Heitor Villa-Lobos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Heitor Villa-Lobos
Está incluído no Projeto Hits, e recebeu a classificação A pela comissão do projeto. Gostou do artigo? Contribua! Você pode editá-lo, ou visitar a página do projeto e ver quais artigos você pode melhorar.
Wikisplode.gif
Para os fanáticos religiosos entre nós que escolhem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Heitor Villa-Lobos.
Villa Lobos chupando dedo seu charuto (como sempre)

Cquote1.pngVocê quis dizer: Villas Boas?Cquote2.png
Google sobre Heitor Villa-Lobos

Cquote1.png Gostaria de ouvir ele tocar Cquote2.png
Beethoven sobre Villa Lobos

Cquote1.png Nunca o vi em ação Cquote2.png
Steve Wonder sobre Villa Lobos

Cquote1.png Ele era genial Cquote2.png
Pseudo Intelectual sobre Villa Lobos

Cquote1.png Onde fica? Cquote2.png
Carla Perez sobre Villa Lobos

Cquote1.png Villa cheirava gatinhos Cquote2.png
qualquer um sobre Villa Lobos

Cquote1.png Essa fala era para ser minha Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre a frase acima

Emblem-sound.svg.png Heitor Villa-Lobos
Villa.jpg
"Não sabe tocar e acha que sabe compor..."
Nome Heitor Villas Boas Leão Lobo
Origem Brasil2.png Brasil, só podia ter sido aqui mesmo
Sexo Nunca, era virgem e só sabia usar a mão pra escrever partituras
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Vibrador, digo afinador e é claro a batuta, que tem várias utilidades e todo músico adora.
Gênero Ópera, claro, visto a gritaria que se dava quando o pau subia, digo a batuta
Influências Você quer dizer má influencia?
Nível de Habilidade Baixissimo, pelo menos tratando de música
Aparência Se achava garanhão, mas nunca pegou nada
Plásticas Villa nem sabia o que era isso...
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
O de todo músico, bebida, droga...
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Ele era ruim demais pra ter um autonomo.




Heitor Villa Lobos é um representante do Brasil na Europa ( é triste, mas é isso aí). Ele se destaca por sua linguagem extremamente ordinária brasileira no que compunha, sendo considerado o maior imbecil da música do Brasil, compondo coisas totalmente escalafobéticas, que hoje chamam de obras. Todas elas enaltecem (até demais) o espírito nacionalista com elementos das canções folclóricas, populares e indígenas (é o Brasil em pessoa). Villa conseguiu misturar o erudito europeu ao folclórico brasileiro, resumindo ele fez uma sopa de jiló com jatobá...


Tabela de conteúdo

[editar] Biografia


No início era o caos, daí veio mamãe Noêmia Monteiro e papai Raul Lobos, os dois fizeram oba oba e daí surgiu Monteiro Lobato Heitor Villa Lobos. Não se sabe ao certo o local da concepção, sabe se apenas que foi no Rio de Janeiro (deve ter sido em algum morro).

Desde cedo, dona Noêmia incentivava o filho a ser médico, se juntar a ela e brincar de ginecologista, enquanto tio Raul incentivava o garoto a ser desempregado músico, dando lhe instruções, apesar de ser um amador em música (vê se agora o porquê de Villa Lobos ser um PHD no quesito otário).

Com a morte do velho, Villa resolveu seguir o caminho de atoa músico, ele (achava que) tocava violoncelo, mas seu sonho era tocar um grande órgão compor. Assim mesmo começou a freqüentar todos os teatros para se apresentar, e posteriormente, todos os balés. Essa foi sua melhor fase, a fase em que ele se revelou e passou pro lado rosa da força ficou conhecido.

Começa a passear pela Europa em l923. No seu retorno de Paris, no ano seguinte, Manuel Bandeira saudava-o da seguinte maneira: “Villa-Lobos acaba de chegar de Paris. Quem chega de Paris espera-se que chegue cheio de Paris. Entretanto, Villa-Lobos chegou cheio de Villa-Lobos”. Essa conclusão do titio Bandeira foi muito óbvia, já que só se pode chegar cheio de Paris quando se faz algo de útil em Paris, mas quando você só faz bobagens, é odiado e desprezado por todo mundo e praticamente expulso, só lhe resta chegar cheio de si mesmo...

