Homem Nuclear

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: O super-herói de Acapulco Cquote2.png
Google sobre Homem Nuclear
Cquote1.png Você quis dizer: Quico em Acapulco? Cquote2.png
Google sobre Homem Nuclear
Cquote1.png Você quis dizer: Chapolin Colorado? Cquote2.png
Google sobre Homem Nuclear
Cquote1.png Você quis dizer: Seu Guilherme? Cquote2.png
Google sobre Homem Nuclear
Cquote1.png Afinal, quem é o Homem Nuclear? Cquote2.png
Você sobre Homem Nuclear
Cquote1.png O Homem Nuclear sou eu!! Com a minha força extraordinária!! Cquote2.png
Homem Nuclear sobre ele mesmo

Seu Trocadeiro Homem Nuclear é um dos heróis mais poderosos dos episódios do Chapolin Colorado, sendo que ele possui uma incrível força biônica, capaz até mesmo do incrível feito de furar um diário que tem capa de couro de boi usando apenas uma caneta simples.

Infância[editar]

A melhor foto do Homem Nuclear. Segundo testemunhas, o fotógrafo virou poeira cósmica poucos segundos após tirar essa foto.

Ninguém sabe quais são as verdadeiras origens do Seu Trocadeiro, porém, imagina-se que ele tenha nascido em Chernobyl, na mesma época do acidente. Como todos os moradores, o Seu Trocadeiro não conseguiu escapar dos malignos efeitos da radiação. Porém, ao invés dele ganhar uma morte demorada e dolorosa, ele estranhamente, ganhou poderes nunca antes vistos na história daquele lugar: o Seu Trocadeiro ganhou superpoderes incríveis, como por exemplo, a superforça, capaz de fazer inveja até mesmo ao Super Homem.

Com esses poderes novos, Seu Trocadeiro decidiu que deveria sair pelo planeta ajudando as outras pessoas. Porém, antes disso, ele leu algumas revistas de super-heróis famosos, como o Batimã, e viu que ele precisaria de uma identidade secreta. Então, ele decidiu adotar o codinome de Homem Nuclear.

Após esse dia, o Homem Nuclear abandonou definitivamente o nome de Seu Trocadeiro graças à Deus, e saiu pelo mundo, enfrentando os bandidos que rondavam. Obviamente, nenhum bandido podia combater a sua incrível força, e ele sempre saía vitorioso de sua pelejas.

Porém, certa vez, quando o Homem Nuclear estava passando pelo México, ele encontrou alguns bandidos atacando alguns funcionários da Televisa. Como bom herói que é, ele foi para o pau (literalmente), e conseguiu vencer todos os melchiores malfeitores, e conseguiu salvar a vida de todos aqueles mexicanos indefesos.

Mas, como a vida de herói não é nada fácil, o Homem Nuclear logo encontrou a sua primeira adversidade: as pessoas que achavam que ele não passava de um charlatón. Apesar dos poderes grandiosos do Homem Nuclear, ninguém acreditava que ele era realmente um herói, e, certo dia, enquanto o Homem Nuclear estava salvando algumas pessoas, os funcionários do hospício o internaram, o chamando de louco varrido. Como o Homem Nuclear não machuca nenhum inocente, ele não teve outra alternativa senão aceitar e ser internado no hospício.

Em Acapulco[editar]

O Homem Nuclear mostrando a sua incrível técnica do "Caminhar em câmera lenta".

Depois de alguns anos presos dentro do hospício e comendo apenas gelatina, o Homem Nuclear percebeu que, se ele continuasse naquele lugar, muitas pessoas correriam perigo. Então, ele fez o que deveria ter feito desde o começo: usou sua incrível força e memória muscular e simplesmente quebrou as paredes do hospício, conseguindo assim escapar do local.

Após a fuga, o Homem Nuclear não sabia para onde ir, porém, como ele estava no México, a primeira coisa que lhe veio à cabeça foi ir para a lendária praia de Acapulco, afinal, lá ele poderia, além de salvar pessoas, relaxar e gozar tomando um suco de limão que parece de groselha e tem gosto de tamarindo se por um acaso não servissem suco de laranja.

