Independência do Brasil

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
40967074 nikita.jpg Este artigo é relacionado à história.

Cquote1.png Mas no futuro, o passado já aconteceu! Cquote2.png
Fantasma do Natal passado sobre história.

Cquote1.png Você quis dizer: Dia de São Nunca Cquote2.png
Google sobre Independência do Brasil
Cquote1.png Que independência? Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Independência do Brasil
Cquote1.png Ele nunca quis nada comigo Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Dom Pedro I
Cquote1.png É tudo meu! Cquote2.png
Dom Pedro I sobre Independência do Brasil
Cquote1.png Lá no Posto Ipiranga! Cquote2.png
Um simples vendedor de cestos, quando perguntado sobre onde a Independência estava sendo proclamada

A Independência do Brasil foi o movimento de tentativa de fazer o nosso país parar de querer ser os E.U.A. Vamos analizar profundamente os indícios e movimentos que iniciaram essa merda.

Insatisfação no Brasil[editar]

Cquote1.png Putz, meu, Joãozinho tá vindo, que merda... Cquote2.png
Brasileiros sobre Fuga da Corte Portuguesa

Dom João VI e D. Maria, a Louca entusiasmadíssimos em vir para o Brasil
É, aí começa o problema: Joãozinho VI fica com medo de Napoleão e vem pra cá. Ele poderia ter fugido para qualquer lugar, mas a Pátria amada Brasil era maior e Napoleão cansaria seu traseiro francês procurando por ele aqui. Lógico, depois do sacode na Rússia, qualquer um ficaria assim.
Vir para o Brasil custaria dinheiro, muito dinheiro, então Joãozinho fez o que qualquer senador brasileiro teria feito: aumentou os impostos. Colocaram Impostos para tudo: impostos para cobrar imposto, imposto para pagar imposto, imposto para existir imposto, imposto para ser escravo, imposto para ter escravo, imposto para ser impostor, e lá vai fumaça. Isso deixava os brasileiros putos da vida, pois quem mandava no país era o país, não um velho, gordo, barbudo que tinha medo de um cara que não tomava banho. Já estava na hora de Joãozinho se mancar e deixar o país livre de piadas de "A praça é nossa".
ANTÔNIO NUNES!!!
Outra principal reclamação era os privilégios, quem disse que só os portugueses podiam ter cargos altos? Eles vieram aqui, pegaram NOSSAS índias gostosas, usaram NOSSOS índios como escravos, exploraram NOSSO ouro e foram comidos por NOSSOS negões e a gente não ganha nada com isso? Meu pau de óculos!. A pobraiada começou a questionar e xingar a burguesia portuguesa. Não raramente a polícia intervia carinhosamente. Tudo isso mostrava como todo mundo amava Joãozinho VI.

Insatisfação em Portugal[editar]

Cquote1.png Quanto tempo esse puto vai ficar naquele país? Quê que as mulheres de lá tem que as daqui não têm? Cquote2.png
Portugueses sobre Corte portuguesa no Brasil

Ferrou com tudo, até em Portugal odiavam Joãozinho. Até 1814 era bom que ele ficasse lá protegendo a própria vida, mas depois que Napoleão se foi, Joãozinho poderia esquecer as bundas e voltar à sua terra natal. Mas quem consegue esquecer o Brasil? Joãozinho VI gostou tanto do país, bebeu tanto no país que elevou nossa nação a Reino Unido de Brasil, Portugal e Algarves. Assim, o Brasil se equiparava a Portugal. Fodeu, Joãozinho.

Insatisfação em Pernambuco[editar]

Cquote1.png Revolução, né, parece que vai dar certo isso. EU SEMPRE QUIS FAZER UMA INSURREIÇÃO ASSIM Cquote2.png
Zeca Pimenteira sobre Insurreição Pernambucana

Felipe Camarão aprendendo os ideais revolucionários e derrotando o Marquês de Pombal

Nesse momento Pernambuco começa a aderir ao movimento, véio. Em 1817, idéias revolucionárias e outras baboseiras capitalistas passaram na cabeça chata da elite pernambucana. Pouco a pouco os ideais foram crescendo até decidirem fazer uma revolta para entregar o governo nas mãos da elite do povo brasileiro.
Como nem tudo são rosas, o governo interveio ["interviu" é só para os mais burros] civilizadamente e o Governador Caetano Pinto de Miranda Monte Afrodescendente determinou a prisão dos envolvidos. Alguns foram detidos, mas como sempre tem um fanfarrão pra ferrar com tudo, um dos militares rebeldes matou um cara branco, sendo punido da maior forma possível e deflagrando o movimento negro revolucionário. O governador ficou com medinho, e teve que se ausentar, enquanto os Pernambucanos metidos a avançados já redigiam o esboço da república. Para ajudar no boicote, durante as missas trocavam o vinho e o trigo pela cachaça e pela mandioca.

