Independência (Ceará)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Independência
"Porronca (isso não é uma piada)"
"Tem outra lá no Rio Grande do Sul
"
Bandeira-indepedencia.png Brasão-indepedencia.png
Aniversário 4 de dezembro
Fundação 24 de julho de 1857
Gentílico independenciano
Lema Água ou morte!
Apelidos Dom Pedrense II
Prefeito(a) Luiz Valterlin Coutinho (Partido do Brizola e do Lupi
Localização
Localização de Independência
Estado Ceará
Mesorregião Sertão
Microrregião Não disponível
Municípios limítrofes Não disponível
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 3.219 km² km²
População 25.620 (23 novos pivetes a cada dois minutos) hab. 2012
Idioma Cearense
Densidade 140 hab./km²
Altitude 343 metros
Clima Semi-árido
Indicadores
IDH 0,254 Ontem
PIB R$ 154,00 02/05/1935
PIB per capita R$ 0,03 12/07/2017

Independência (não confundir com independência do Ceará, algo que nunca acontecerá), sendo que o nome mais correto do município seria Dependente de Crateús, é um pequeno município brasileiro sem nenhuma utilidade pro nosso pais. Na verdade não é a única "Independência", tem uma outra lá no Rio Grande do Sul, município também sem nenhuma utilidade.

História[editar]

Cópias em miniatura de mal gosto do World Trade Center na entrada da cidade.

Um dos territórios mais antigos do Ceará, surgiu como uma mera fazenda em 1971 de sertanistas perdidos no interior cearense, preguiçosos o bastante para não terem migrado para o Amazonas onde famílias cearenses foram muito mais bem sucedidas. O que influenciou o curso da história da cidade foi quando em 1810 um frei maluco começou a ameaçar os fazendeiros da região com profecias envolvendo baleias voadoras, pedofilia e chupa-cabras. Como a população da região nunca teve inteligência e instrução como seu forte, todos construíram uma grande capela às pressas para acalmar aquele maluco charlatão, e ao redor da capela surgiu o primeiro núcleo urbano sob o nome de Pela-Saco, homenageando os fazendeiros que construíram aquela capela para nada.

No ano de 1857 o vilarejo conquistou a sua independência de Crateús, e como não haviam ainda pessoa alfabetizadas na região, mais ou menos como hoje, o nome da cidade passou a ser Independência mesmo, e como na época ainda não havia chegado no interior do Nordeste a tecnologia da cartografia, ainda acharam que pertenciam ao Piauí. Posteriormente, Independência seria comprado do Piauí pelo Ceará pela quantia soberba de 5 jegues e a decadente e abandonada praia de Luís Correia.

Geografia[editar]

Localizado no meio de um deserto, ao redor da cidade existem alguns açudes precários que estão sempre secos, sendo que desabastecimento de água são fatos totalmente corriqueiros.

Economia[editar]

Como toda cidade nordestina que se preze, Independência do Ceará é ridiculamente pobre e carente, e sua economia é totalmente baseada no escambo que ocorre no Mercadinho Municipal, o lugar no mundo com o maior número de produtos vencidos e de procedência duvidosa por metro quadrado. Apesar do nome da cidade, na prática, Independência é 100% dependente de Crateús.

Turismo[editar]

É claro que num fim de mundo não existem pontos turísticos interessantes e absolutamente nada para se fazer. O único lugar mais ou menos visitável é a Igreja de Sant'Ana e sua praça, mas é tão tedioso que nem dá para recomendar visitar lá.

Outro ponto interessante são monolitos na entrada da cidade, que são enormes paralelepídedos que poderia ter sido usados para construir meio-fios na cidade, mas preferiram preservar aquelas quatro enormes pedras.