Hortolândia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Carroca1.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


Cquote1.png Você quis dizer: Favela? Cquote2.png
Google sobre Hortolândia

Cquote1.png Eu moro no Taquara Branca! Isso me dá tantas ideias... Cquote2.png
Viado sobre bairro do Taquara Branca, em Hortolândia

Cquote1.png Nunca mais volto Cquote2.png
turista desenformado pensando que estava em Campinas

Cquote1.png Nunca vi Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Hortolândia

Cquote1.png Vamos matar uns campineiros viados? Cquote2.png
Hortolandense sem o que fazer sobre passatempos na região de Hortolândia

Cquote1.png Já vou. Porque não me chamou antes? Cquote2.png
Outro hortolandense sobre citação acima

Cquote1.png Calma ai que já vou achar Cquote2.png
Você sobre procurando Hortolândia no mapa

Cquote1.png Ô fim-de-mundo! Nunca ouvi falar! Cquote2.png
Morador de Santo Antônio do Cré-Cré-Cré do Xipsuí de Minas sobre localização de Hortolândia

Cquote1.png Jardim Amandaaaaaaaaaaa! Tem Lugar! Cquote2.png
Cara da lotação sobre Hortolândia

Cquote1.png Lugar? Pro Jardim Amanda? Impossível! Cquote2.png
Passageiro sobre eficiente transporte público de Hortobrejo

Cquote1.png Tá bom, tem lugar. Em pé. Cquote2.png
Cara da lotação sobre citação acima

Cquote1.png Você quis dizer: Hortobrejo? Cquote2.png
Google sobre Hortolândia


Onde é que fica essa bosta?[editar]

Bem vindo a Hortolândia

Localizada à esquerda do fim do mundo, Hortolândia (Também reconhecida como Atolândia, Cocolândia, Mortolândia, Hortolama ou Hortobrejo, pelo seu ótimo padrão de vida), possui 269.666 pessoas morando na cidade, sendo 150.000 só no Jd. Amanda, e outros 12.000 só na Penitenciaria Ataliba Nogueira. Porém, dados não oficiais indicam que o município já ultrapassa a marca dos 500 mil habitantes. Um crescimento exorbitantemente rápido, levando-se em conta que na década de 1970 eram 10 e ¼.

Pão de Queijo[editar]

A cidade acha agora que é a bam-bam-bam do pão de queijo. E o pior, as cidades vizinhas estão concordando. Mas em fim, o importante é ser feliz.

População[editar]

Cquote1.png Você quis dizer: Maior população carcerária no brasil Cquote2.png
Google sobre Hortolândia

Cquote1.png Você quis dizer: Cornolandia Cquote2.png
Google sobre Hortôlandia

Aproximadamente 47% da população de Hortôlandia estão nas P1, P2, P3, P4 e PX...

Cquote1.png Você quis dizer: Cadeião de Cornolandia Cquote2.png
Google sobre P4

Os outros 20% estão abaixo da linha de pobreza Trabalhando nas Empresinha de Cornocity.

Cquote1.png Você quis dizer: IBM, Dell, EMS e Magneti Marelli Cquote2.png
Google sobre Empresinhas

Os outros 30% estão preso em outras penitenciárias devido a alta periculosidade.

Os outros 3% já viraram presunto.

História dessa droga[editar]

Hortolândia

O início tem origem entre o final do século XVIII e o começo do século XIX, quando a região incluía as sesmarias de Joaquim José Teixeira Nogueira, um dono de engenho de cana-de-açúcar. Durante o período da abolição, 1888, o neto de Nogueira, Francisco Teixeira Nogueira Junior, repartiu uma área da terra entre seus antigos escravos. A doação verbal não se concretizou e a área passou a pertencer a um médico americano conhecido com doutor Jonas. A ausência de documentos e registros de casas dessa época indica uma região pouco povoada.

O local era ponto de parada para tropeiros, colonos e escravos que costumavam descansar onde hoje é o bairro Taquara Branca (aliás, muita gente lá gosta de uma taquara com vaselina)

O marco definitivo para Jacuba veio com a inauguração da estação ferroviária de Campinas, em 1872. Os trens passavam pelo povoado sem parada. Somente 45 anos depois se instalou um ponto na região, a Estação Jacuba.

A característica urbana começou em agosto de 1947, quando a Prefeitura de Campinas autorizou o primeiro loteamento, o Parque Ortolândia, empreendimento de João Ortolan. Foi ele, também, o proprietário da Cerâmica Ortolan, hoje Cerâmica Sumaré, a primeira fábrica instalada em Jacuba. Outro empreendimento importante para a consolidação urbana da região foi o Colégio Adventista.

Até ai, o vilarejo integrava a área do distrito de Sumaré, pertencente a Campinas. Foi em 1953, por meio da Lei Estadual 2.456 que Sumaré recebeu status de município e Jacuba adquiriu o título de Distrito de Paz.

A mudança do nome do distrito ocorreu no ano seguinte, 1958, em virtude do nome Jacuba já batizar um distrito da região de Arealva. O Projeto de Lei, do então deputado Leôncio Ferraz Júnior, batizou a antiga Jacuba como Hortolândia, uma homenagem a João Ortolan. A letra “H” teria sido um erro de escrita, segundo contam antigos moradores.


A população está dividida em: 50% - cuzões e provincianos que gostam de brigar com garrafas, principalmente durante o carnaval; 30% - pequenos criminosos e bandidos pé-de-chinelo, a maioria oriunda das regiões mais atrasadas do Nordeste e do norte de Minas Geral 20% - políticos locais semi-alfabetizados.

A violência começou com a chegada de tropas nordestinas vindas do agreste com suas muambas e depois de matar todos os habitantes que moravam ali ficaram só os nordestinos e a violência foi dizimada


Transporte público[editar]

Ônibus: os ônibus são todos marcados de durepox e balas no interior do mesmo são encontradas camisinhas usadas, latas de cervejas, bitucas de cigarros, armas, fetos, Mórmons, pedintes portadores de HIV (daqueles que te dão um papel escrito que tem aids e você fica com medo de se contaminar só de pegar o folheto), tudo que o diabo gosta e mais um pouco, em certos pontos que o ônibus passa você tem que se agachar e rezar se souber, quem não sabe rezar xinga Deus e esperar os tiros e/ou pedras passarem.


Lotações: essas são as piores que pode existir com a sua velocidade média de 0,000096 km/h, elas param em qualquer lugar e ainda ficam um monte de vadia querendo dar o rabo pro motorista e/ou cobrador em troca de passagem gratuita, fazendo um barulho insuportável.

Hortolandenses decidiram pela criação do município[editar]

O crescimento relâmpago de Hortolândia resultou no crescimento dos recursos gerados pelo distrito. Na década de 1980, Hortolândia era responsável pela maior parte da arrecadação de Sumaré, ultrapassava os 60%. Era hora do distrito, que por tantos anos atuou como mero figurante no cenário regional, ocupar seu lugar de direito. A organização popular seguiu para o movimento pró-emancipação.

Os moradores queriam autonomia para definir o futuro de Hortolândia. Foi em 19 de maio de 1991, que 19.081 mil eleitores votaram “sim” no plebiscito que decidiu pela emancipação político-administrativa do distrito. Nascia, assim, da vontade popular, o município Hortolândia, formado por 110 mil habitantes que escolheram a região para morar, vindas de várias partes do país, em pleno êxodo rural, quando o Estado de São Paulo era o destino daqueles que buscavam oportunidades de trabalho e qualidade de vida.

Hortolândia: terra de oportunidades e gente de valor (pelo menos é o que o prefeito diz)[editar]

Em Hortolândia tem que pegar na inchada

Com mais de 120 anos de registros históricos, 18 deles com status de município, Hortolândia desponta na RMC (Região Metropolitana de Campinas) como uma cidade com grande potencial de desenvolvimento econômico. Estão hoje na cidade 231 indústrias, 704 empresas, 2.538 estabelecimentos comerciais, duas universidades e 5.337 prestadores de serviços.

A cidade é sede da multinacional IBM, que se instalou aqui em 1972. A empresa está situada no condomínio industrial Tech Town, que abriga outros empreendimentos de grande porte. É em Hortolândia, também que estão a Down Corning do Brasil, líder na fabricação de silicone (vide seios) e, ainda, a Belgo Mineira, a Magnetti Marelli, GKN, BS Continental e o grupo EMS-Sigma Pharma, referência na produção de medicamentos genéricos.

O desenvolvimento industrial deve-se à localização privilegiada da cidade no Estado. A proximidade de Hortolândia do Aeroporto Internacional de Viracopos, a presença de importantes vias rodoviárias ao seu redor e o fato de estar numa região de grande concentração de desenvolvimento no país, considerada pólo científico e industrial, são fatores primordiais e definitivos para atrair empreendimentos.

Um cenário favorável de crescimento econômico mas ainda com muitos desafios a serem superados. O salto populacional e a falta de investimentos em infra-estrutura resultaram numa cidade de grande potencial, porém, com muitas ações por se fazer. De forma resumida, a cidade representa a síntese dos municípios da RMC, com problemas a serem superados e uma amplitude de crescimento e desenvolvimento a olhos vistos.

Conhecida por muito tempo como cidade dormitório, a cidade está hoje mais ou menos acordada. O transporte intermunicipal é feito pela EMTU (Empresa Municipal de Trote Utilizado) e pela ORCA (Ortolândia Realmente Carece de Ajuda) e têm ônibus ou peruas a cada 5 minutos para Campinas, 1 hora para Sumaré, 1 hora (quando tem) para outros bairros.

Todas as linhas de ônibus intermunicipais são feitas por ônibus que rodam em estado precário, as demais linhas são feitos por objetos terrestres não identificados, que alguns chamam de 'urbaninho'. Quando os usuários tem sorte, os veículos tem até freios!!!É agora tem a Dell computadores e o povão das favelas só na vontade de ter um PC da dell é cruel. O pior de tudo foi a abertura de crédito que o governo deu, até com nome sujo compra carro... Hortolândia teve o maior índice de emplacamento de carro. Tinham que passar um alambrado com cerca elétrica na divisa com as cidades vizinhas para não ter tanto assalto nas cidades vizinhas........

Logo cedo na entrada de Campinas você só ve placa de Hortolândia,não precisa nem fazer força pra ler é só ver as letras todas amontoadas, já sabe donde é...(HORTOLÂNDIA)

A maior concentração de produtos ilícitos , carros roubados, cargas desviadas, estelionatários, foragidos........

Fábricas boquetas, fundo de quintal, bocas de porco........DE MÓVEIS ENTÃO NEM SE FALA..

Lixo de cidade,não sei onde é boa se todos vão trabalhar em Campinas..................

Quem tem a coragem de ser vereador lá?[editar]

Qualquer um que prometer sopão ao povo (vide burro). E o pior, ganha. O poder legislativo da cidade é feito por vereadores que são esfaqueados nas cidades vizinhas em shoppings.


Festa da mandioca de Hortolândia[editar]

O nome não faz parte com certeza de nenhuma festa GLS da cidade vizinha Campinas, apesar de ser um tanto difamador para a cidade de Hortolândia, não podemos deixar de citar que isso é superado pelos altos indíces da cidade de: alfabetização, baixos níveis de barberagem das mulas e de caroças nas ruas de terra, um sistema prisional eficiente sendo rarissimos rebeliões e decaptações de presidiarios, nada de noias e fumaleiros nas ruas a não ser na cidade vizinha irmã Suméré... Esse dados tem como fonte o govermo e o EXMLSR governador do destado de São Paulo Marcos Wilians Kemacho conhecido como Marcorola. Alías o governador de São Paulo tem na cidade um comité de seu partido o PCC aonde tem muitos adeptos confinados nos melhores hoteis da cidade, a P1 P2 P3 P4.

Uma vez por ano no dia 24 no mes 69 de todo o anu, cidadaons e cidadâns da cidade de Hortolândia festejam a festa da mandioca, é muito sucesso e frequentada por sua maioria do pessoal de Campinas, Rolândia, Ponta Grossa, Borrasopolis, Frescolândia e outras cidades suspeitas do oeste do Paraná e sul do estado gaucho.

A festa só dá ibope por isso graças a pessoas dessas cidades, até porque mesmo os cidadons de Hortolandia se ocupão com outras atividades de recreação como as enchentes dos rios, visitas a penitenciaria da cidadeP1 P2 P3 P4 , ir ao IML reconhecer algum parente, ou mesmo entrar em treta com a cidade vizinha irmâ Suméré em disputas pelo controle nas favelas do trafíco de trânsito e de motobois nas rodovias marginais.

Hino Popular de Hortolândia[editar]

Conhecida emissora de rádio da Região Metropolitana de Campinas realizou concurso público para criação do Hino de Hortolândia, tendo resultado parcialmente vencedora a letra de Dona Nena, víuva de Bozo, que diz:

Ortolândia, Ortolândia,

formosa terra, cercada de cadeias.
Vamos adiante, passo a passo, de a pé,
Vamos adiante, passo a passo, com barro no pé,
com barro no pé, com barro no pé, com barro no pé...

O lema atual da cidade, escolhido para incentivar a cultura no município, é "Hortolândia: Feche as Pernas e Abra um Livro" (as mulheres de Hortolândia por algum motivo acreditam que vagina é carro de palhaço). O lema anterior era "Hortolândia: Metendo Bala em Campineiro desde 1992".

Tecnologia de esgoto[editar]

O futuro de Hortolandia foi traçado pelo nosso Senhor Prefeito Padovani, este que por sua vez, criou a cidade sem nenhum saneamento básico muito menos planejamento, justo que Hortolandia possui o maior bairro (favela) da America Latina (o Amanda). Nosso Senhor Prefeito JK Padovani tentou, tentou, e cresceu 20 anos em 8 (dae a referencia JK) porem só conseguiu piorar o estado do saneamento básico.

Mas enfim, foi-se criada, através de grande projeto de engenharia dos Baianos cortadores de cana foram à Hortolandia para tenta resolver o problema até então criado, Foi então criado a nova tecnologia, que ja patenteada por eles resolve o grande problema de hortolandia, O ESGOTO VIA TECNOLOGIA WIRELESS (Tecnologia Sem fio).

Esta veio revolucionar o meio do Saneamento Básico do Mundo, já usada como teste em países como, Ipsilonquistao, Xisquistao e Zequistao na Zoropa, é altamente biodegradavel e não polui, sem riscos ao meio terrestre a nova tecnologia revoluciona.

Vale a pena lembrar que o Esgoto Wireless desenvolvido em hortolandia é o unico no mundo que possui a possibilidade de transmissão de dados através de conexão PRIVADA.


© Diretos reservados aos Baianos.