Henan

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Madruga1.jpg Pastel de flango, né?

Este altigo foi fablicado na China e pode queblar a qualquer momento. O autor plovavelmente luta Kung Fu e tem uma pastelalia. Não estlague este altigo, pois Jackie Chan está de olho.


Henan é uma província no centro da China. Longe de tudo, seu mapa parece um quadrado e seus habitantes também são uns quadrados.

História[editar]

Uma das indústrias de Henan.

Henan foi fundada no próspero Período das Oito Dinastias e 17 Reinos Orientais, uma época em que os animes chegaram na China e alavancou a cultura oriental. Henan foi durante milênios a capital do arroz.

Devido ao governo comunista que se iniciou no século XVII, os facistas que se apoderaram do governo decidiram cercar Henan com a chamada Grande Muralha da China, obrigando a população a fazer bebês para matar o tédio. Com a população enorme que o país conquistaria 100 anos depois, o governo poderia aproveitar essa força de trabalho escrava para produzir bilhões de brinquedos falsificados e exportar para o resto do mundo acabando com a indústria do ramo.

Henan foi visitada por Fidel Castro em 1978, pois Cuba queria copiar o sistema econômico da província de Henan.

Atualmente Henan é governada por Lucy Liu.

Economia[editar]

Henan movimenta a economia mundial, é responsável pela produção de 70% das piratarias e muambas da China.

A Província de Henan é responsável por produzir grandes riquezas da China e permanecer inexplicavelmente pobre, o que não tem relação com desigualdade social mas com corrupção mesmo a distribuição de renda do governo comunista.

Geografia[editar]

A paisagem de Henan é predominantemente de planícies cheia de escravos trabalhadores ganhando salários de 5 reais por mês.

O Rio Amarelo corta toda a província e tem esse nome devido a sua coloração amarelada, resultado da poluição.

Pastelaria[editar]

Em Henan a pobreza obrigou todos os habitantes a comerem apenas arroz. Até hoje, o pastel é uma tecnologia desconhecida e não chegou lá por razões inexplicáveis. Corre uma lenda que existe o deus Pasu-Teo, que teria vindo matar a fome da cidade mas morreu devorado por demônios famintos nas águas do Rio Amarelo, o Yang-Tse-Tunning. Essa lenda pode existir devido ao fato de que qualquer viajante que tenha ido para lá com pastéis no barco ou em qualquer lugar ter sido atacado por malvados Mongóis ladrões e famintos, que cercavam a região inteira do outro lado da Grande Muralha. Além disso, qualquer sobrevivente que tentasse montar um pastel na cidade não poderia pois lá não existe óleo ou recheio para o pastel. Só arroz. Assim, os que tentaram explicar o pastel foram acometidos de loucos ou de visionários, e assim pode ter surgido a lenda do deus Pasu-Teo.

Ver Também[editar]