Então, o Homem Nuclear foi para Acapulco e, logo que chegou, viu um crime grave: um sujeito que tinha cara de tripa escorrida estava roubando uma inocente banhista loira num biquini de bolinha amarelinha. Como o Homem Nuclear não podia deixar passar esse crime, ele foi atrás do sujeito e, quando o alcançou, o Homem Nuclear mostrou que conhecia técnicas de luta extremamente avançadas, aplicando uma chave de perna no ladrão.

Porém, o Homem Nuclear não contava com sua astúcia que aquilo na verdade era uma gravação para um filme caseiro de Hollywood e que o ladrão era, na verdade, apenas um sujeito inocente com cara de tripa escorrida. Após saber desse fato, o Homem Nuclear, saiu com o rabo entre as patas. Mas, como ele era um herói hiper poderoso, ele não teve uma saída comum e mostrou que dominava com perfeição a "corrida em câmera lenta", habilidade secreta que ele aprendeu com o Rubinho, em uma de suas passagens pelo Brasil, mas retornou logo em seguida para aplicar mais um de seus poderosos golpe de MMA no Chapolin Colorado barrigudo que devia fazer uma cena picante em plena luz do dia na praia com a loirinha de biquini, pensando que esse se tratava de um marciano de Marte, mas na verdade era só uma imitação do Paraguai do Chapolin agenciada pelas Organizações Tabajara e com selinho de qualidade do Inmetro colado com cuspe.

Depois desse acontecimento, o Homem Nuclear, estranhamente, desapareceu misteriosamente, e ficou um bom tempo sumido. Reza a lenda que ele teve um encontro romantico com a Bruxa do 71 fazendo cosplay de enfermeira no jardim do hotel, onde rolou um clima durante uma rapidinha em que eles bateram um papo cabeça em espanhol sobre marcianos, mas a cena foi tão caliente que teve de ser cortada, pois o programa iria ao ar antes da meia noite e a reprise da reprise da reprise de Emmanuelle já havia sido anunciada para aquela madrugada.

Depois de algumas horas, o Homem Nuclear finalmente foi encontrado, e, quando ele apareceu, mostrou que, além de extremamente poderoso, ele também tinha uma resistência fora de série, pois estava deitado na areia embaixo do Seu Guilherme, que pesava em torno de 666 toneladas.

O Homem Nuclear ainda não terminou de mostrar a sua técnica. Pedimos que aguarde mais alguns instantes.

Após mostrar essa incrível resistência, o Homem Nuclear chamou uma caçadora de autógrafos, que estava querendo um autógrafo de todos os maiores ídolos de Acapulco e talvez algo mais para trocar uns vinte autógrafos deles por um do Francisco Cuoco. Na verdade, essa caçadora de autógrafos não fazia ideia de quem era o Homem Nuclear, porém, após ele se apresentar, ela ficou convencida que o Homem Nuclear era o cara.

Então, o Homem Nuclear deu um autógrafo com todo o seu carinho. Porém, ao término do autógrafo, o Homem Nuclear mostrou que não sabia controlar a sua força, e, repentinamente, ele simplesmente furou o caderno, que era feito com couro de boi altamente resistente. E ele conseguiu furar com uma caneta igual à que você tem em casa.

Depois de ter mostrado essa incrível força e virilidade, o Homem Nuclear sumiu misteriosamente pela segunda vez, sendo que não tinha Mãe Dinah ou GPS que o encontrava. E assim se seguiu, até que, depois de umas trocentas horas, o Homem Nuclear reapareceu e, para surpresa de todos os presentes, ele estava mais duro que o Seu Madruga quando o Sr. Barriga cobra os 14 meses de aluguel atrasado, dando uma de vilão perseguindo a banhista loira de biquini atochado que fazia parte do filme, querendo aproveitar o calor de matar que fazia para experimentar a técnica que ensinou ao MC Bola de Fogo de pegar a moça bonita, formosa e bem feita e atolar na areia.

Como o Homem Nuclear era muito poderoso, a única salvação da simples camponesa de nobre coração que vai todos os dias ao bosque recolher lenha nesse momento interpretando a banhista era o... Chapolin Colorado, que, em um momento de extrema habilidade, conseguiu dar um salto mortal carpado de uns oito metros para trás e conseguiu sair da água indo diretamente para o trampolim. Ao ver essa habilidade sensacional, o Homem Nuclear percebeu que lutar contra o Polegar Vermelho era uma cilada, e resolveu se render. Assim, a era de heroísmos do Homem Nuclear se acabava, e ele resolveu voltar para o hospício.

Ver também[editar]