço do inimigo.O único problema era, que no Brasil não neva...

Primeira fase: Bartolomeu Mitre[editar]

Cquote1.png Nosotros somos tríplices aliados, más sabiemos que los arrenrrinos son muticho merróres! Cquote2.png
Bartolomeu Mitre sobre Tríplice Aliança

Túmulo de Bartolomeu Mitre em Buenos Aires com três paraguaias chorando sua morte, já que ele foi o melhor general da guerra (para o lado paraguaio, é claro)...
O primeiro líder dos exércitos aliados foi Bartolomeu Mitre, presidente da Argentina.

Os paraguaios viram com grande alegria as estratégias de Mitre, já que ele tinha certeza que os argentinos eram muito maiores que qualquer um dos paraguaios e seus aliados, portanto Mitre só contava com os argentinos para lutar contra os paraguaios.

Obviamente o exército aliado só levou surras dos paraguaios. Os argentinos e uruguaios eram grandes pesos mortos nas costas dos brasileiros, quase não tinha soldados, comiam toda a carne e bebiam todo chá-mate do acampamento. O Brasil não estava muito bem das pernas, mas pelo menos tinham mais navios e mais soldados, que também não eram lá aquelas coisas

Os brasileiros conseguiram repelir os paraguaios da invasão do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso, ainda que rigorosamente estas províncias não fizessem diferença alguma se fossem conquistadas ou reconquistadas. Quando chegou a hora de invadir o Paraguai e pegá-los em casa, Mitre decidiu que não ia mais, porque era dar muito crédito para os brasileiros e uruguaios, e apenas o medo da Grande Nación Argentina seria suficiente para manter os paguaios se borrando de medo em Ciudad Del Este.

O exército aliado era marcado pela relação amistosa entre argentinos e brasileiros
Para piorar, os exércitos famélicos da Argentina e Uruguai estavam ficando doentes por conta da falta de higiene dos acampamentos. Claro que na imundície, só os brasileiros conseguiram sobreviver 5 anos e meio.

Mitre brigou com o presidente do Uruguai, Venâncio Flores, e ambos como bons hermanos fizeram biquinho uns aos outros e começaram a voltar para casa. Os brasileiros ficaram sozinhos...

Cquote1.png La Wikipedia y la História mi rrustificarón!!! Cquote2.png
Bartolomeu Mitre sobre si mesmo

Foi quando D. Pedro II colocou o Duque de Caxias para cuidar do riscado... ai a casa caiu para os paraguaios...

Segunda fase: Duque de Caxias[editar]

A Batalha de Riachuelo, pelo controle do comércio e lojas de departamentos em Ciudad Del Este
Quando chegou o Duque de Caxias, os paraguaios sentiram algo batendo lá atrás, e não era a ajuda do Peru.

Na batalha de Riachuelo, a mais sensacional batalha naval de marinhas jamais ocorridas em rios, a frota do Império (Brasileiro) que possuía naves interestelares que atiravam lasers da morte e possuíam escudos térmicos liderada pelo Almirante Tamandaré contra os muanbeiros que tinha avançadas canoas equipadas com arco e flechas e escudos de bambu.

O Imperador D. Pedro II mandou a frota do Império Galactico Brasileiro liderada por lord Darth Tamandaré restaurar a paz e a ordem no Mato Grosso
Com a batalha de Riachuelo, a guerra virou, já que os paraguaios perderam acesso aos rios e comércio da região.

Então chegou Caxias. Um velho biruta do espaço que fazia pula pirata com os paraguaios .. Os paraguaios haviam se fortificado incrivelmente em Humaitá, uma espécie de Estrela da Morte. Se passasse por Humaitá, as portas do Paraguai estariam abertas. Mas Caxias que era um doido de pedra foi mais esperto, ele cortou as conexões de Humaitá com Assunção. E deixou a fortaleza lá. Claro que Huimaitá caiu depois, mas debaixo de muita porrada. Estima-se que penetrar numa favela carioca hoje em dia seja mais mortal do que qualquer cerco a fortalezas da Guerra.

