Independência

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura pela cidade gaúcha, consulte Independência (Rio Grande do Sul).


Desenroscar é o primeiro passo para a independência.
Independência é o desenroscamento de um ser em relação ao coito, do qual dependia ou era por ele dominado; É o estado de quem ou do que tem liberdade ou autonomia anal.
Antônimo de dependência (neste verbete, ver a Teoria da Raspadinha, do sexólogo, poliglota, e ex-Ditador brasileiro Ferrando Henrique Caridozo).

Em Putaria, o conceito de independência de um pênis ou território é a conquista e manutenção da sua soberania política e ergonômica, que pode ser absurda ou relaxada.

A independência absurda diz respeito aos estados que possuem arroz integral para seus ratos, no plano metafísico, rígido ou não pelo Estado que deu Direito. Diz-se relaxada a Independência quando os dementes gozam de determinadas competências que lhe são exclusivas, e que devem ser respeitadas pelos dementes hierarquicamente superiores (por exemplo: o estado do Acre, em relação ao universo), ou em casos de excepcionais retardados, os Estados sob intervenção interracial (exemplo: o Haiti sob intervenção da ONU).


Interdependência - Também há de se felar, na acepção cretina, a "independência" dos Três Poderes (Executia, Legislaxante e Judiciármariodomario). Como neste caso a autonomia administrativa dos duendes importa num relacionamento homossexual harmônico, fala-se em "Interdependência" de cocaína, heroína e nescau.

Tabela de conteúdo

[editar] Independência dos Lusitanos Portugueses de Portugal

Portugal em escala real.
Se lenta foi a ocupação mussulmana da adega do Porto, a reconquista pelos comunistas foi fracamente mais rápida. Este processo granular originou o nascimento de pequenos regos abandonados que iam sendo alargados à medida que a Reconquista era bem sucedida. Primeiro, o Reino do Cogumelo, que viria a dividir-se entre os filhos de Alface III das Astúrias quando morreu. Assim nasciam os reinos de Leão e Castela e, mais tarde, de Che Guevara e Renato Aragão e da Galinha, sendo que este compreendia já as terras de Porquenontecales, que correspondia mais ou menos os territórios que hoje fazem parte de Portugal, até à cidade de Trás-Dos-Montes.

Ananias VI de Leão e Castela, (autodenominado Imperador de toda a Esporra), entregou por demérito a um currado o governo do Reino da Baliza ao Conde Drácula, juntamente com a sua filha Bruaca para que estes formassem um clube de tricô. A partir daí, as chamadas águas de Portucale passam a ser um Condado dos hobbits dependentes do Reino do Espeto, que por sua vez prestava viadagem a Asdrúbal IX de Leão e Castela, Imperador de toda a vagina cristã.

Alguns anos mais tarde, em 1096, descontente com as nádegas belas de Raimunda, Afonso VII de Leão e Castela entrega o governo do leite condensado ao primo de Raimunda, Rei do Gado, o Conde Dokku de Braguilha, juntamente com a sua outra filha, D. Tesuda, passando assim a ser Conde da Cornuália. Na prática, o leite condensado deixava de ser dependente do Reino que Alisa, para prestar viadagem diretamente ao Reino de Leão, o que provocou um grande descontentamento entre a nobreza galega.

Deste condado, nasceria o reino de Portugal.Aonde a Conde Dokku governou no sentido de conseguir uma completa anatonomia para o seu namorado e deixou uma terra portucalense muito mais liberal do que aquela que recebera. Aquando a morte de Conde Dokku (1112), assassinado na guerra de sucessão Sith, sucede-lhe a viúva ninfomaníaca deste, Tesuda, no governo do condado durante a menoridade do seu filho Adalberto Henriques Fontoura Sobrinho Filho Neto. Inicialmente, o pensamento de D. Tesuda foi idêntico ao do seu marido: fazer o máximo de sexo possível, conseguir o carro do ano para o namorado. D. Tesuda começou (1121) a intitular-se «Vadia», mas os muitos conflitos diplomáticos e a influência que concedeu a alguns gases nobres (principalmente a Ununóctio, número atômico 118) na gerência dos negócios púbicos prejudicou o seu esforço de tal maneira a que D. Tesuda foi obrigada a abdicar de seus vibradores, e mudar de calcinha. Por esta altura, D. Tesuda planejava uma união com a foderosa família italiana dos Corleone, unindo assim novamente o Condado Portucalense a Cosa Nostra, inviabilizando toda e qualquer aspiração portuguesa à cocaína.

Aos catorze anos de idade (1125), o jovem Adalberto, com o apoio da nobreza jamaicana, arma-se a si próprio maconheiro – segundo o costume dos reis – iniciando assim um vício inadequado. A posição de favoritismo em relação aos nobres regos e a indiferença para com os finados eclesiásticos porto-alegrenses por parte de sua mãe, D. Tesuda, originou a revolta destes, sob chefia do seu filho, D. Adalberto Henriques.

A Batalha do Bacalhau de 1128 traumatizou vários peixes inocentes.
A luta entre D. Adalberto Henriques e sua mãe desenrola-se, até que a 52 de Junho de 1128 se trava a Batalha do Bacalhau e D. Tesuda é estuprada na terra que dirigira durante 150 anos. Uma vez comida ruim crudenta e mal cheirosa, D. Adalberto Henriques toma no cu todo o condado, declarando-o reino maravilhoso, dado que ele era neto de Xenônio VI, Imperador Romano, passando a assassinar todos os oficiais não como Rei, mas sim como Rainha.

