Hidrolândia (Goiás)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Hidrolândia é o mais distante bairro de Aparecida de Goiânia, onde vivem caipiras frustrados por não conseguir uma apartamento ou casa na capital e nem mesmo em suas favelas, indo morar nesse local distante no meio da BR-153.

História[editar]

Cada cidade tem o seu castelo que merece, Hidrolândia tem essa merdinha, que o diga o Castelo Neuschwanstein.

Fundada em 1895 por alguns semi-humanos-indígenas que andavam por ali, surgiu inicialmente como distrito de Piracanjuba, a capital mundial do queijo coalho. Embora em Hidrolândia não houvesse tão queijo assim, por isso era discriminada.

Em 1930 Piracanjuba se livra daquelas fazendas, e o lcoal torna-se um município com o nome de "Hidrolândia", que significa "Cidade com abundância de água", uma singela ironia ao fato de nunca chover na cidade.

Depois que construíram Goiânia como nova capital da República Sertaneja dos Caipiras, Hidrolândia é transformada em "Grimpas" e bairro da capital, mas após imensa revolta popular, os goianos conseguem em 1948 jogar Hidrolândia para fora e transformar aquela merdinha em município novamente.

Hoje o vilarejo é só uma pequena coleção de fazendas e sítios onde aqueles vários pobres que trabalham em Aparecida de Goiânia vão dormir no final do dia.

Economia[editar]

O pacato município se destaca na produção de sapos, rãs e pererecas, além é claro daquele outro tipo de perereca, muito famosa nos becos de Goiânia.

A pecuária leiteira, ou seja, esperma de bois, também é outro forte motor da economia local. O destaque porém são as inúmeras vendinhas de quinquilharias espalhadas por todo vilarejo. Essas curiosas lojinhas vendem absolutamente de tudo que você não tem o desejo de comprar.

Cultura[editar]

Município de diversas lendas, se destaca a lenda que se refere a uma nova espécie de ser humano conhecida como Bichas Nojentas, que são uma espécie folclórica de "mulheres" que aparentemente são meigas e carinhosas (resultado de macumba das brabas), mas na verdade são umas cobras safadas e sem vergonhas. Reza a lenda que as bichas nojentas conseguem identificar médicos e homens de caminhonete com mil metros de distância, o alvo favorito de seus ataques. Religiosos dizem que as bichas nojentas são na verdade filhas do capeta conhecidas pelas seguintes características, são gostosas, lindas, sem vergonhas, boas de cama, mas tem uma berinjela onde deveria ter uma aranha (é do capeta mesmo)... Elas atacam na maioria das vezes velhos prestes a morrer, ricos fazendeiros, médicos e afins, e dão aquele tratos nos 'coitados', catam o dinheiro e na noite ficam a espera do Ricardão (jovens bonitões mas pobres de doer). Para se proteger das bichas nojentas basta ser pobre, perrapado, ruim de cama, nerd, etc. Com certeza nenhuma delas vai te atacar mesmo!

Turismo[editar]

Os turistas malucos que arriscam visitar essa pobre e precária cidade, podem usufruir dos vários recantos espalhados pelos buracos das redondezas, que oferecem como divertimento cavalgadas, montaria e passeios de jegue. A cidade ficou muito famosa depois de ter legalizado as rinhas de galos, paixão local. Esses eventos são organizados e realizados nos quintais de praticamente todas as casas de Hidrolândia. Frequentemente Hidrolândia sedia os Jogos Mundiais de Rinhas de Galos. Recentemente tem surgido novas modalidades do esporte, como "rinhas de rãs", "rinhas de cavalos" e "rinhas de gordas velhas no catupiry".

Agora o que chama mais atenção mesmo são os Castelos de Hidrolândia, erguidos por algum ex-prefeito de Aparecida de Goiânia muito excêntrico. Ficou maluco por ter vivido tanto tempo naquele lugar. Construiu uma arca de Noé, 37 castelos ridículos e uma tumba com televisor dentro. Para quem gosta de excentricidades, é um lugar imperdível de se visitar.