Indiana Jones and the Infernal Machine

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Indiana Jones and the Infernal Machine é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, o príncipe foge do Dahaka


Indiana Jones and the Infernal Game to Play
Indiana Jones and the Infernal Machine cover.png

Capa da versão para N64

Informações
Desenvolvedor Luquinhas
Publicador Luquinhas
Ano 1999
Gênero Teste de paciência
Plataformas Nintendo 64 com controle quebrado
Avaliação 4/10
Idade para jogar Livre

Indiana Jones and the Infernal Machine é um jogo aleatório e esquecido pra PC, mas que encontrou seu auge quando posteriormente foi hackeado para Nintendo 64 se tornando um dos jogos mais carismáticos daquele console devido ao excesso de bugs que tornavam o jogo único. Ainda recebeu um port para Game Boy Color que piorou o game ainda mais. O jogo é atualmente considerado bem valioso, mas apenas por ser um jogo raríssimo, longe de qualquer qualidade.

Desenvolvimento[editar]

Jogo amplamente conhecido por sua vasta quantidade de bugs e glitches, não havendo um cenário ou parte sequer em que não haja algum tipo de glitch, esse tipo de resultado só foi possível porque a desenvolvedora Factor 5 estava muito ocupada fazendo bons e esmerados jogos de Star Wars para Nintendo 64 e separou apenas 10 estagiários da LucasArts para fazer o joguinho do Indiana Jones, e no final ainda reduziu essa equipe para duas pessoas formada por um faxineiro e uma tiazinha que serve o café.

Com todo esse contexto, a equipe decidiu criar um jogo propositadamente bugado, cientes que seria impossível fazer um jogo visualmente e mecanicamente bonito tipo um Star Wars: Rogue Squadron, a equipe decidiu apostar em trazer diversão aos jogadores criando situações bizarras como: Indiana Jones atravessando paredes, Indiana Jones morrendo do nada, Indiana Jones nadando no ar, um jipe que ignora as leis da física mecânica e uma quantidade indescritíveis de toneladas de bugs.

Jogabilidade[editar]

Indiana Jones se depara com seu maior obstáculo nesse jogo. Um degrau de 1 metro.

A ideia desse jogo é basicamente frustrar as pessoas. Causar cansaço psicológico, raiva e fadiga para deixar o jogador se sentindo o verdadeiro Indiana Jones sofrendo em algum lugar desolado.

É um jogo de ação, e o maior desafio do Indiana Jones é subir degraus de 1 metro, sendo necessário alinhar o boneco perfeitamente perpendicular ao obstáculo para ele não pular feito um imbecil mas apenas subir o degrau. Outro desafio comum encarado por Indiana Jones é saber regular a distância do pulo, pois o que mais esse maldito tem que fazer é pular. Em algumas fases o grande desafio é controlar o jipe que aparentemente foi fabricado no Brasil pela Gurgele por isso é feito de papelão que desrespeita todas as leis da física.

Quanto aos russos, esses não são um desafio e praticamente são mero cenário, pois os momentos de tiroteio simulam com precisão a sensação de estar trocando tiros com comunistas que sofreram derrame cerebral mas continuam caminhando.

Enredo[editar]

O jogo é uma fanfic e conta o que Indiana Jones foi fazer após a conclusão da trilogia de filmes, que no caso é investigar os Alienígenas do Passado e tentar criar material para o History Channel. Inicialmente o Indiana Jones está realizando seus estudos arqueológicos em busca da Torre de Babel que acredita ter sido construída por ETs e não por babilônios. O problema é que ele está fazendo escavações no Grand Canyon norte-americano e precisou uma professora chamada Sophia ir até o local falar que o Indiana Jones está fazendo burrice que não tem nada ali. Essa tal Sophia também explica mais sobre Hollywood, que eles estão em 1947 e os vilões não são mais nazistas, agora o novo vilão são os soviéticos e todos devem ser mortos a sangue frio.

Indiana Jones passa a visitar lugares inóspitos em, busca de itens raros, por isso vai para um mosteiro no Cazaquistão enfrentar um pedaço de gelo radioativo para adquirir o Urgon, um pedaço de aparelho raio-x contendo césio-137. Depois visita um vulcão em atividade nas Filipinas para brigar com um enorme de bosta gigante e adquirir o Taklit, um brinquedo que faz Indiana Jones invisível. Depois visita as pirâmides da Amazônia para adquirir o Azerim que garante levitação (mas para não deixar o Indiana Jones voar as fases inteiras, o que anularia o principal inimigo do game, que são os degraus de 1 metro, o Azerim pode ser utilizado só em locais muito específicos). E por último visita o Sudão para pegar o Nub que não tem uso nenhuma. Destaque em particular para a fase das Minas do Rei Salomão que coleciona a maior quantidade de bugs da história de todas as fases do Nintendo 64.

Por último Indiana Jones consome drogas e vai pra outra dimensão enfrentar uns monstros de papelão.

Recepção[editar]

Indiana Jones and the Infernal Machine recebeu análises positivas por sua inventividade em explorar diversas possibilidades criativas de criar bugs e glitches. Bonecos atravessando paredes, ou caindo no limbo, ou voando é fácil de fazer, mas fazer um jipe capotar e continuar andando é algo que só Indiana Jones and the Infernal Machine conseguiu fazer, por isso recebeu nota 10/10 de muitos fãs.

v d e h
Indiana Jones logo.png