Cquote1.png Tira essa farda verde oliva que tu não é caveira, tu é moleque!!! Cquote2.png
Duque de Caxias sobre Solano Lopez

Cquote1.png en la cara non para non estragar el funeral!!! Cquote2.png
Solano Lopez

Caxias entrou no Paraguai armado e de roupa preta - Cadê o Solano... Agora esse viadinho??? ele vai sentir o pal brasil!!!
Caxias lutou em tantas batalhas que nem vale a pena registrar aqui. O velho era louco de Pedra . Ia para a frente, só não tomava tiro porque Deus ajudava. Solano Lopez havia se fortificado, cercado de chaco e pântano por todos os lados. Caxias, esse velho biruta do espaço, mandou fizessem (um fusca turbo) uma ponte no Chaco e passou com todo seu exército, pegando Lopez por trás, literalmente. Finalmente o ditador foi derrotado e fugiu para as montanhas debaixo de muita bordoada. Caxias capturou Assunção abandonada, comprou a lista de compras de muamba para D. Pedro II e foi embora, achando que a guerra tinha acabado.

Mas Solano Lopez não se rendeu... eta homem burru !!!

Terceira fase: O Conde D'Eu[editar]

Por arrastar seu país a total destruição numa guerra insana, a população paraguaia dedicou este monumento a Solano Lopez
Cquote1.png Hay que endurecer Cquote2.png
Solano Lopez sobre final da Guerra do Paraguai

Cquote1.png Meu nome é Dê, não Deu Cquote2.png
Conde D'Eu sobre contestações de sua masculinidade

O Duque de Caxias havia surrado Lopez e obrigado a se refugiar como Taleban no Afeganistão. Mas D. Pedro II não estava satisfeito. Enquanto Lopez vivesse, o Paraguai poderia dar o troco. Sendo assim, enviou seu genro e herdeiro da coroa, o Conde D'Eu como comandante as forças imperiais para pegar os rebeldes paraguaios que tentavam ir para a Bolívias se refugiar nas montanhas.

Os paraguaios, como que incitados por Goebbels, não se renderam e resistiram chaco a chaco, morro a morro. Estavam uma praga. Por mais promessas de clemência que D'Eu fizesse, os irredutíveis paraguaios não se rendiam. O Conde chegou até a prometer construir para o Paraguai uma grande usina hidrelética nas margens do Rio Paraná e dividir meio a meio, na faixa, com o Paraguai. Mesmo assim os paraguaios acharam a ideia estúpida e não aceitaram.

Lopez valia provavelmente isso mesmo
As tropas brasileiras perseguiram os paraguaios por toda parte. Solano Lopez entrava em escolas e asilos e recrutava crianças e velhos para o exército de resistência. Os brasileiros já estavam tão de saco cheio que passaram a degolar todos os soldados paraguaios capturados nas batalhas. Mesmo assim parecia que surgiam paraguaios do nada, como que importados da China.

Finalmente, na batalha carnificina de Cerro Corá, acabaram-se os soldados cidadãos paraguaios para que Solano Lopez mandasse como buxa de canhão para o proteger com seus corpos. Derrotado e a ponte de ser capturado, o ditador se matou dizendo Comigo morre a pátria, tipo um Catão paraguaio.

Acabou nada... apesar da merda que ele fez, o Paraguai está ai até hoje...

O Fim da Guerra[editar]

Novo Paraguai, se dependesse da vontade da Argentina
Com Solano Lopez morto, a guerra acabou. Os aliados não fizeram aliança simultaneamente. O Brasil colocou um governo provisório, fez a paz, falou umas palavras gentis, pediu para deixarem de bobagens e prometeu que ainda iriam construir uma usina hidrelétrica juntos.

