Indaiabira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Indaiabira é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
O índice de desemprego lá é 290%.

Sciences de la terre.svg.png

Indaiabira é um lugar inexistente, embora eu pretendo descrevê-la. A cidade inexistente localiza-se no Norte Mineiro. Vizinha de Montes Claros. Acho que é por isso que ninguém mora lá. Ela está em pleno desenvolvimento: desenvolvimento de mato em volta. Sua população cresce-decresce.

Política

Este item não merece atenção especial. Os prefeitos são sempre os mesmos. Entra um, fica dois mandatos, o povo se enraivece e o tira. Entra outro e segue da mesma forma. Ai, nem sei se ganham alguma coisa com isso. Quem vai investir em uma coisa tão pacata? O prefeito atual é o Marcos, um veterinário que veio de fora e comprou o povo e até agora não fez nada. Pelo menos provou que Veterinária não tem nada a ver com política.

Ele recebeu o apelido de "azeitona" por que só dá uma vez no ano e ele só aparece uma vez no mês e olha lá.

Economia

A economia se envolve com umas pingas lá, já que a população abastece a Cachaça Salinas uma rainha da região em produção de aguardente. Sem contar que a Italmagnésio possui mais da metade do município em território e dá emprego pro povo de outras cidades.

Lazer

O povo do Coquêro (apelido) se diverte na pescaria. Tanto é que até inventaram a música de quem "ta nervoso vai pescar". Pena que a barragem seca todo ano. Mas antes disso dá pra pegar peixe na cueca. Também vem sempre um circo na cidade. A entrada é um real e, além disso, o prefeito tem que pagar, senão não vai ninguém.

Emprego

Emprego não precisa nem dizer né. Só entra quem o prefeito quer. Se for contra a política, vai catar coquinho na rua. A maioria dos desempregados vão para as metrópoles. São Paulo, principalmente. Especificamente, vender mandioca e frutas na rua, ou fazer gesso em Indaiatuba.

Religião

O pessoal coqueirense é muito religioso. Apesar de não morar quase ninguém, há umas cinco igrejas. Aí se imagina a concorrência e consequentemente, revoltas religiosas. Coitados religiosos que sobrevivem dessa gabiroba. Se o povo não fosse caridoso, passavam fome.

Identidade

Em Indaiabira há várias figuras distintas: Manelina (é o sabão de lavá pé, lavá pé, lavá pé... Bis{100X}) e Kilão (esse é gente boa) e o resto já morreu...

O povo do Coquero é meio zoiudo, como também não mede a língua pra falar de alguém. Todo mundo conhece todo mundo...

Precisa-se

Assim fica fácil você achar não é? Teriámos ser mais específicos?
  1. De um Médico com titulação em Medicina
  2. Técnicos e Auxiliares de Enfermagem com titulação em Técnicos e Auxiliares e não de Enfermeiro.
  3. Um novo prefeito que governe bem
  4. Que tire um mercadinho (é demais pra pouca gente)
  5. Vendam menos pequi
  6. Fiscalizem os nóias do bairro de cima
  7. DE POLÍCIA!!!
  8. Zezé di Camargo e Luciano/ Calipson na festa de São Pedro (espere sentado)
  9. De impressão mais barata na cidade
  10. Medicamento no Posto
  11. Um concurso sem trapaças
  12. Binóculo pra ver o fim do prédio de Zé de Maurina.

Educação

E até que enfim, a educação é de péssima boa qualidade rendendo várias exportações humanas para o Mercado Camelô. A Funorte é uma febre de 800 C. É uma segunda opção pra quem não passa na UFNMG (é melhor passar nessa senão perde o emprego).

Essa alternativa não valeu pra dois bocós que passaram na UFV. Um desistiu dos animais porque viu que a doidura estava nos humanos desta vila e resolveu ajudá-los. O outro é físico nato porque quando Jairão aposentar, a vaga já é dele. Isso se ele sair de lá.