Itamarandiba

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Itamarandiba é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Se o Bin Laden tivesse se escondido aqui, ninguém teria achado.

Sciences de la terre.svg.png



Itamarandiba Saramandaia Village
Itamarandiba flag.jpeg
Bandeira
"Itamarandiba? Onde fica isso? No meu coração!"
Hino "Itamarandiba, Pedra Corrida... Até a pedra corre..."
Local Onde houver eucaliptos...
Idioma DeVerês, Mineirês, Jequitinhonhês.
Geografia
Clima Desequilibrado
Locais de Referencia Perto de onde há eucaliptos...
Economia Eucalipto, Apicultura e Feira aos Sábados no Mercado.
Produtos Exportados Eucalipto, madeira de eucalipto e mais eucalipto.
Política
Governo
Nuvola apps core.png
Eucalíptico
Atual Prefeito
Nuvola apps core.png
Zé de Brito
Vice-Prefeito
Nuvola apps core.png
Tonha da Penha
Mídia
Cidadãos Ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Monstro da Igreja
Esporte Símbolo Escalada em Eucalipto
Santo Local Santa Coala do Eucalipto & São João Batista
Como chegar à Itamarandiba.

Cquote1.png Você quis dizer: Eucaliptal Cquote2.png
Google sobre Itamarandiba
Cquote1.png Você quis dizer: Saramandaia Cquote2.png
Google sobre Itamarandiba
Cquote1.png Experimente também: Eucaliptal Capital Brasileira do Mato Eucalipto Cquote2.png
Sugestão do Google para Itamarandiba
Cquote1.png Experimente também: Vila da Folha (de Eucalipto) Cquote2.png
Sugestão do Google para Itamarandiba
Cquote1.png Na União Soviética, o eucalipto planta VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Itamarandiba
Cquote1.png Ardeia pura! Cquote2.png
Itamarandibano sobre Itamarandiba
Cquote1.png Encontrei! Cquote2.png
Judas sobre as botas dele
Cquote1.png É uma cidadezinha pequena, que não está no mapa Cquote2.png
Jaiminho, o carteiro sobre Itamarandiba
Cquote1.png Era uma vez, um lugarzinho no meio do nada... Cquote2.png
Sandy e Júnior sobre Itamarandiba
Cquote1.png Meus amigos e minhas amigas de Itamarandiba... Cquote2.png
Ex-prefeito sobre qualquer coisa
Cquote1.png Meus amigos e minhas amigas de Itamarandiba... Cquote2.png
Zé de Brito sobre imitar o ex-prefeito
Cquote1.png Votei nele(a)! Cquote2.png
Jean Wyllys sobre Tonha da Penha


Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Itamarandiba.

Itamarandiba é uma floresta de eucaliptos localizada no Vale do Jequitinhonha. Trata-se de um sitio uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, mais conhecida como cidade do "já teve": Já teve cinema, já teve danceteria, já teve churrascaria, já teve banco Bradesco, Caixa Econômica Federal, já teve gente, já teve festa do Rosário, festivais de música... enfim, já teve. Não tem mais. É conhecida como a periferia da Grande Capelinha, devido ao fato de ter concorrido com Capelinha para possuir Aeroporto, Faculdade Federal, Anel Rodoviário e perdido tudo, mas tudo mesmo... Grandes coisas: o prefeito acaba de construir dois novos mataburros viadutos no centro butequeiro comercial da cidade.


Origem do nome[editar]

"Itamarandiba" é uma expressão de origem tupi que significa "pedras pequenas que rolam não se sabe para onde". A ideia do nome surgiu durante uma edição do Rock in Rio Amazonas em homenagem à banda britânica Rolling Stones e à canção de Bob Dylan.

Aspectos Gerais[editar]

Localizada no nordeste de minas, embaixo do Alto do Médio Jequitinhonha, já invadindo o Rio Doce e beirando o Mucuri, depois (mas bem depois, mesmo) de Diamantina e antes de Montes Claros.

