<HTML>

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: HTML.
Estrutura HTML por um
Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de HTML no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg

HTML (Hoje Tá Mais Lento) é uma linguagem que os computadores usam pra falar entre si e para que nós, humanos, não possamos compreendê-las. Foi criada por nerds para que outros nerds façam páginas na Internet e os internautas, que são nerds subdesenvolvidos, possam entrar nelas e, entrar de novo.

Introdução[editar]

O futuro presente de um programador WEB.

A palavra HTML, que na verdade não é uma palavra, é uma sigla. Seu significado serve como definição para o fato de quê, quanto mais tempo demora-se para se fazer uma página, mais tempo se passa fazendo-a. Ao que tudo indica, as drogas consideradas ilícitas, como a maconha, por exemplo, levam certos indivíduos a desenvolverem complexos portais de transmissão de informações, que aparentemente nunca conseguem ser concluídos, ao custo de que outros indivíduos entrem nessas páginas diariamente ou mesmo a cada uma hora ou 15 minutos para ver se o maloqueiro de plantão mudou alguma coisa na bagaça.

Existem também teorias de que HTML seja um trocadilho francês para a frase "A gata mia por leite", expressão esta utilizada quando um indivíduo denominado dono possui um animal denominado gato, mas pertencente do gênero feminino, o qual encontra-se, constantemente, a emitir ruído sonoro de sua cavidade oral, denominada boca, na tentativa de demonstrar seu anseio animal por alimento lácteo no estado líquido, doravante leite.

Origem[editar]

A melhor Tag, <tits>.
Nunca esqueça de fechar a tag com o /"tag"

Criada por um aluno da Universidade de Marte, CH, que estava matando uma aula de informática no banheiro, a linguagem HTML passou a ser um fenômeno digital incomensurável. Emmett Zemeckys, russo filho de uma mulher Indiana caolha e um pai argentino vesgo, pensou "como seria incrível se todas as pessoas do mundo pudessem acessar grandes quantidades de pornografia sem limites na comodidade da sua casa ou do laboratório de sua universidade. Ninguém mais teria obrigação nem precisaria aturar aulas chatas e sem proveito de Pascal, Java, Basic e outras linguagens que não ofereciam nada de interessante às pessoas". Emmett passou então a trabalhar em seus códigos de desenvolvimento. O banheiro da universidade passou a ser seu laboratório principal, e até hoje são guardados no Museu de Artefatos da Tecnologia os rolos de papel higiênico que contém os primeiras linhas do que viria a ser o HTML atual. Tais pergaminhos são conhecidos hoje como Pergaminhos da Mar Morto.

No dia 11 de Março de 1785 foi ao ar o primeiro site da Internet. Desenvolvido por Emmett em longos dois anos de trabalho árduo, o mesmo exibia apenas uma foto da Dercy Gonçalves pelada, na época, a Miss Banana Nanica do Clube do Bolinha. A rede caiu na madrugada do mesmo dia por excesso de acessos sucessivos sem cessar um único momento.

Daí pra frente a coisa rolou de tal forma que hoje, de acordo com o sonho de Emmett, que morreu aos 40 anos vítima de uma overdose de nitroglicerina, a Internet é conhecida como a maior ferramenta de divulgação e esclarecimento do sexo já criada no mundo.

Características[editar]

HTML no cotidiano.
  • Totalmente estável;
  • Não apresenta nenhum problema de compatibilidade quando executada em navegadores diferentes.
  • Totalmente padronizada, não apresentando nenhuma possibilidade de dar errado em nenhum aspecto.
  • Não necessita que o nerd faça teste nenhum para ter certeza de que está pronto para ser publicado.
  • Não é contraditória
  • Não é redundante.
  • Não possibilita criações de eventos cíclicos infinitos que acabariam com um servidor.

Teste[editar]

<html>
      <head>
                  <title>redtube.com</title>
      </head>
      <body>
                <p>oh yes, oh yes, ooooh yes</p>
      </body>
</html>

Jogos famosos escritos em HTML[editar]

Ver também[editar]