Havana

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lancamentos-2008.jpg -Condenadme, no importa, la Desciclopédia me absolverá.

Este artigo es cubano e puede fumar charuto sem ser capitalista. Si usted sabes el aumentativo de Cuba, no respondas adelante, carajo!

Clique aqui para más cosas cubanas.


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.
Cquote1.png Você quis dizer: Havaiana? Cquote2.png
Google sobre Havana

Havana é oficialmente a capital da democracia na América, símbolo da luta pela igualdade, capital do generoso país Cuba e de quebra o ponto mais próximo no Caribe dos Estados Unidos.

História[editar]

Che Guevara e Fidel Castro mandando um capitalista tomar no cu e pedindo um charuto para o garçom.

A cidade foi fundada por Barba Negra, um romântico navegador do Caribe que queria fundar ali a capital da Nova Era, surgia assim a Villa de San Cristóbal de la Habana Banana (esconderijo dos piratas) como ficou conhecida Havana por muito tempo.

A cidade foi oficializada por Hernán Cortés quando se preparava para invadir o Império Asteca, hoje conhecido como México. Os famosos conquistadores ou mesmo os loucos varridos da Inquisição Espanhola, quando vinham para a América sempre davam uma parada em Havana, seja para jogar uma partida de vôlei ou perder dinheiro no cassino.

A cidade era o ponto predileto de pausa de bucaneiros em geral, corsários holandeses cheios de produtos ilegais, embarcações francesas carregadas de produtos roubados e navios ingleses de marinheiros corruptos. Havana já começava a cheirar a malandragem (sua marca registrada).

Durante a idade média da cidade, um grande acontecimento em Havana foi a conhecida epidemia de Cartagena das Índias, quando a cidade colombiana que estava totalmente pestilenta matou metade da população de Havana de gripe.

Depois de um tempo, a marinha americana encontrou em Havana a Las Vegas dos mares, e assim Havana foi começando a ser habitada por caboclos, pois oficiais da marinha só podiam ser brancos e a população de Havana era toda de ex-escravos.

Havana não passava de um grande puteiro até o dia em que o Barba Roxa, conhecido no resto do mundo como Fidel Castro tomou o governo do país em um golpe militar ridiculamente tosco e instaurou Havana como capital do glorioso país República Socio-Democrática Soviética Capitalista de Cuba e nomeou Che Guevara prefeito da cidade. Desde então a diversão em Havana foi banida, o dinheiro foi banido, os americanos foram banidos, a saída/fuga do país foi banida e os banimentos foram banidos.

Havana durante muito tempo foi considerada a segunda Moscou para a União Soviética. Isso até faltar grana para os comunistas e eles abandonarem a cidade cheia de mísseis e fadada ao ódio eterno por parte dos americanos.

Os transportes em Havana recebem destaque pelo o Aeroporto Internacional José Martí que está fechado desde que foi construído. Os portos da cidade também estão todos fechados desde 1950, mas funcionam clandestinamente levando turistas clandestinamente para Miami.

Havana pode ser resumida também como praias, hospitais, escolas, alguns prédios (talvez residências) e quadras de esportes. Os fortes comunistas da cidade foram tombados pela UNESCO.

Economia[editar]

Che Guevara (esquerda) e Fidel Castro (direita) durante a luta decisiva na Guerra de Havana.

A economia de Havana depende totalmente dos seus cassinos que assaltam a população, o turismo e os alfajores da marca que tem o mesmo nome que a cidade

A renda dos Jogos Pan-americanos de 1991 está sendo economizada até hoje.

Cultura[editar]

Vários eventos ocorrem na cidade:

  • Festival de Ballet de Havana - Para relembrar os tempos áureos do comunismo, os cubanos todas as tardes vão apreciar apresentações de ballet, o passatempo chic russo.
  • Festival do Novo Cinema Latino-Americano - Todas as noites de domingo toda a cidade se reúne na praça para assistirem o único evento televisivo disponível em toda Cuba. Apresentações de episódios de Chaves e propaganda soviética.
  • O Festival de jazz Jazz Plaza - Todas as noites após o trabalho, a população de Havana se reúne na Jazz Plaza para lamentar a vida.
  • O Festival Internacional de Guitarra Leo Brower - Grupos de rock rebelde sempre se apresentam às sextas-feiras pela cidade com músicas declarando guerra aos americanos.

Curiosidades[editar]

  • Apesar da propaganda, o povo é miserável e sofrido em Havana.