Homossexualismo na pré-história

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é relacionado à história.

Não estranhe se ler que Brumário é um mês.

Enolagay2.jpg
JBemo.jpeg Este artigo pode te levar para o lado rosa da Força!

E fez aulas de sapateado quando era criança.

Não o leia, exceto se você for macho, mulher ou está pintando as unhas de glitter.

O homossexualismo contemporâneo todos conhecemos, já é mania nacional, aparece em tudo que é canto, e também conhecemos o homossexualismo no passar do tempo, desde as pederastias gregas, passando pela viadagem medieval, chegando na homoafetividade moderna, mas e como era o homossexualismo na pré-história?

O começo de tudo[editar]

Um cavernoso reparando a magia de um ânus. Cquote1.png Esse cu de coelho me deu uma ideia. Acho que usarei o meu pra outra coisa além de cagar... Cquote2.png

A homossexualidade já é algo comum entre os animais, mas entre os animais que chamamos de humanos começou com os homo erectus, que não receberam esse nome só por casualidade. Não havia muita diversão nesse período, sendo tudo muito primitivo, sem internet e boneca inflável, e também as mulheres eram feias, não faziam o pau ficar erectus. Foi aí que um exemplar homo erectus resolver dar a bunda, ele já estava na sua última gota de sanidade mental e já não aguentava mais transar com mulheres peludas... Não existia viadagem nesses tempos e dar a bunda provavelmente não faria alguém ser chamado de gay, mas foi o que aconteceu. O primeiro homem primitivo a dar a bunda não imaginava, mas acabou criando o homossexualismo humano.

Dizem os antropólogos que foi só surgir o fogo para o pessoal experimentar queimar a rosca. Precursor dessa arte, logo outros homens começaram a experimentar. Houve os que deram e não gostaram, e simplesmente não tocaram mais no assunto, ficando guardando em seu âmago. Entretanto, outros exemplares gostaram muito da prática do enrabamento primitivo, e foi dado o primeiro passo no LGBT das cavernas.

Surgimento das lésbicas cavernosas e outros gêneros[editar]

Algumas mulheres notaram a situação estranha que ocorrera, com homens fazendo papel de mulher e recebendo órgãos genitais em seus orifícios corrugados. Uma mulher teve a ideia então, "se o homem pode levar no lombo, por que não dar uma raspada na aranha de outra mulher?", e praticou o ato. Tudo foi registrado nas paredes de uma caverna, reconhecida pela UNESCO como a primeira raspada de xoxota entre humanos que se tem notícia. E realmente, muitas mulheres começaram a praticar o ato de fricção vaginal, e foi o pontapé para a criação do movimento feminismo nas cavernas.

Depois das lésbicas primitivas, surgiu a classe dos travecos das cavernas. Um dos primeiros homens a praticar o coito anal passivo teve a brilhante ideia de se vestir de mulher. Na real, as roupas eram iguais entre homens e mulheres, mas ele raspou toda a barba e injetou areia nos peitos, pra aumentar, por meio de um delicado procedimento cirúrgico inventado por ele mesmo. Só deu tempo de dar mais uma vez sua bunda pois logo ele morreu de infecção, mas estava inventado o primeiro travesti da história também. Seu corpo mumificado encontra-se exposto no museu do Peixe-Bola-Gato em Londres.