Ele curtia pegar num pauzinho (pauzinho nada, olha o tamanho disso)

Em 1930, Villa apresenta um revolucionário plano de Educação Musical à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, a aprovação do mesmo acaba afundando mudando definitivamente o estado. Dois anos depois, após ter afundado, digo, mudado São Paulo ele partiu para acionar seu plano de dominar o mundo no Rio de Janeiro, para começar ele pegou um grupo de 40, eu disse quarenta mil pirralhos e montou uma orquestra, que ele mesmo fez questão de ser o regente, além de compor as obras que seriam tocadas pela mesma (esse não tinha amor à vida). Depois disso ainda criou um sanatório conservatório chamado Canto Orfeônico (não adianta procurar no discionário, você não vai achar).

Villa ainda encontrou tempo pra se casar e a louca escolhida foi uma paulistana (e eles ainda se acham inteligentes) chamada Lucília. Ela tocava piano (e deixava ele morrendo de inveja). Mas a intriga toda não durou muito, já que os dois se separaram. O motivo era que ele queria compor para ela tocar, mas ela achava as obras dele muito ridículas complexas para serem tocadas, assim se separou dele.

Após a separação, Villa ficou depressivo (virou emo) e desenvolveu um câncer, antes de morrer, tentou comer uma ex aluna francesa, até se casou com ela, mas o pauzinho dele não obedecia mais (e eu não me refiro à batuta), assim, ele ficou só na vontade.

Depois de sua morte em 1960, as suas obras ficaram sobre direitos da França (se fuderam), por causa que ele não deixou nenhum desgraçado largado no mundo, quero dizer filhos. Mesmo com as objeções brasileiras, as obras continuaram sendo francesas (graças a Deus).

[editar] Semana da Arte Moderna


Também conhecida como semana de coisas inúteis

Jura????

Essa foi uma semana em que os modernistas brasileiros tentaram mostrar que sabiam fazer alguma coisa que preste

Villa Lobos participou (bom pra ele, ou não, afinal de contas quem perdeu tempo foi ele, e não eu).

Ele se deu muito bem nesse evento, afinal, todos os participantes estavam na mesma condição dele, eram um bando de fracassados, incompetentes e ignorados que achavam que eram bons no que faziam.

Entre as horrorosidades da Tarsila do Amaral ele apresentou algumas de suas obras, como a Segunda Sonata (nem queira ver a primeira), Cascavel (falei que ele curte a cobra), Valsa Mística (uma homenagem direta ao Pokemon), Danças Africanas (essa é alto explicativa), Terceiro Quarteto (ficar de quatro era com ele mesmo), Dança Infernal (sem comentários) e Solidão (coitado)...As apresentações de Villa duraram 3 dias, mas para quem estava perto, isso pareceu uma eternidade (você bem sabe que a coisa quando é ruim, não tem fim).

Essa coisa toda se passou no Teatro Municipal de São Paulo, que por acaso foi o primeiro palco erudito a receber tal evento (que azar dos paulistanos).

[editar] Estilo e Obra


No principio, Villa achava que era europeu e queria compor igual a um, mas foi logo escrachado já que sabia fazer nada. Deportado pelos europeus, teve que se contentar com o estilo brasieliro (fazer o que). Assim, ele se preparou para seguir uma vida bucólica e começou suas viagens para o interior do país, foi para Goiás, Mato Grosso, foi até mesmo além do Brasil, onde Judas perdeu as botas, digo Acre, Roraima e por aí vai. Todas essas excursões lhe deram uma peculiaridade e um jeitinho que só brasileiro tem e ninguém (in)felizmete conseguiu tirar...


Suas Principais Obras são:

O trenzinho de Villa Lobos...Ainda está curioso pra contemplar?

Bachianas Brasileiras: Essa é de cara a pior, é quando um espírito altamente nacionalista entra dentro dele (sabe se lá por onde), e ele começa a colocar no papel tudo que dava em sua cabeça doida. Quem vê as partituras dessa época, pensa que uma formiga pisou no tinteiro e andou por cima do papel. Todas as 5 Bachianas são igualmente ridículas, mas duas delas se destacam no quesito. Uma é a número 2, que se compara exatamente ao número 2 mesmo, aquele que você está pensando, ou seja, ela é uma bosta, uma porcaria onde tem aquela porra de Trenzinho do Caipira (pra você que nunca ouviu, não está perdendo nada, pra você que já ouviu, meus pêsames, e pra você que está curioso, é melhor continuar somente na curiosidade). A outra é a número 5, ela foi feita para orquestra e voz, ou seja, um bando de homens desempregados e uma mulher gritando como se tivesse...(deixa pra lá)... E o pior de tudo é que a gritaria toda é em português, mas é o mesmo que ela o tivesse fazendo em grego, tenha certeza de que você não vai entender nada do que está se passando.

