Heitoraí

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Heitoraí é mais uma cidadezinha desconhecida e irrelevante localizada nas proximidades do lugar onde o vento faz a curva, mais uma dessas cidades microscópicas que só servem para dar prejuízo para o governo federal, produzindo nada pro Brasil mas ganhando sua verba municipal regularmente. É mais um local que o Padre Quevedo recomenda que você evite, porque por lá chupa-cabras e zumbis existem.

História[editar]

Sincretismo na famosa Capela de Heitoraí onde exibe-se o torii de madeira, herança deixada pelo xintoísmo japonês trazido pelo Grande Surto de Febre Amarela de 1955.

Fundada oficialmente em 1948 por Heitor José de Paula. Esse homem se mandou de Itaberaí ao lado de seu fiel jumento procurando outro corno para criar uma dupla sertaneja. Até que descobriu que sua dupla era jumento, então enquanto cagava no mato e não achava a folha certa para limpar a bunda, teve o insight de fundar uma aldeia ali mesmo, naquele nada. Depois de 3 meses de árduo trabalho, ergueu um barraco do qual chamou de capela à Nossa Senhora de Aparecida. Todos os caipiras das redondezas se espantaram com tamanha falta do que fazer daquele Heitor e começaram a popularizar a capela, que aos poucos formou a cidade.

A segunda e última obra de Heitor foi um cemitério, para enterrar as vítimas de febre amarela do Grande Surto de Febre Amarela de 1955, quando os japoneses (que vieram para a Copa do Mundo de Futebol de 1950 no Brasil) trouxeram a doença que quase dizimou Heitoraí.

Em 1960, os caipiras de Goiânia decidem levar energia elétrica para Cachoeira Dourada, então pensaram que seria uma boa levar essa inovação para Heitoraí também... Mas o povo acha que eletricidade é artimanha do demônio e recusam-se a ter energia elétrica em suas coisas, bem como Internet e outras coisas encontradas apenas na civilização. Até a pior casa de uma favela de Anápolis (e olha que esse cidade já não é lá essas coisas) é mais moderna que qualquer coisa em Heitoraí. Até hoje a cidade é iluminada por lampiões, velas e fogueiras.

O município é criado oficialmente em 1963 sem nem precisar virar distrito, observa-se nesse fato como ninguém queria aquelas terras para administrar. O seu nome é uma homenagem a seu fundador e símbolo corno Heitor, e as duas letras "aí" vem da cidade de onde foi expulso a chutes: Itaberaí.

Geografia[editar]

Heitoraí pertence à Microrregião do Limbo Goiano, ou seja, não pertence a Goianésia, nem a Anicuns e muito menos ao Reino de Anápolis, ficando isolado bem no centro de Goiás distante dos diversos centros urbanos do estado. É basicamente uma roça perdida no meio do cerrado.

Cultura[editar]

Nessa cidade as opções de lazer são inúmeras, como por exemplo ficar parado na praça vendo a grama crescer, observar os desenhos das nuvens, queimar formigas usando lupas, ou simplesmente recolher estrume de boi. Mas a cultura é o que movimenta o município, sendo uma cidade com diversas festividades tradicionais tais como Páscoa, Dia das Crianças e Dia do Boi, destacando-se ainda a municipal festividade da Festa do Santo Carpinteiro que mais parece até um grande ritual de acasalamento de jovens caipiras, realizada todo 19 de março, ninguém sabe do que se trata ao certo, sabem apenas que é uma boa oportunidade de comer muita pamonha.