A Argentina não fez paz com o Paraguai, e exigiu vários territórios como compensação, virtualmente anexando o Paraguai. O Brasil ficou preocupado, já que não valia a pena deixar a Argentina muito grande não... Como já foi o caso do Uruguai, era melhor ter o Paraguai do lado que uma Grande Argentina. Sendo assim, conversa vai, conversa vem, o Brasil deixou a Argentina pega um pedacinho de pântano para sossegarem e não deixou criarem a Argentina do Norte não.

O Paraguai estava arrasado. Mas também, que ideia estúpida de querer invadir os vizinhos! Era ou ele ou o Brasil... Antes tu do que eu.

Não, essa não é Assunção depois da guerra. Os paraguaios nem ficaram para resistir!
Mas quando comparamos o Paraguai com Cartago, até que ele não ficou tão ruim na fita. E que não venham os hermanos dizendo que estão pobres até hoje por causa da guerra porque não foram mais arrasados que Alemanha duas vezes, e a Alemanha está firme e forte mais uma vez.

Se eles quiseram se transformar numa imensa plantação de maconha, entreposto de muamba e manancial de teólogos da Libertação, foi culpa deles, não do Brasil... Eles até ganharam no final a maior hidrelétrica do mundo de graça, totalmente na faixa!!! Enquanto os outros países do mundo se matam com problemas energéticos, o Paraguai tem energia para dar e vender... y la garantia son yo!!!

Por contato com os corrompidos republicanos argentinos e uruguaios, o Exército do Brasil voltou para casa cheio de caraminholas na cabeça, tipo, Proclamação da República e coisa e tal... Só besteira mesmo...

História Alternativa[editar]

Muambeiros brasileiros refugiados de guerra fugindo pela Ponte da Amizade
Na primeira metade do século XIX as relações diplomáticas entre o Império Serrano do Brasil e a República do Paraguai eram amistosas pois, naquela época, os paraguaios contrabandeavam apenas crianças em perfeito estado de funcionamento. Logo porém nossos irmanos guaranis deram-se conta de que os macaquitos brasileños são uns trouxas, e passaram a vender crianças de segunda mão, produzidas em Taiwan, além de espartilhos e outras tralhas falsificadas.

Em 1349, após fechar as fronteiras para o contrabando de calças Fioruti e tênis Faruaiti, o então Ministro da economia popular Silvio Santos, foi surpreendido por uma onda de protestos na rua 25 de março, centro de La Paz. Os revoltosos exigiam a volta do escambo e o escambau e, esgotadas as negociações, o anão paraguaio Francisco Solano Lopez, armado de calcinhas Exocet, invadiu o Mato Grosso.

O motivo da guerra do Paraguai
Porém, guiados por bússolas fabricadas na Zona Franca de Manaus, os paraguaios acabaram violando a argentina, digo, invadindo a República Argentina. A guerra assim alastrou-se. Argentinos e brasileiros, com a ajuda dos uruguaios, resolveram então deixar de lado suas rivalidades futebolísticas e combater o inimigo comum. Mas, antes de firmarem o Tratado da Tríplice Aliança, o Brasil exigiu a devolução de Búzios e Torres.

Após lutas encarniçadas, o exército brasileiro decidiu implorar pela ajuda de Chuck Norris, que atendeu de bom grado e fez com que a Guerra do Paraguai se tornasse a guerra mais curta de toda a história do continente africano. Bastou então um olhar para que em centésimos de segundos centenas de milhares de contrabandistas e piratas fossem exterminados.

La garantia soy yo - Esta expressão foi cunhada durante os dias que antecederam os combates, quando os soldados argentinos, uruguaios e brasileiros temiam que tudo terminasse em carnificina e todos morressem contra os paraguaios. Quando questionaram a estratégia do Duque de Caxias pedindo garantias de que sobreviveriam à batalha, o Duque falou em seu portunhol impecável (para todos entenderem) - La garantia soy yo

Ver também[editar]