Etnografia[editar]

Sua origem é de procedência duvidosa: bandeirantes, índios, escravos, imigrantes, fazendeiros, Arcelor Mittal (antiga Acesita Energética)... Vai saber, né?
Seus moradores que pensam em trabalhar se dividem em 3 grupos: os aposentados da Arcelor Mittal, os atuais trabalhadores da Arcelor Mittal e, por último, os que sonham em trabalhar na Arcelor Mittal. Quem não quer trabalhar na Arcelor Mittal, trabalha na Capivari. Quem não quer trabalhar em nenhuma das duas tem que sair pra estudar, porque a cidade NÃO há faculdade. Os Itamaranditórios se orgulham em só ficar atrás da capital Belo Horizonte em número de butecos e copos sujos por metro quadrado.

Outros grupos estranhos também habitam por essas terras, são chamados de cabeleireiros unissex, e se reproduzem numa velocidade assustadora. Há revendedores de carro, que vão a Brasília só pra comprar um modelo de segunda mão e vendê-lo na cidade, que NÃO tem nenhum revendedor autorizado. E tem os "bons filhos que sempre à casa retornam".

A cidade é a Capital Nacional do Eucalipto. Grandes coisas... Daqui a uns dias, o eucalipto será a nova base alimentar lá, porque ninguém quer cultivar mais nada. Para onde se olha, só se vê eucalipto!

Fatos Sobre Itamarandiba[editar]

A economia da cidade gira em torno do mel e eucalipto.

Itamarandiba constituiria um importante centro regional se houvesse sentido a sua existência. Sendo uma cidade de pessoas acomodadas, e de políticos remanescentes da aristocracia cafeeira da República das Oligarquias. A cidade já passou pelas mãos dos doutores Porrinha e Quiabo, Erildo Gomes Pernalonga e, recentemente, Luiz Inácio Fernando Pimentel. A cidade é "destaque" em todo o estado por ser a capital do eucalipto e por ainda não possuir uma universidade pública, shoppings, uma verdadeira Cemig entre outros, o que só aumenta ainda mais a situação de penúria da cidade. Reza a lenda que a cidade terá um campus da UFVJM e ao que tudo indica, a lenda vai continuar rezando por muito tempo antes de se tornar realidade... Em 336 anos de existência, existe um projeto de lei que poderá fazer Itamarandiba voltar a ser distrito de Minas Novas, visto que está regredindo no tempo. A última "indústria" a se instalar em Itamarandiba data de décadas atrás: Acesita, Acesita Energética, Acelor Mittal, e agora Aperam. Qual o nome real dessa empresa, que vive explorando a mão-de-obra jovem, destruindo a fauna e a flora, secando as lagoas e rios, priorizando suas compras em outros municípios, desprezando o comércio local? Eita, empresazinha... E sair para dar uma volta pelas ruas, nem pensar, você pode correr o risco de cair em crateras de mais de dois metros de profundidade que estão espalhadas por todos os lugares. Não se pode esquecer que existe pelo menos duas coisas essenciais para a sociedade itamarandibana fazer: fofocar e encher a cara. Uma terceira é um carteado clandestino, e uma outra é contar vantagens materiais em uma roda de amigos, mas essa duas últimas não são para amadores. Festas e baladas aparentemente frequentado por mauricinhos, patricinhas e usuários de drogas, vivem fechando, mudando de nome ou reabrindo (o motivo principal é a falta de cultura e educação da população, a falência é o de menos. Exemplo: Teti, Teti, Teti e Teti, já disse Teti? E tem mais: Zero Grau 1, Zero Grau 2, Zero Grau 3,..., Zero Grau 94746576343475858585... É possível que algum desses lugares mencionados já não exista mais ou estão com um outro nome ou então ressurgiram novamente do nada. E uma última curiosidade, o sonho de consumo da maioria dos jovens do sexo masculino é comprar um chevetim ou fitim 147; rebaixar, colocar insulfilme, um som "violento" e sair pela cidade co a mesma rota: subir a rua diamantina ate o trevo do zé crente, descer pela mesma o então pegar a rua independência , senhor franklin passar na praça dos agricultores, subir na praça do eucalipto e ( e só, acabou, não tem mais lugar para ir porque o lugar é pequeno demais ). Na verdade, isso é mais coisa de nóias drogrados, depois voltam a fazer esse trajeto pelo menos umas 54641514651 vezes seguidas ouvindo um variado repertório de músicas ruins de axé, funk ou sertanejo com os auto falantes dos carros tudo estourados. Os jovens pobres que não tem um pai rico dono de 1 milhão de pés de eucalipto que conseguem uma bolsa de estudo pelo Enem em Diamantina ou Belo Horizonte voltam e ficam se gabando por terem um grau de estudo superior, grandes coisas.

