Indianópolis (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Indianópolis eram para ser uma cidade dos Estados Unidos, bem sucedida e que conseguiu tudo isso graças a ignorância dos habitantes em exigir serviços públicos de verdade em troca de uma pista de Nascar.

A Indianópolis que estamos falando está a milhares de centenas de quilômetros dos Estados Unidos... Mas mesmo assim se pode sentir o fedor pútrido da região de Indianópolis de Minas Gerais.

História[editar]

Eis Indianópolis (na região marcada em vermelho)

Não tem nada de interessante na cidade. Porém, falam que quanto a história da cidade, quando apareceu o primeiro vendedor de cachorro quente da região, todos foram provar a salsicha rechonchuda que ele tinha... Claro, leve isso no mal sentido, pois você está na terra de ninguém agora! Indianópolis é um lugar onde se falsifica qualquer coisa que se mova ou então que possa ser vista: a cidade tem até uma cópia mal feita do Ronaldinho Gaúcho, e olha que se ele nem é mais o melhor do mundo, imagine a cópia dele!

A cidade começou a crescer quando cresceu o primeiro pé de mandioca em formato de pênis na região. Todos iam abraçar aquela mandioca gigante e fálica. No dia em que alguns tentaram usar essa mandioca titan parma fazer um almoço, a cidade vendeu o único motivo de ter gente lá. Então o prefeito deu o golpe na população...

População[editar]

Ele disse:

Cquote1.png Quem comeres desta mandioca que nós diz, irá ser condenado a vagar eternamente por Indianópolis! Cquote2.png
Prefeito sobre o golpe da mandioca, como foi conhecido

Assim, 5000 pessoas se alimentaram da mandioca e nunca mais saíram da cidade. Se algum dia você for lá verá que a maioria das pessoas de lá tem um rosto feio e carrancudo que fica observando os estrangeiros como se gritasse por ajuda dentro mas por fora apenas pode dizer isso com uma cara de cu.

Geografia[editar]

A geografia é perfeita para fazer um campo de futebol vagabundo da cidade e a única praça que vende algo que não seja pão de queijo em Minas Gerais. Os outros fatores restantes não importam muito: relevo comum, clima comum... Em outras palavras, tudo lá é chato e comum.