Itérbio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Itérbio
Ytterbium.jpg
Pedaço de itérbio que pode ser apenas alumínio
Símbolo, número Yb, Não é 69
Série Ninguém se importa (terra rara)
Principal isótopo 174Yb
Propriedades atômicas
Massa atômica 173,054 cus
Dureza Desconhecida
Nível de radioatividade Nula
Nível de toxicidade Baixa
Propriedades físicas
Comestível? Depende
Inalável? Não
Posso passar na pele? Não testado ainda
Onde encontrar Monazita
ponto de fudição Dado irrelevante
ponto de rebuliço Dado irrelevante
Coisas de quadrinhos
Probabilidade de te transformar num super-herói Nula



Itérbio, mais que o térbio e o érbio, possui duas letras a mais que o érbio e uma letra a mais que o térbio, além de alguns elétrons e prótons a mais também, só que isso de longe não o faz mais importante, na verdade talvez seja o mais inútil de todos. Possui esse nome com duas letras a mais meramente para facilitar na hora de decorar os lantanídios, que sabemos ser o grupo dos elementos mais imprestáveis de nossa tabela periódica, então uma nomenclatura que ajude é sempre bem vinda.

Características[editar]

O itérbio é um metal macio, quebradiço, imprestável e exuberante , por isso é frequentemente ridicularizado por seus pares e demais metais que se recusam a deixar o itérbio livre na natureza, ocultando-o em minerais com outros 30 metais de forma que jamais seja encontrado. Tem uma cor semelhante ao alumínio, mas ficará eternamente na inveja porque jamais terá a mesma utilidade do seu irmão dos metais representativos de 13 elétrons.

Uma vez que alguém muito desocupado gaste grana e energia e tempo para isolar o itérbio, encontrará apenas um metal não inflamável, irritante para a pele e sem qualquer utilidade estética.

Compõe 0,00033% de todos os minerais encontrados na Terra, estimativa determinada por geólogos através de uma técnica chamada achismo, sendo avistado na maioria das vezes numa rocha alienígena rara, atualmente encontrada só em Wakanda, chamada monazita.

História[editar]

Foi em 1878 que a existência do itérbio foi primeiramente teorizada por um renomado desocupado contumaz chamado Jean Galo Cego Maricão. Esse desocupado queria preencher as lacunas da tabela periódica de todo jeito, afinal tinha TOC, então inventou um monte de elementos de 60 a 80 elétrons, entre eles o itérbio. Mas já naquela época descobriu-se que o elemento tinha elevadíssima taxa de inutilidade latente em condutividade nada covalente, então os químicos decidiram que seria perda de tempo fabricar esse metal puro e o deixaram pra lá.

Todavia, ignorando o bom senso, o itérbio foi isolado mesmo assim, sendo criado em seu estado puro em 1953, por um químico anônimo que ficou com vergonha de revelar seu nome, para não cair em descrédito e no ridículo com a comunidade científica, porque ele demorou um tempão e gastou o maior dinheiro para executar o processo de redução por tricloreto com potássio, necessário para isolar o itérbio, e para nada.

Aplicações[editar]

Este metal é usado em ligas metálicas aleatórias, mas ninguém sabe afirmar ao certo se é mesmo usado ou não. Então sejamos sinceros e vamos dizer logo que esse metal não tem o menor uso ou aplicabilidade prática.