Uirapurú: Dessa vez foi um índio que entrou nele (continuo sem saber por onde), a obra em geral é uma droga, se você resolver contemplar mesmo assim, saiba que você vai morrer antes do fim (detesto estas rimas).

Missa de São Sebastião: Missa já é um saco por si só, você fica lá umas três horas só ouvindo o falatório e aturando a cantoria, e ainda sai no fim de tudo sem entender nada (fingindo que entendeu) .Imagine agora que ainda poderia ficar pior, imagine que toda parte da cantoria fosse provenientes do Villa Lobos?! (Tenso)


Outras Obras

Não preciso nem falar que é uma partitura, se você não entendeu, vai aprender música e depois volta.
  • Vida Pura, oratório (que menino casto)
  • Descobrimento do Brasil, 4 suítes (ele adora esse número)
  • Magdalena, opereta (ele participou dessa sendo ativo)
  • A Menina das Nuvens (que fez ele ver estrelas)
  • Canções típicas brasileiras (sei as típicas brasileiras que ele pôs a mão)
  • Guia Prático (de prática sexual orquestral)
  • Serestas (fez parte da fase.....ah de qualquer uma)
  • Floresta do Amazonas (ele deve ter comido uma índia)
  • Modinhas e canções (é, ele adorava inventar moda)
  • Erosão (viu no que deu cortar as árvores pra escrever abobrinhas!)
  • Odisseia de uma Raça (poderia ter sido da raça dele)
  • Emperrou Jones ( o que ele estava fazendo com esse Jones que emperrou?)
  • Momoprecoce para piano e orquestra (o que é momoprecoce?)
  • Martírio dos Insetos para violino e orquestra (deve ser um martírio mesmo ouvir isso)
  • Concerto para Violino e Orquestra (consertar era com ele mesmo, quem não sabe tocar, conserta!)
  • Concerto para Violão e pequena orquestra (Músico trabalha duro, consertar instrumento não é fácil)
  • Ciranda das Sete Notas para fagote e orquestra (depois dessa ele tentou plagiar Ciranda Cirandinha)
  • Fantasia para Violoncelo e Orquestra (Villa e suas fantasias sexuais)
  • Concerto grosso (Ui!)

[editar] Reconhecimento


Única forma de aproximar o músico do dinheiro, colocando a cara dele numa nota


Villa Lobos não teve reconhecimento nenhum, tanto que morreu emo, depressivo, sozinho, abandonado e hoje ninguém é louco de executar suas chamadas obras.

O que ele deixou que (infelizmente) perdura até hoje é a Academia Brasileira de Música, ele que por acaso foi o fundador e primeiro presidente.Villa ajudou a desenhar o Brasil (vê se porque o Brasil é torto).

O maestro foi retratado nos filmes Bachianas Brasileiras: Meu Nome É Villa-Lobos, O Mandarim e Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão, além de aparecer pessoalmente no filme da Disney, Alô, Amigos, ele era uma piada (e das ruins).

Os da época, gostaram tanto desse novo idiotismo que premiaram ele colocando a cara feia dele na nota de 500 cruzados. Como o cruzado hoje não vale mais nada, podemos também dizer que o Villa não vale mais nada (e algum dia valeu?). Pode até ser uma falácia, mas se alguém implicar, você pode dizer que estava se referindo ao dinheiro (ou pode simplesmente mandar a pessoa tomar naquele lugar).


v d e h
Bach bass.jpg
Bach shades.jpg

♫♫♫ Compositores da Música Erudita ♫♫♫

AlbinoniBach (Biografia)BeethovenBerliozBizetBrahmsBrucknerCarlos GomesChopinCorelliDebussyDukasDvorakElgarGriegHandelHaydnJenkinsKhachaturianLisztMahlerMendelssohnMozartMussorgskyOffenbachOrffPachelbelPaganiniPalestrinaPonchielliProkofievPucciniRachmaninoffRavelRimsky-KorsakovRossiniRubinsteinSalieriScarlatti PaiScarlatti FilhoSchoenbergShostakovichSchubertSchumannStrauss FilhoStrauss PaiRichard StraussStravinskySuppéTartiniTchaikovskyVerdiVilla-LobosVivaldiWagnerWeber

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas