Icaraí

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.



Cquote1.png Você quis dizer: Cara? Cquote2.png
Google sobre Icaraí
Cquote1.png "Coé Leque tranquilo? visa sair? " Cquote2.png
Indígena de Icaraí com seu dialeto pré-histórico.
Cquote1.png "Uma turminha de indígenas alto-astral que irão arrumar confusões do barulho que até Deus duvida " Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Icaraí
Cquote1.png A praia de Icaraí é banhada pelo Oceano Índico. Índico! Pegou o trocadilho? Cquote2.png
Palhaço Carequinha sobre Icaraí
Cquote1.png O Melhor de icaraí é a vista para o Rio. Cquote2.png
Morador metido-a-evoluído carioca
Cquote1.png Na União Soviética, o Rio vista VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Rio de Janeiro
Cquote1.png Ai, amiga vou lá no shops da moreira césar e depois dar um rolé na praia com meu namorado Cquote2.png
Índia metida a patty realizando seu programa de índio (literalmente) semanal
Cquote1.png "IH CARAI!" Cquote2.png
Menor infratorfunkeiro

Icaraí ou Ih Carai! ou I caraca ou I rosto I é uma tribo niteroense composta basicamente de indígenas almofadinhas e índio-pesquisadores. Os muitos riquinhos e metidinhos da região consideram essa tribo uma população "evoluída" sendo assim localizada na zona sul de Niterói (mesmo se localizando no oeste) mas também... querer que índio saiba geografia é querer demais.

Atrações[editar]

Prefeito da cidade.

O Programão de Icaraí é composto por lojas onde europeus, estados-unidenses-do-sul e principalmente paraguaios vão comercializar suas grifes com os artefatos dos caboclos icaraienses. Grande exemplo disso são as aldeias comercializadoras das ruas Moreira César (ou New York indígena) e Gavião Peixoto (ou Paraguai requintado).

Reserva Florestal[editar]

Chamada de Campo de São Bento (Pajé da Região), que de campo não tem nada, foi construída para refugiar os índios e animais silvestres (como patos e pombos, estes aos montes) dos colonizadores. Tem também como atrativo um grande chafariz que é ligado de vez em nunca com o pretexto de não incomodar os peixes do lago. Há ainda dois carrosséis em ótimas condições (para o ferro-velho e contração de tétano) e uma avenida asfaltada onde em qualquer momento você pode ser atropelado pelos indígenas pilotando suas bicicletas. Hoje em dia, é muito usado por indígenas sem teto, e é praticamente proibido alguém que não seja da tribo dos sem teto entrar na Reserva. Se você entrar lá, tem muita chance de você ser roubado por indigenas com arco-e-flechas e/ou lanças.

Fossa Praia[editar]

Temos também a Orla da Praia, que de praia não tem nada. O mar é um verdadeiro vaso sanitário, esgoto ou fossa, como quiser, e a areia (chamada também de jornalzinho dos cães) parece até canela de tão escura e suja. O calçadão, também chamado de metrô paulista ao meio dia, é um ambiente super agradável onde vemos três classes distintas da tribo icaraienses: As curandeiras da tribo ou apenas velhinhas reumáticas que resolvem pegar sol e falar sobre a novela das sete; Os tiozões semcamisafodõespegotodomundo nas barras se exercitando e de vez em quando na pré fossa (jornalzinho dos cães); e também os pajés mais idosos semi-mortos que vão ao local jogar truco valendo o toba e conversar sobre seus últimos momentos de vida.

Adolescência em Icaraí[editar]

A juventude da tribo de icaraí se divide em algumas classes peculiares:

Os playbíndios que, quando estão em icaraí, passam o maior tempo na orla da praia junto com outros indígenas da mesma espécie trocando informações inúteis ou cheirando ervas que estes consideram medicinais na tribo (ou não). Estes playbíndios procuram sempre dar em cima das virgensmalcomidas, uma classe de indígenas femininas que estão sempre na New York de Icaraí (Rua Moreira César) falando no celular e comprando coisas de europeus para gaxtarem ("aparecer entre as amigas", no idioma português).

Temos os cablonerds uma classe social (aliás, nem um pouco social) que fica reservada entre si, discutindo assuntos da mitologia e conhecimento precário indígena afirmando que tupã é nosso deus supremo entre outras baboseiras sem nexo.

Encontramos também o emíndio, uma classe de silvícolas que têm características gótico-europeias devido à influência dos europeus que se perderam no caminho do RJ e acabaram por parar na aldeia. Esta classe tem poderes especiais tais como mal-agouro, macumba e magia negra. Portanto, caso venha a Icaraí (recomendo que nunca) não procure tal classe. A propósito, índio é o caralho e para de usar batom porque meu bagulho tá parecendo um arco-íris :D.