Inner Circle

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira do Reino da Dinamarca e Noruega.png Ek est årtikkel Norsk!

Este artigo desfruta do melhor IDH do mundo! O autor bebe hidromel, ouve black metal, nada em petróleo, é descendente de vikings e mora perto de um fjord.

Tudo pelas norueguesas!
Night creature.JPG Inner Circle surgiu das trevas!!

E à meia-noite vai levar a tua alma!

Puro osso.gif


Cquote1.png Olhem como somos do mal, gente! Cquote2.png
Verdadeira mensagem que o Inner Circle quer passar
Cquote1.png Vamos queimar aquela igreja lá em Oslo! Mas só depois do domingo, pois tenho missa com a minha mãe. Cquote2.png
Euronymous
Cquote1.png Tava pensando em Fantoft. O pastor usou todo meu dízimo pra comprar um carro, e agora quero me vingar! Cquote2.png
Varg Vikernes

O Inner Circle (não confundir com a banda de reggae de mesmo nome), ou, ainda, Círculo dos Amiguinhos, foi um clube que reunia músicos de forró norueguês no subúrbio de Oslo, lá pela década de 90. Mais ou menos como um clube do Bolinha satanista. Seus membros eram assumidamente homossexuais contra o cristianismo, exceto nos Domingos. Apareciam em fotografias pintados como pandas, todos de preto e branco, e com seus longos cabelos cobrindo os olhos, característica que marcou a era emo. O clubinho só permitia a entrada daqueles considerados de pura maldade, que davam a bunda até sangrar e não reclamavam da dor no dia seguinte. Espalhavam o terror pelas florestas norueguesas, atormentando velhinhas com seus berros de arrotador de mortadela, indo até as cidades vizinhas e sodomizando as namoradas de integrantes das bandas de death metal e outros estilos que eles consideravam não ser do mal. O grupo até ganhou a alcunha de chupadores da rola de Satã, pois na loja em que se reuniam, havia um desenho de Baphomet na parede com um dildo imitando o pênis, e lá, treinavam as técnicas mais macabras imagináveis, como deepthroat, anal gape e gloryhole.

Varg e Euronymous indo para a loja Helvete (inferno, em norueguês), prontos para aprender uma nova técnica de adoração ao Satã conhecida como beijo grego.
Integrantes do Inner Circle em raríssima foto tirada em algum lugar da Noruega.

Principais atividades[editar]

  • Cheiramento de gatinhos
  • Queimar igrejas
  • Adorar Satã
  • Assistir anime
  • Empurrar velhinhas na calçada
  • Fazer músicas louvando Satã
  • Atacar cristãos em fóruns na internet
  • Cortar os pulsos e lamber o sangue dos outros membros
  • Enfiar o dedo um no cu do outro e fazer uma ciranda em volta de um pentagrama
  • Pintar o corpo de branco e preto
  • Ouvir muito forró norueguês bebendo cerveja
  • Conversar sobre futebol
  • Sentar no dildo satânico
  • Sodomizar norueguesas
  • Ler O Senhor dos Anéis
  • Odiar o mundo e as pessoas que não são do clubinho
  • Jogar RPG
  • Tomar Toddynho quente sem agitar
  • Ouvir os dois primeiros discos da Britney Spears sem medo de ser julgados
  • Jogar bomba nos shows de outras bandas

Agenda[editar]

Durante todo o tempo em que o Inner Circle existiu, seus membros cumpriram uma espécie de agenda, onde cada dia faziam algo de diferente e considerado satânico ou ocultista. Entre esses eventos, estavam as queimações de rosca igrejas e até mesmo ameaças para outros integrantes de outras bandas que não faziam parte do movimento. Destaca-se o assassinato de um homossexual numa floresta. Seu assassino e obviamente integrante do Inner Circle, Faust (pseudônimo em homenagem ao Faustão), disse que era briga de território. Ninguém podia dar a bunda mais do que ele e em tantos lugares assim. Diz que não se arrepende de tê-lo matado, e inclusive começou a ter uma vida mais feliz, já que todas as pirocas dos vilarejos próximos eram suas.

Várias igrejas foram queimadas, entre Bergen, Oslo, Snertingdal e outros lugares noruegueses de nome impronunciável que sofreram a ira e o terror dos pandinhas satanistas. Os integrantes alegavam que o cristianismo, um dos universos mais famosos da Marvel, foi responsável por destruir as culturas escandinavas, entre elas a norueguesa. Não podiam tocar forró nas igrejas, o que culminou em raiva por parte de Varg Vikernes e seus amigos.

Imagem colorida digitalmente que retrata a presença de Satã no sótão da loja.

Euronymous, seu fundador, foi assassinado por seu próprio amiguinho de infância, Varguinho, por ter traído o movimento. Há muitas histórias em torno disso, muitas delas falsas e outras que se duvida que seja a verdade. Uns lados dizem que Euronymous foi pego ouvindo Britney Spears fora do grupinho (o único local em que podiam fazer isso), outros, que ele começou a namorar uma fã de death metal que tinha o suvaco cabeludo (na época, o forró norueguês tinha uma richa com o death metal sueco), e para piorar, não a sacrificou para Satã após transar com ela.

Bandinhas como Impaled Nazarene e Darkthrone trocavam tapas em forma de cartinhas com ameaças do tipo "Vou te matar!" e "Se você colar no meu show, eu te quebro de porrada!", mas aconteceu que ninguém realmente bateu em ninguém. Foi num show da banda Deicide, porém, que os integrantes do Inner Circle tacaram uma bomba, alegando que apenas eles podiam falar mal de Jesus e mais ninguém.

Essa turminha aprontou altas confusões até que a polícia norueguesa decidiu levantar a bunda da cadeira e meter todo mundo em cana. Acabou-se, então, o movimento do forró norueguês ocultista. Há relatos de antigos membros hoje trabalhando como DJ em clubes noruegueses e indo em shows de bandas de death metal. Ou seja, morderam, mas assopraram. Hoje em dia, Varg Vikernes toma Toddynho gelado e agita antes de furar com o canudinho, Bård Eithun virou assistente de palco do Faustão e os antigos membros do Mayhem (os poucos que ficaram vivos) dizem que deixaram Jesus entrar em suas vidas e não cheiram mais gatinhos.

Bandas que participaram do movimento[editar]

E várias outras irrelevantes.

Ver Também[editar]