Itaipava

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Um brinde de cianureto.jpg Este artigo contém VENENO!

Este artigo... precisa de antídoto... Ele pode se tratar de... algum animal, pessoa, lugar... ou composto... Ele pode... conter materiais tóxicos... como lactose ou glúten... Chupe a picada ou morra... argh! (morri)

Mantenha distância... ALLAHU AKBAR!!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Bombaatomica.gif
Cquote1.png Você quis dizer: Itaipólvora Cquote2.png
Google sobre Itaipava

Cquote1.png Só comprei essa porra por causa da Verão e ela não veio! Cquote2.png
Otário sobre a Itaipava

A cerveja Itaipava (também conhecida como Itaipólvora ou a cerveja 0%) é a cerveja que você acha que se comprar, vai aparecer uma mulher bonita pra caralho chamada Verão. Porém, na verdade, depois que você bebe, seu fígado e seu estômago tornam-se bombas-relógio, prontas pra explodir a qualquer momento!

Os diferentes tipos de bombas cervejas da Itaipava

História[editar]

Em 1993, um grupo de engenheiros químicos especialistas em fabricar bombas, empresários e mestres cervejeiros se reuniram pra criar uma bebida capaz de provocar a explosão do fígado e do estômago das pessoas. Então, para isso, juntaram água, malte, lúpulo e muita pólvora para criar esta merda cerveja que se chamaria Itaipava, criada no ano de 1994. Sua primeira aparição foi num shopping da região de Petrópolis, cidade do Hell de Janeiro. Logo no dia do lançamento, as primeiras pessoas a degustarem a cerveja-bomba sentiram o seu efeito bombástico. 4 anos depois, ela é vendida para um grupo de investidores ligados a Al-Qaeda, com o objetivo de aumentar sua influência bélica no Brasil.

Hoje, a Itaipava, graças ao seu alto poder de combustão, virou a cerveja oficial de diversas categorias brasileiras de automobilismo. Também comprou vários estádios que estavam sendo construídos para a Copa do Mundo de 2014, além de ser vendida para o Estado Islâmico por causa da perda de influência da Al-Qaeda após a morte de Osama bin Laden.

Verão[editar]

Pra ser tão gostosa assim só se tiver chamando pra alguma cilada.

A maior estratégia de marketing dessa cerveja-bomba foi introduzida em 2014, com uma mulher extremamente gostosa chamada de Verão nos seus comerciais. Como todos sabem, no verão o povo se sente no inferno com temperaturas extremamente altas. Ou seja, o nome fala discretamente do alto poder calorífico e explosivo da cerveja-bomba, e com a figura da mulher gostosa, atrai milhões de consumidores todos os anos para beberem ela como se a tal Verão aparecesse para entregá-la no bar ou na praia. Só que, na verdade, é tudo um convite para que o fígado e o estômago do consumidor virem bombas-relógio.

Em junho de 2015, o CONAR descobriu a jogada do Estado Islâmico e mandou que a Itaipava tirasse de circulação suas propagandas da Verão por serem "sensuais demais". Assim, menos pessoas passariam a consumir essa cerveja-bomba. Logo, o Estado Islâmico, grupo controlador da cervejaria, convidou o pessoal do CONAR para beber uma amostra totalmente grátis após a advertência. Resultado: BOOM!!! Estômagos e fígados voando queimados pelos ares. Dessa forma, até hoje, a Itaipava utiliza a Verão para explodir mais pessoas.