Império Mali

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Não é o país, idiota ¬¬


SheikYerbouti.jpg

"Vai tomar no cu", em árabe
Brimo, este artigo é árabe!
Certamente, o autor louva Alá e come esfirra, sem dar ré no quibe.



Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Império Mali.

Cquote1.png FUCK YEA! Cquote2.png
Sundiata Keita sobre Império Mali
Cquote1.png Eles eram negões Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Império Mali
Cquote1.png Na União Soviética, o Mali pratica o islamismo em VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Império Mali

O Império Mali foi um exército de negões árabes que dominaram a África após derrotar o Império Gana, outro exército de negões africanos. Talvez eles tivessem conseguido ir rumo à Roma, mas meu pai estava doente nesse dia.

Monarquia[editar]

Saúdem a bandeira do grandioso império.

Para saber sobre o Mali, leia o Alcorão. Sim, o Alcorão tem muitas citações sobre reis Malinenses, já que tinham um interesse na fé árabe e as 40 virgens. Tudo ficou mais fácil após o lance sobre matar judeus e ganhar 40 virgens no céu. Mussa Keita fez peregrinação várias vezes, e como o Egito ficava no caminho, ele passou para dar um oi para o rei da Núbia, outro negão, juntos obtiveram a guarda submissão dos povos somonos. A esposa de Keita, Konté (conhecida como a nega feia) foi mãe de Sundjata, o leão preto do Mali, um príncipe que não conseguia andar. De acordo com a tradição, Sndjata sobrevieu a um genocídio em sua família e estava predestinado a ser um dos melhores guerreiros do Império. Sua mãe cantou um hino nesse dia de libertação ao ver que seu filho paraplérgico poderia ser algo de útil, ao contrário das criancinhas do Teleton. E esse hino tem muitas coisas parecidas com o Hino Nacional do Mali. Tendo saído por causa de algumas briguinhas, Sundjata voltou 4 anos após a morte de teu pai liderando um grupo de pessoas de diferentes etnias, asiáticos, negros, judeus e pessoas de pinto pequeno. Depois de derrotar o antigo afro-imperador. O grande Sundjata era o novo Mansa-Negão.

Império[editar]

Konté, a feia

Em 1240 Sundjata se tornara o grande Mansa na cidade de Error 404: O navegador não pôde localizar a cidade. Procure uma cidade branca. A corte passou por diversas cidades, até parar em Niani. Nos anos seguintes, Sundjata andou e conquistou muitos reinos, mesmo que não conseguisse andar. Morreu em 1255 num acidente, que poderia deixá-lo paraplérgico, mas como ele já tava na cadeira de rodas, decidiu morrer antes que virasse um peso de papel.

A sociedade foi dividida em clãs: artesãos, homens de guerra, machões, homens livres e brancos. Existia escravidão no Mali e os casamentos eram de acordo com a caspa casta. Diferentes castas não se misturavam, ou seja, brancos e negões não casavam, embora um harém cheio de negros grandes, suados e fortes não conseguisse conter as escravas brancas. A guerra era levada pelo camponês guerreiro, que tocava o tambor e iniciava a matança. Mali era um império agrícola, plantando coisas que o Tio Bob gostava.

Mali creceu e fortaleceu-se até o ano 1545, quando as pessoas ficaram de saco cheio de um império de negões-homens-bomba explodindo toda hora.

TysonBeckford.jpg

Grandes Impérios Africanos