Hidrolina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Hidrolina é uma isolada aldeia, localizada próxima ao Pilar de Goiás, num buraco fundo, mas tão fundo que quando chove a cidade vira um rio, cheio de piranhas, baleias e pescadores desempregados.

Nome[editar]

A bela Hidrolina moderna.

O nome Hidrolina foi um nome tosco e idiota que escolheram do dialeto goianês, fazendo uma junção de hidro (água) e lina, que viria a ser cristalina, hoje essas águas servem de esgoto para a cidadezinha. Hidrolina também tem o apelido de Lobeira, apelido pelo qual são chamadas as prostitutas no norte de Goiás. Outros nomes pelo qual Hidrolina é conhecida são Cu, Merda, Droga, Buraco,Subaco da onça Desgraça e Puta Que Pariu Caralho! Vai Pra Lá Não!!

História[editar]

Cidade de origem mística. Todas aquelas terras foram doadas em 1950 para a Igreja Católica como forma de dízimo. Os pioneiros da pequena cidade foram a dupla sertaneja, Antônio Pereira Victor da Silva e Leonardo Graciano Gonçalves Guimarães (os populares Victor & Leo).

Em 1958 separa-se dos domínios de Pilar de Goiás que decidiu cortar gastos, e começou por parar de mandar verba para a segurança pública de Hidrolina. Elevada a município, a cidade vem lutando ferrenhamente para ser uma das piores vilas do estado de Goiás.

Hidrolina possui como cartão postal a Igreja Matriz Católica Anglicana Presbiteriana Protestante Santo Antônio Maria Cricket Xavier, a tradicional igreja das cidadezinhas que reúnem os bêbados, playboys, mendigos, caipiras, putinhas e outras figuras folclóricas.

Geografia[editar]

Oficialmente, Hidrolina é parte integrante da Microrregião do Limbo de Goiás.

Localizado não tão no norte de Goiás, no meio do mato e do calor sufocante, chove apenas quando a população reúne-se para fazer a dança da chuva.

Economia[editar]

Com a economia baseada 500% na pecuária, Hidrolina não demonstra qualquer sinal de evolução ou melhora. Hidrolina se orgulha em ser a capital mundial do papel higiênico por se destacar na exportação do produto para o restante do Brasil, principalmente para Goiânia.

O comércio criminoso de lobeira também vem se destacando, um estupro custa em média R$ 5, dependendo da garota e do cliente.

Política[editar]

Atualmente o ditador prefeito de Hidrolina é um porra louca que compra votos dando botinas e cestas básicas[1], faz boca de urna até em cidades vizinhas, em época de eleição. Bate nas vadia[2], e mesmo assim, teve dois mandatos e seus candidatos sempre ganham.

Referências