Itapirapuã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Itapirapuã é uma aldeia no interior de Goiás, um lugar conhecido por não ser nada conhecido que com seus quase nada de habitantes nem deveria ter sido considerado como município.

Itapirapuã fica às margens do Rio Itapirapuã, um açudão na qual seus habitantes tomam banho. Segundo o último censo do IBGE, Itapirapuã possui 8.200 pobres coitados treinados na arte do arco-e-flecha e da suruba no meio do mato.

Quanto ao nome da cidade, há diversas hipóteses para o nome "Itapirapuã". Uma das hipóteses diz que o nome vem da expressão Cquote1.svg Ih, tá pirado, peão? Cquote2.svg dita nos casos em que o interlocutor está com a péssima ideia de visitar esta cidade. Outra teoria defende que na verdade o nome da cidade vem da expressão Cquote1.svg Ih, tá piorando Cquote2.svg dita normalmente por uma pessoa que está se aproximando dessa várzea e percebendo que a beleza das mulheres está decaindo drasticamente. Mas existe ainda a hipótese mais defendida pelos historiadores dizendo que o nome da cidade na verdade é uma expressão indígena que quer "pedra branca do poço do peixe", cuja inspiração é advinda das canções da banda Fresno sobre apologia ao consumo de crack.

História[editar]

Letreiro da cidade enfeitado com sisal que é uma planta que ninguém precisa cuidar, evitando assim esforço em deixar o lugar bonito.

Cidadezinha que começou em 1892 quando foi construída uma linha telegráfica (para que?) ligando Goiás ao pantanal, fazendo com que aquele povo deixasse de ficar isolado do resto do mundo. Depois do fim da construção, os baianos retirantes que trabalharam na construção dessa linha em regime de escravidão ficaram por lá mesmo, e foram capinando o local até que aquela roça começou a se considerar um povoado.

Depois de 50 anos de nada de bom acontecendo lá, a não ser a visita do Padre Voador, o município começa a ir para frente quando a prefeitura vendeu umas terras para um grande fazendeiro da região, incentivando a chegada de paraíbas retirantes ocupando o local, pois Itapirapuã era passagem entre a capital e o interiorzão.

Em 1953, pela Lei nº 6924/PQP, o povoado de Itapirapuã foi elevado a um distrito sanguessuga da então capital Goyaz. Mas bastante desenvolvido e abastecido com pinga, Itapirapuã conseguiu sua independência de Goiás Velho em 1958, tornando-se um município.

Economia[editar]

A economia de Itapirapuã constitui-se na plantação de capim, alta fonte de nutrientes para os caipiras da região que trabalham no arado diariamente. Outra fonte de renda local explora a pedofilia em alta na cidade, os gringos ricos de Goiânia e Brasília frequentemente visitam a cidade para traçar as pobres putinhas pré-adolescentes de Itapirapuã, e com isso movimenta-se o estimado a 80% da economia da cidade somando-se não apenas o programa em si, mas também com os alugueis de quartos nos brocheis da cidade, a compra de cocaína e o lanchinho da noite.

Turismo[editar]

Os principais pontos turísticos da cidade são:

  • Lanchonete Índia - Uma filial desgarrada do Habib's.
  • Feirinha Noturna - Evento que movimenta a cidade, onde se vendem pastéis de inhame, chapéus de palha, garotos de programas e bijuterias baratas.
  • Bueiro - Poção de esgoto no centro da cidade.
  • Clube AABB - Onde você pode pegar uma micose de pele, pois a água da piscina é trocada apenas de três em três anos.