Itaberá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Carroca1.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


Cquote1.png Você quiz dizer: brejo. Cquote2.png
Google sobre Itaberá
Cquote1.png Vá a PQP!!! Cquote2.png
Paulistano mandando visitar nossa cidade
Cquote1.png Shit!!! Cquote2.png
Americano quando chegou em Itaberá
Cquote1.png Oje parece qui vai chovê... Cquote2.png
Itaberaense começando uma conversa
Cquote1.png É mermo.... Cquote2.png
Itaberaense respondendo o de cima
Cquote1.png Houston, we have a problem! Cquote2.png
Astronautas da missão Apolo 24 ao pousar erradamente em Itaberá
Cquote1.png Houston, we have a lot of problems!!! Cquote2.png
Astronautas da missão Apolo 24 ao pousar erradamente em Itaberá, depois de sair do módulo lunar
Cquote1.png Fui eu quem acabou com o Cersão, Zé Beiço, Gadeia, e outros mais. Cquote2.png
Chuck Norris sobre Os Bandidos de Itaberá
Cquote1.png Eu matava era mil!!!. Cquote2.png
Jeremias sobre em visita á vila Dom Silvio
Cquote1.png Eu vou lhe fazer uma proposta que ele não pode recusar. Cquote2.png
Dom Corleone sobre sobre a proposta feita a Dom Silvio para mudar o nome da vila

Sobre[editar]

Itaberá é uma cidade do interior de São Paulo com mais de 18 mil habitantes, mas raramente se consegue contar mais de 160 nas ruas, mesmo durante os feriados. Somente quando há eleições para presidente, governador, prefeito e outros cargos, é que os habitantes saem da toca e congestionam a única avenida duplicada e arborizada da cidade. Itaberá está a pouco mais de 200Km do cú do mundo de Sorocaba e 30Km de bosta Itapeva, logo não faz mais parte de nenhum órgão vital do Planeta Terra.

O clima é "amenos", nunca demais, temperado insipidamente com frio, calor, chuva e sol.

Brasão de Itaberá

História[editar]

O nome da cidade, que significa "pedra brilhante", foi dado pelos seu fundadores: Francisco Antonio da Silva, Antonio Joaquim Diniz e João Rodrigues Simões (cadê as mulheres?) que vieram de Minas Gerais com as mulas abarrotadas de bijuterias e purpurina para comprar presentear os índios locais.

Não os achando, resolveram fantasiarem-se de odaliscas (com as bijuterias e purpurina) e fazerem um bacanal na beira do rio Lavrinhas, prática que se estende até hoje no Clube Recreativo local.

Diversas raças moram em Itaberá: pequinês, pastor alemão, dálmata,.... muitos vira-latas e japoneses caipiras. E como tem japonês neste fim do sistema solar. Até a década de 80 eram apenas umas 4 famílias, agora deve ter mais que a população da China. Mas a maioria foram trabalhar no Japão, por isso que no último censo a população total é compatível com uma pacata e desconhecida cidade do interior paulista, quase na divisa com a nebulosa de Órion.

Lazer[editar]

Pajero de Itaberá
Vestimenta típica do corno vaqueiro itaberaense

O lazer em Itaberá é bem diversificado e tem para todas as idades. Nos domingos é normal as pessoas saírem para irem à igreja matriz ou ao cemitério, ou vice-versa.

Depois de cumprida a penitência, a maioria vai até os bares e enchem a cara de cachaça (os adultos e velhos) e tubaína e pão com mortadela (as crianças.

O mais engraçado é que os habitantes daqui ainda conseguem chamar aqueles que moram na roça de caipiras!!! Como se morassem em São Paulo!

Os jovens que moram na cidade, na parte urbana, preferem ficar na praça até altas horas da noite (isso quando não tem um bailinho pra ir), nos finais de semana, tomando sereno, pois dizem que é bom para a cabeça.

Itaberá não tem praia, mas em 1982 teve uma mar e uma ilha que foi chamada de Ilha Malvinas com o transbordamento do rio Lavrinhas. Ainda encontramos pessoas saudosas daquele oceano, esperando pela estação das chuvas com biquini, maiô e farofa.

Itaberá não tem baladas, mas de vez em quando escuta-se alguns tiros na Vila Patrimônio, na maioria das vezes, tiros de balas rojão de algum mano comemorando a volta do cúrintia à primeira divisão do campeonato brasileiro.

As patricinhas (nome comum nesta terra) e os mauricinhos (outro nome comum, mesmo negando, porém esses nomes estão dando lugar para os chamados BURGUESES OU BURGAS) preferem ir para merda Itapeva ou para a capital Sorocaba, onde juram que são putas virgens, quando alguém com segundas e terceiras intenções chegam junto.

