Instagram

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Gostou da modernidade?
ENTÃO BAIXE LOGO ISTO GRATIS

SPAM

“CLIQUE AQUI, e ganhe um motivo para formatar seu computador”
ÒO..gif

Instagram é poser!

E não conhece Jimi Hendrix.

Lembre-o(a) que Arceus é o pokémon mais poderoso, não o Mewtwo.

Uma foto com os 15 filtros diferentes do Instagram. Assim, até você consegue melhorar essa sua cara (ou não).

Cquote1.png Você quis dizer: Estragando? Cquote2.png
Google sobre Instagram
Cquote1.png Você quis dizer: Instagay? Cquote2.png
Google sobre Instagram
Cquote1.png Você quis dizer: Coisa de fresco? Cquote2.png
Google sobre Instagram
Cquote1.png Você quis dizer: Estragaram Cquote2.png
Google sobre Instagram
Cquote1.png Você quis dizer: Extrachato Cquote2.png
Google sobre Instagram

Marco Feliciano foi muito zoado após postar essa foto no Instagram.

Instagram é um aplicativo gratuito que permite aos usuários tirar uma foto de comida, aplicar um filtro para disfarçar a beleza e depois compartilhá-la em uma variedade de redes sociais, incluindo o próprio Instagram. Esse aplicativo foi desenvolvido e projetado pelo brasileiro Mike Krieger e pelo norte-americano Kevin Systrom, inicialmente para uso em Smartphones Apple iOS sendo posteriormente disponibilizado nos sistemas Android e Windows Phone (quem se importa?). O aplicativo permite aos seus usuários compartilharem imagens que geram grande ansiedade pois eles vivem se comparando com super celebridades e não conseguem acompanhar o estilo de vida espontâneo que levam, massageiem os egos de pessoas inseguras e fúteis que estão escondendo mostrando toda sua realidade em fotos tão naturais quanto a luz do dia, disponibiliza também uma grande variedade de filtros e efeitos. Eles podem compartilhá-las através do aplicativo e em redes sociais como Twitter, Facebook, orkut, Foursquare e Tumblr.

A empresa[editar]

Estão trabalhando para deixar o aplicativo disponível em todos os aparelhos. Todos mesmo.

Kevin Systrom e Mike Krieger que financiam essa merda, também desenvolvedores do software, sem qualquer capital ou modelo específico de negócios. A empresa não havia recebido financiamentos até fevereiro de 2011, quando anunciou que estaria recebendo mais de oito mil U$ 7 milhões em aporte financeiro proveniente de inúmeros investidores, incluindo Benchmark Capital, Jack Dorsey, e D'Angelo Adam. A empresa ainda não declarou como pretende tornar rentável seu produto, embora tenha deixado implícita a possibilidade de tentar dominar o mundo. Em setembro de 2011, a Instagram já tinha conseguido o que queria, conquistaram quase dez milhões de otários usuários, possuindo uma equipe de apenas seis funcionários.

Acontecimentos nada importantes[editar]

Assim ficou o Instagram depois que os pobres puseram suas mãos nele.
Não é recomendado entrar nesse site, pois você pode dar de cara com essas coisas.
  • No dia 3 de abril de 2012, a Instagram disponibilizou o seu aplicativo para a plataforma Android, do Google, para ser utilizado até no Galaxy di póbri. Um dia depois, o Instagram para Android atingiu cerca de um milhão de downloads no Google Play. A disponibilidade do aplicativo para outras plataformas gerou insatisfação por parte de alguns metidos usuários de Iphone, pois agora qualquer um pode postar suas fotinhos com filtros vinteige, e algum favelado teve a brilhante ideia de botar hashtags como no twitter, e agora está em um processo de "favelização", como ocorreu com o orkut.
  • Em julho de 2012, o Instagram chegou aos 80 milhões de retardados utilizadores em todo o mundo.
  • Mas em fevereiro de 2013 o Instagram conseguiu botar pra fuder mais ainda, conseguindo 100 milhões de utilizadores no mundo e sendo publicadas fotos até da fodida Coreia do Norte.

Funcionalidades[editar]

  • Quando o Instagram ficou disponível para Android, o seu uso e sua popularidade aumentaram, porque agora qualquer pessoa pode usar e ficar postando fotinhos escrotas.
  • O Instagram agora também pode ser usado em computadores, como o ruindows, por exemplo.

Polêmicas[editar]

Em 18 de dezembro de 2012, o Instagram alterou seu contrato de adesão. Entre outras alterações, poderia passar a vender fotos de comida usuários para o quê eles bem entenderem, sem que o autor da foto desse autorização ou recebesse compensação financeira.

Diante do chilique dos usuários (maioria é bicha), principalmente nos Estados Fudidos, o Instagram arregou voltou atrás e modificou a redação do contrato em 21 de dezembro de 2012. Mesmo assim, a base de usuários caiu de 16,4 milhões para 12,4 milhões, entre 19 e 27 de dezembro.

Ver também[editar]