Entretenimento[editar]

Sede da Capivari...

Itamarandiba é um lugar onde não se tem absolutamente nada para fazer, a não ser ir ao buteco, (homens) e salões de beleza, (mulheres), não necessariamente nessa ordem. Fica longe de tudo, embora os habitantes achem o contrário: Vamos ali em BH é pertim, logo ali (uns 500 km). Fazem mutirão, vaquinha, bingo e até leilão de frango assado pra juntar dinheiro e pagar um ônibus no fim do ano e viajar 2 dias em excursão, até chegar em Porto Seguro, pra tirar fotos e dizer aos filhos e netos: "fui na praia", ou seja , um típico mineiro.

A cultura é rica, más ninguém ainda resolveu mostrar a ninguém. Dentre os pontos atrativos ao turismo, estão as cachoeiras e cavernas da região de Penha de França, que tem como turistas seus próprios moradores, que ficam numa eterna espera de que um dia alguém diferente apareça por lá.

O produto mais famoso do lugar depois do carvão vegetal da Acesita Energética (é claro), é uma famosa camiseta, que conquistou o mundo e o universo. Trazia os dizeres: "Itamarandiba? onde fica isso?" Depois completava: "...no meu coração". Muito, muito fofo!

Tem, também, como um de seus destaques culturais a festa de rodeio, que acontece sempre no meio do ano, na época mais fria, que faz com que o povo se revolte a cada edição, pois durante esse período gostariam de poder ficar em casa.

Além disso, periodicamente é veiculado o jornal "O Clandestino", jornal este que revela aos moradores os acontecimentos notáveis de Itamarandiba (por exemplo, é comum encontrar manchetes do tipo: "Maria da padaria traiu o marido com o José da farmácia"). Fundado por Dieggo Armando, hoje não sabe-se ao certo quem é o autor/editor das atuais edições do jornal, uma vez que os textos não são assinados por ninguém. Especula-se que não há um autor fixo e que, de vez em quando, pessoas aleatórias ficam sabendo das fofocas e resolvem publicar uma edição do jornal, sem sair do anonimato. E recentemente a cidade anda assombrada acontecendo coisa estranhas e mortes espantosas,e engraçado ninguém nunca é preso. Só prende carros alienados, pois quase todo ITAMARANDIBANO tem um.

Iniciação Sexual dos Adolescentes da Região[editar]

Como na maioria das cidadezinhas desconhecidas e miseráveis do Brasil, a iniciação sexual acontece na maioria das vezes com uma cabrita, um bezerro, algum pequeno animal ou até mesmo com o famoso troca-troca de priminhos que acontece nos matagais da região. Tem até gente que teima em cruzar com cachorro, e sempre aparece no hospital, e sempre tem que castrar o pobre bicho. Que dó! tá cheio de gays na cidade e a cada dia nasce um novo.

Mazzaropi02.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Pão-de-queijo... hum... bão dimais...
Minas
Uai sô, ocê num intendeu?
Esse artigo é de humor mineiro uai! E foi feito por arguém que tava comeno um queijim... Pra entender, só comeno um pãozim de queijim com um copo de leitche! Ooooô trem baum de mais da conta, sô!