Turismo[editar]

Mulher de Itaberá

Por ano, Itaberá atrai mais de 100 mil turistas, a maioria que vem são famílias, vem só para visitar famílias e ja vão embora.

Mas, Itaberá tem os seus pontos turísticos sim senhor!

  • Rio Lavrinhas, que pelo tamanho do leito e da cidade, pode ser considerado o rio mais poluído percapita do interior. É impressionante como apenas algumas poucas casas com esgoto conseguem poluir mais que Piracicaba. Por isso o itaberaense é conhecido por bundão, não pelo tamanho anatômico daquela parte do corpo, mas precisamente pelo que sai de lá.
  • Roças: Todos os turístas podem vir na época da colheita e ter a incrível experiência de participar de uma sega, e pagando por isso. No final da tarde, pode ser brindado com um magnífico pôr-do-Sol.
  • Aventura Urbana: Quem prefere aventura leve, pode andar (com câmera Canon, relógio Rolex e correntinha de ouro) pela Vila Patrimônio ao entardecer.
  • Serrinha: Local usualmente frequentado por jovens a fim de aventura, como subir na torre de transmissão de telefone, embriagar-se, empinar motocicleta e outras aventuras desmedidas.

Quem gosta de mistério pode tentar desvendar o por que do Rio Verde ser, na maioria das vezes, marrom.

Itaberá não tem turismo sexual, pois a maioria da população não sabe o que é sexo, e, se sabem, dizem que não fazem. Mas é normal um forasteiro ser bem tratado na cidade, tanto que as noivas esquecem que tem namorados ou as donzelas virgens esquecem que são santinhas do pau duro ôco.

só tem boiola e viadinho nas lan "horses"

já os pré-adolescentes "os de familia" nao saem de casa. No máximo ficam conversando com os outros pré adolescentes na rua em frente de casa! Isso quando não chove nesse fim de mundo né!

Economia[editar]

A economia local é predominantemente agrícola. Planta-se de tudo e colhe-se nada. Antigamente era considerada a terra do trigo, mas como naquela época não se consumia cerveja como hoje, virou a terra do feijão.

Planta-se feijão em 99,9% das terras lavráveis, nos outros 0,01% planta-se alface. Itaberá possui um próspero parque industrial, sendo que o principal produto é a fofoca. Todos os habitantes urbanos, sem exceção, trabalham nesse ramo, pois tempo é o que não falta nesta cidade. É incrível que nem o rádio, o jornal, a televisão ou a internet consegue competir com essa indústria monopolista.

Mas Itaberá está progredindo, ultimamente, tem crescido o trabalho escravo, digo, o trabalho nas fábricas de jeans, o que vem movimentando a expressiva economia itaberaense.

Houve também a época da emigração em que todos os boiolas boyzinhos jovem estudantes da "metrópole" por falta de estudo emprego, foram para os E.U.A. lavar pratos e limpar o chão para os Mexicanos de lá (que por serem superiores não se sujeitam mais a isso), coisa que eles sabiam fazer muito bem aqui como já disse antes, eles eram boyzinhos muito trabalhadores. Já tem uma penca voltando, também com o preço do dólar, e chegam aqui com muita coisa para fazer como: Gastar toda a grana que ganharam tunando carros; voltar para os E.U.A. e ganhar mais grana (lavando pratos) e depois voltar e tunar outro carro; Contrabandear produtos do freeshopp; Falar de como é boa a vida lá fora (lavando pratos); mas quando voltam para o Brasil não querem mais voltar, pois podem ser presos lá. O mais engraçado é ouvir o povinho comentando: O fulano vortô dos EUA, nossa ele tá bem, hein? Ganhô bastanti dinhero...

Ultimamente, está em expansão a atividade pecuária. A cada dia é maior o número de vacas e cornos bois. A cervocultura, também, apresenta indícios de crescimentto, principalmente de viados cervos enrustidos. A suinocultura sempre foi estável neste município, pois quase nunca se vende sabonete, xampu, pasta-de-dente, desodorante, sabão em pó, cândida,... nos supermercados.

Culinária[editar]

  • Aqui tudo é cozido no fogão de lenha. Fogão à gás é apenas um enfeite para mostrar às visitas.
  • Não existe um prato único, que seja famoso, pois aqui come-se de tudo, inclusive feijão e.... alface.
  • Sim, existe um prato único, o arroz-com-frango (dizem que o frango tem que ser roubado para ser bom), que todo itaberaense acha que o mundo inteiro conhece, mas só ele come. Com alface.
  • Há lanches que se tornaram folclóricos em Itaberá, um deles é o bolinho de frango do Ierecê. Mas, muita pouca gente sabe que a receita era do seu Estevam e que quando ele se mudou para Sorocaba, levou todas as galinhas caipiras junto. O Ierecê, que ficou com o bar e com os bolinhos, teve que usar carne de urubu frango Sadia (nem tão saudável) para não perder a freguesia.
  • Outro lanche famoso é o do Paulo, que vai um bocado de maionese caseira, que ele mesmo prepara. O melhor é o X-Salada, que é preparado assim: uma fatia de pão, 1 cm de camada de maionese, uma fatia de presunto, 1 cm de camada de maionese, uma fatia de queijo prato, 1 cm de camada de maionese, 1 folha de alface, 1 cm de camada de maionese, uma rodela de tomate, 1 cm de camada de maionese, e fecha-se com a outra fatia de pão com mais um pouco de maionese por cima. É servido com tubaína e um rolo de papel higiênico. Lembrando que se você quiser comer as 22:00h deve pedir o lanche lá pelas 18:00h, sempre tem muuuuuuuita gente na sua frente.
  • Embora não haja fábrica de tubaína na cidade, é a bebida mais degustada pelos habitantes. Muitos dizem que preferem cerveja, só para impressionar, mas toma-se uma garrafa de cerveja entre duas de tubaína. Vai entender esse povo.
Bolinho de urubu de frango do Ierecê

Curiosidades[editar]

  • O rio Lavrinhas não é um rio, mas um córrego.
  • O itaberaense é o povo mais preguiçoso do universo, vide as comunidades do Orkut sobre a cidade: tem mais teia de aranha que boca de múmia.
  • A cidade preferida do itaberaense é Sorocaba, todos vão ou pretendem ir para lá. Os que vão pra lá e voltam para visitar a família, enchem a boca para dizer que moram em Sorcaba (isso mesmo: pronunciam Sorcaba)
  • O cemitério do lado da escola
  • O autor da maior parte desse artigo não é itaberaense e não mora mais aí há cerca de 30 anos, no entanto nada mudou desde aquele tempo.
  • O campo da Sapolandia, qual quer chuvinha ja alaga tudo.(os formigueiros ajudam na drenagem é isso que importa)
  • o rio verde é cheio de bosta de vaca.

Lendas[editar]

Itaberá é uma cidade de muitas lendas, existem muitos “sacis”, “mulas-sem-cabeça”, “lobisomem”, “o diabo do colégio Gabriel ou Leôncio”, entre outros que aterrorizam a vida dos caipiras itaberaenses.

Mas quem mais dá medo é o "bando da vila Dom Silvio", mas conhecida pelo ilustres moradores como "patrimonho" (porque antigamente o terreno era PATRIMONIO da igreja, entenderam?) o povo desse lugar é fogo mesmo, dizem que não são apenas lendas, que eles comem criancinhas e dão o resto para os porcos. Mas depois que Dom Corleone matou o Dom Silvio ele acabou com a malandragem e como troca de favores pediu que o Bando sumisse de lá.

Conta-se também da presença de uma seita satânica onde pessoas venderam a alma em troco de vingança contra seus inimigos. A liderança da igreja católica no Brasil enviou um grupo para estudar a situação, pois acreditam que se a seita se popularizar trará um quadro preocupante à religião da cidade, já que existem fatos comprovados da veracidade da presença do demônio nesses integrantes.

Recentemente descobriu-se a força de Itaberá. Num dia desses, para que o mundo conhecesse essa "cidade", foi desligada a energia elétrica que abastecia 18 estados e mais o "país?!?!" vizinho, o Paraguai. Nos últimos dias, Itaberá foi manchete no Jornal Nacional, na Bandeirantes, etc... enfim todas a emissoras do país e nos grandes meios de comunicação do mundo, como o The New York Times, CNN, CBS, Le Monde, entre outros. Tudo isso, reza a lenda é para que o Estado de São Paulo, enxergue esse fim de mundo e mande consertar de verdade aquela maldita "estrada" pra Itararé, que hoje em dia tá perigoso o busão da facul cair dentro duma valeta e não sair mais(aí já dá pra rolar um novo seriado na TV: LOST na versão brazuca).

Também reza a lenda que esse apagão tenha sido ocasionado por um gerentão de um banco que não pagou o cheque de um funcionário de Furnas, aí o cara desligou a chave... hahaha

Em tempo de festa quando soltam rojão, itaberaenses ja pensam que é tiro ficam na dúvida, se é tiro ou não pelo último fatos acontecidos na cidade. Do jeito que tá indo, logo vai ter helicóptero do Brasil Urgente sobrevoando o céu de Itaberá. Dizem até que a produção do programa da Sônia Abrão já tá de olho, tamanha é a quantidade de desgraça que vem acontecendo nessa cidade.

Ver Também[editar]