Mas pouco a pouco o movimento foi esfriando e os pernambucanos voltaram à calma e à vagabundagem que herdaram dos baianos.

Cquote1.png Ah cara, deixa isso. Isso só vai acontecer daqui a 72 anos. Deixa que o imperador talvez tenha uma filha que seja tarada por negões, assine a abolição da escravatura e inicie o estopim do movimento Cquote2.png
Felipe Camarão sobre André Vidal de Negreiros

Revolução do Porto[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Revolução do Porto

Cquote1.png Será que se a gente fizer merda por aqui ele volta pra gente? João, volta, precisamos de você... BUÁÁÁÁÁÁÁ Cquote2.png
Portugueses sobre Dom João VI

Definitivamente D. João precisava voltar para Portugal. Poxa, todo mundo lá cheio de saudade do cara, e ele continua no Brasil. Em Portugal tava comendo o couro. Durante sua estadia aqui, embora todos já estivessem de saco cheio dele, Dom João não imaginava que os portugueses estivessem tentando empulsar os ingleses do poder, já que eles tinham derrotado Napoleão. A Revolução ia crescendo,crescendo e crescendo até que os magnatas resolveram mandar uma cartinha de amor para que Joãozinho voltasse para a terra do vinho. Quando souberam das revoluções em Portugal, os brasileiros não tinham outra coisa a dizer:

Cquote1.png SOME DAQUI! SOME DAQUI! (42x) Cquote2.png
João Gordo Brasil sobre Dom João VI

Dia do fico, independência e o fim é só o começo[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Dia do Fico

Cquote1.png Tá bom, eu vou, mas meu filho fica. Apaga a luz quando acabar Cquote2.png
D. João VI sobre D. Pedro I

É, acabou. Infelizmente, inicia-se mais um tópico na história do Brasil. Foi bom enquanto durou a nossa relação com Portugal, mas uma hora a gente tinha que caminhar com os próprios pés. Agora estava na hora de o Brasil passar para as mãos dos Mc Donald's Unidos ser independente.
Agora que Joãozinho tinha colocado sebo nas canelas e parado com as piadinhas da Zorra Total, Dom Pedro necessitava de alguém para ajudá-lo a conduzir este país, antes que ele fizesse merda, como comprar o Acre e perder o Uruguai. O escolhido foi o sábio José Biquíni Fácil. Cada vez mais, Portugal pressionava o nosso jovem imperador a voltar para casa e comer bacalhau. Para mostrar todo seu amor, carinho e compaixão por ele, José Bonifácio (do nada, em um dia) conseguiu um dossiê com mais de oito mil assinaturas de nobres, magnatas e outras pessoas importantes em 29 de dezembro de 1821 que provava que ele teria engravidado uma escrava. Então em 9 de janeiro Dom Pedro I diz:

Cquote1.png Puta que pariu!!! Vocês descobriram. Se é pro bem da nação e felicidade geral, e para que não fique com rabo preso aqui, diga ao povo que fico. E me mande mais uma escrava Cquote2.png
Dom Pedro I

Esse foi o primeiro de vários acontecimentos que levaram o Brasil a ficar de mal com Portugal. Mas os padeiros não iriam deixar só por isso, em setembro, enviaram uma carta pedindo a volta de Dom Pedro I. Dom Pedro estava soltando um barro enquando passeava de mula voltando de São Paulo após os "manos du Curintia" roubarem seus pertences. Felizmente, o mensageiro conseguiu alcançá-lo:

Cquote1.png Puta que pariu!!! Você de novo!!! Meu pau de óculos que eu vou voltar pra lá, prefiro a morte Cquote2.png
Dom Pedro I

Cquote1.png INDEPENDÊNCIAAA OU MOORTEE PORRAAA!! Cquote2.png
Dom Pedro I

E assim acaba a nossa aventura pelo passado distante e sem graça do nosso país. Pelo menos ainda não compraram o Acre.

Historinhas relacionadas[editar]