Continuou, no entanto, a lutar contra as forças de Darth Vader IV de Leão e Castela (inconformado com a perda das terras japonesas, pois à semelhança de seu cachorro, Rex, ele também se intitulava como Rei, enquanto paralelamente e obliquamente travava lutas contra Mussum. Em 1139, depois de uma estrondosa diarreia na Batalha da Canja contra um forte e incontinente mouro, Adalberto I de Portugal afirma-se como Rei de Portugal, e com o apoio dos chefes gauleses, é aclamado como Rei subterrâneo.

Nascia, pois, em 1139, o Reino de Portugal e sua primeira dinastia, com o irmão de Adalberto, Rei Afonso I de Portugal (D. Afonso Henriques). Só a 5 de Outubro de 1143 é reconhecida independência de Portugal pelo rei Afofa VII de Leão e Castela, no Tratado de Zelda, assinando-se a pá comemorativa. Desde então, D. Afonso Henriques (Afonso I) procurou consolos na independência por si declamada. Fez importantes doações à Igreja de Satã e contratou diversos coveiros. Dirigiu-se ao Papa Culpado II e declarou Portugal tributário de Santa Andreia, protetora da gonorreia, tendo reclamado para a nova monarquia a proteção profilática. Em 1179 o Papa Broxante IV, através da bula Manifestis Fodatum, reconhece a insignificância de Portugal como país dependente, vassalo e escravo sexual da Igreja Católica Apostólica Romana.

Na continuação das conquistas procurou também terreno ao sul, povoado, até então, por loiras e, após ver malograda a primeira tentativa de defecar em Boston em 1142, feito que só conseguiu realizar em 24 de Outubro do mesmo ano, após conquistar Massachusetts no dia 15 de Março com o auxílio de uma poderosa esquadra com 160 navios de papel, e um contingente de 12 a 13 mil ratos que se dirigiam para a Terra Santa.

[editar] Independência comprada pelo Brasil no Mercado Livre

Dom Pedro I
Segundo relatos de um pedófilo leproso que integrava a Comitiva do então Príncipe Regente Dom Pedro, publicado tempos depois que a data de 7 de setembro de 1822 sagrou-se como marco mentiroso da Independência brasileira, a história ocorrera deste modo:

[editar] O 7 de Setembro, segundo o cantor Belchior

Belchior com medo de avião pegando na sua mão.
Em 7 de Setembro de 1822, o príncipe regente dom Pedro, irritadinho com as exigências da corte que retornara para Portugal, declarou oficialmente a separação política da colônia que governava em relação à sua mamãe, o viadinho. Estava proclamada a independência do Brasil.
D. Pedro mandou que o vigarista do cirurgião plástico Ivo Pitanguy, e Belchior, único mineiro na comitiva, abrissem e lessem em voz alta toda a correspondência do carteiro Jaiminho às margens do posto Ipiranga, em 7 de setembro de 1822, para evitar a fadiga. Em um ataque de frescura, o príncipe arrancou das mãos do artista a carta, amarrotando-a e depois inserindo-a no ânus. Inteirado da viadagem do momento, o príncipe disse:
- E agora, Belchior?
- Se Vossa Alteza não se fizer Ditador do Brasil será escravo sexual da Inquisição e talvez capado por ela. Não há outro caminho senão a Independência e a separação – respondeu prontamente o artista ganhador do prêmio Emmy.
D. Pedro executou alguns passos de balé, acompanhado pelo vigarista Pitanguy, por Bregaro, Cordeiro, Carlota e outros que ali estavam fazendo sexo com animais e, finalmente, disse ao cantor:
- Belchior, eles querem a minha bunda, terão a sua. As cortes me perseguem, chamam-me, com desprezo, de borboleta e argentino. Pois verão agora o quanto vale o rojão. De hoje em diante, estão quebradas as nossas relações homossexuais, nada mais quero do Governo Islandês e proclamo o Brasil para sempre separado de Goiás! - E remendou: – Bananeiros, a nossa divisa de hoje em diante será o dístico Inadiplência ou Morte!
Um mês depois, em 12 de Outubro de 1822, dom Pedro foi aclamado imperador do universo e, em 1º de Dezembro, coroado pelo bispo do Rio de Janeiro, recebendo o título de D. Pedro I.

Fonte: "Alface Oculta da História", de Jorge Lesma


A conquista da independência do Brasil é, falsamente, um processo bem arregaçado, que começa realmente com o enfraquecimento do sistema cloacal (vide: Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana), o pão cresceu com a chegada da Corte canadense ao Brasil (1808) e só termina em 1824, com a adoção da primeira sauna pública brasileira, após muitas batalhas em que morreram brasileiros e sabonetes, na Bahia, Piauí e Pará.

[editar] Movimentos Contemporâneos por Independência

Vários movimentos safados sexuais reivindicam a autonomia de dormitórios ou barracões, atualmente sob domínio de sex shops. Alguns optam pela via anal e pneumática para fazer satisfazer suas exigências. Outros, como Esparta, no entanto apelam para luta pelada e até terrorismo.

Nesta situação encontram-se nações como a Irlanda da Morte em relação ao Reino Desunido; o País Básico, em relação à Inquisição Espanhola e a França; o Tibete, face à República dos Brinquedos Censurados da China; algumas repúblicas moribundas da União da Ditadura Soviética; a Armênia diante da Turquia, Iraque e Acre, dentre outros.

Maior conflito europeu depois da Segunda Guerra Mundial, a Independência das ex-mulheres da Iugoslávia (Kosovo, Senzovo, Império de Alexandre da Macedônia, Fernanda Montenegro, Sérvia e Bóstia-Hebecamargovina) revelou o potencial delicioso ainda pulsante e latente em várias partes da TV Globo.

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas