Indira Gandhi

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
441-IndianElephant.jpg नमस्ते!

Este artigo é indiano, tic! Anda de elefante, joga cricket, é vegano, fala um inglês horrível, trabalha em um call center e adora incenso! Se vandalizar este artigo ou for paquistanês, você será incinerado pelas chamas de Agni! E nunca toque num Dalit!

Dhalsim meditando.png
Hammer and sickle.png Este artigo foi aprovado pelo Conselho de Proteção à Moral da Família Soviética como sendo livre de conteúdo subversivo.


Indira morrendo de sono durante um discurso.

Indira Priyadarshini Gandhi, em hindi इन्दिरा प्रियदर्शिनी गान्धी (um monte de desenhos indecifráveis) (Allahabad, 19 de Novembro de 1917 — Nova Délhi, 31 de Outubro de 1984) foi a terceira primeira-ministra da Índia entre 1966 e 1977 e voltou pouco depois, entre 1980 até 1984, quando alguém mandou ela retornar o ciclo das reencarnações e dar um alô pra Shiva.

Biografia[editar]

Gandhi pouco depois de descobrir que Indira era sua filha bastarda. Ele morreu de fome pouco depois.

Filha única de Gandhi Jawaharlal Nehru (o primeiro primeiro-ministro da Índia), que na verdade é seu pai adotivo, já que o "Boa Alma" Gandhi não a reconhecia como filha (que safado...). Sendo a primeira mulher a dizer que quem mandava naquela porra agora era ela, muitos achavam que ela iria ser só mais um rostinho bonito. Se enganaram (até porque "rosto bonito" é o que ela menos tinha).

Virou política em 1939 se aliando ao Partido do Congresso Nacional Indiano, mas passou um ano presa por tentar imitar a Dilma Rousseff. Chegou a ajudar o pai adotivo no congresso, e após a morte dele, ela virou primeira-ministra em seu lugar (teve um tal de Gulzarilal Nanda no meio dos dois mandatos, mas esse cara é tão importante pra história da Índia quanto José Linhares ou Carlos Luz são para a história do Brasil).

Como governanta, ops, governante da Índia, ela usava de técnicas meio "dona-de-casa" em administração, sempre colocando gabinetes muito ruins para a ajudar, para azar próprio. Aliada aos princípios do comunismo, ela começou a descer o cacete no vizinho chato e pela saco Paquistão, que era aliadinho dos EUA. Já imagina o que os ianques fizeram de ameaças veladas à sra. Gandhi, não... Ainda assim, Indira conseguiu uma conquista, levando o Paquistão, que na época eram dois pedaços de Terra separados por uma grande Índia, virar um só pedacinho (o outro deu uma banana pros paquistaneses e formou o Bangladesh). Indira foi admirada por muitos no mundo inteiro (principalmente pelos companheiros de Moscou) por conseguir bater de frente com os pamonhas estadunidenses. Até uma bomba atômica ela criou, segundo ela, para "fins pacíficos" (ok, e minha avó é virgem).

A partir de 1975 entretanto, começaram a descobrir que ela tinha seu próprio Watergate, e por pouco ela não foi esgurmitada do poder, mas naquele mesmo ano decretou estado de emergência e daí até 1977 governou com mãos de ferro e unhas de esmalte. Em 1977 no entanto inventou de permitir novas eleições e acabou derrotada por Morarji Desai. Parecia ser o fim, mas em 1979 seu partido a reelegeu e ela ficou no poder mais uma vez, aparentemente sem novas discussões, até que mais um daqueles povos separatistas idiotas, os sikh, decidiram dar uma de fodões e mandaram um deles pra fazer Indira descobrir uma forma diferente de introduzir azeitonas no corpo que não fosse pela boca nem pelo cu após ela mandar o MST hindu invadir o Templo de Ouro dos sikh em retaliação a eles começarem a se achar mais poderosos que o Shurato.

Death--.jpg Indira Gandhi já morreu!

Já entregou as moedas de bronze ao Caronte!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno