Itauçu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Itauçu é uma pequena bostinha distante 60km da sede da fazenda de Goiânia. Faz parte da Liga dos Municípios Inúteis-Insignificantes do Interior do Interior de Goiás. lembrado no resto do estado pelas delicias vendidas nas lanchonetes 24 horas..

Conta hoje com 8.710 alienados moradores, sendo que destes, existem 6150 idiotas que continuam a trocar seus votos por 1 pé de botina ou 1/2 saco de arroz.

História[editar]

Aldeia fundada no século XIX por bandeirantes que se perderam no caminho para Macchu Picchu. Terminaram ficando por ali mesmo quando se convenceram que estavm perdidos, aproveitaram e demarcaram as terras da Capitania de Goiás.

Com o tempo a pequena aldeia torna-se ponto obrigatório de parada de tropeiros, muambeiros, boiadas, gente perdida e gnomos, todos dispostos a descansar de suas viagens usufruindo dos antigos bordeis, cabarés e puteiros da antiga Itauçu.

A medida que a cidade evolui, surgem o primeiro rancho, curral, capela, puteiro, campinho baldio e açougue (aka hospital). Cidade inicialmente chamada de Catingueiro Grande, devido ao grande número de catingueiros viados nas redondezas e o cheiro ruim de sovaco.

Em 1936 o vilarejo é elevada à status de curral de Itaberaí, com o nome Cruzeiro do Sul.

Em 1946 passa a ser um município pertencente ao Reino de Goiânia com o novo nome Itauçu, que significa em tupi-guarani "pau grande".

Recentemente a pacata cidade foi alvo de grande repercussão internacional depois de ser invadida por alienígenas (como podemos observar no filme baseado em fatos reais Distrito 9).

Geografia[editar]

Além de muito mato e pedras, há também a nascente do Rio meia-ponte, o principal esgoto da cidade de Goiânia.

Política[editar]

Itauçu é muito conhecida nas suas redondezas por sua política honesta e idônea, muito conhecida por processos mensais de improbidade administrativa em cima dos prefeitos analfabetos que o povo idiota insiste em eleger...

Os vereadores são do mais baixo calão. Ignorantes de primeira, analfabetos e picaretas por nascença, os vereadores só são respeitados pelas donzelas da cidade que lhes proporcionam prazer em troca de cerveja barata ou a promessa de algum emprego.

Quanto à prefeitura, todo ex-prefeito que ficou 8 anos no mandato nunca inaugurou uma obra sequer. E quanto aos secretários presentes no primeiro escalão do governo estadual nunca trouxeram qualquer benefício para a cidade.

Economia[editar]

Vale primeiro mencionar que existe uma agência do banco Itaú em Itauçu, então o nome da cidade pelo menos faz algum sentido.

A economia em Itauçu é impossível de ser medida uma vez que não existe dinheiro em circulação. Os alienados desta inútil cidade conseguem seus bens através de trocas ou passando a perna em seus amigos.

Os empregos são sempre os mesmos: Atendente de lanchonete, fazer boca de urna em época de eleição, trabalhar igual escravo na cooperativa de calçados, que aliás esta crescendo graças a injeção de incentivo dinheiro do proprietário que contrata os serviços da cooperativa, na verdade ele é o dono, é uma muamba só, no fim, tudo não passa de uma jogada para sonegar imposto e ter um trabalhinho escravo e de quebra eleger sua mãe que foi traída por 99% de seus funcionário ou na cerâmica tapuia, trabalhar no falido frigorífico de peixe que na verdade é um entreposto que perde para qualquer peixaria de Goiânia e vender muamba na feirinha de sábado.

A população espera ansiosa o término da construção do hotel. Sim! Itauçu terá um hotel. Com isso esperam que turistas desavisados passem por lá e deixem alguma grana na cidade, movimentando os restaurantes e todos os pontos turísticos da cidade que não existem. Entretanto é fato, e conhecimento de todos, que o hotel no fim será usado pelos forasteiros para fornicação com as nativas locais que, alias, não param de ter filhos de pais diferentes.

É um dos municípios que mais devem no país... Apesar de ter apenas uns 10 mil habitantes. Isso se deve graças a genialidade da população que troca votos por 1 litros de gasolina ou meio saco de fubá. Um dos últimos prefeitos foi acusado pelo tribunal de contas de ter desviado apenas uns 5 milhões de reais e ainda quase foi eleito, novamente, na última eleição.

Comunicação[editar]

Há em Itauçu um único jornal mensal que se saiba, o Jornal Mercadão, o jornal que ninguém lê. Tem esse nome porque tem mais propaganda que notícias. Está falindo porque o povo inteiro é analfabeto e só compram o jornal por ser mais barato que papel higiênico.

A comunicação também é feita por uma rádio registrada como comunitária, mas todo mundo sabe que tem dono e só toca coisas de interesse do proprietário.

O boca a boca é na prática a maior forma de comunicação nessa terra de gente fofoqueira e linguaruda, que não perde uma chance da falar da vida alheia.

Lazer[editar]

Dentre as inúmeras opções de lazer, podemos ressaltar: Bar, sinuca, bar, truco, bar, gamão e talvez, damas.

Há diversas opções de lazer para a população itauçuense. Há bares, botecos e distribuidoras de bebidas. Também existe o clube que sempre está fechado e a boate que nunca abre.

As festas são sempre iguais. O que muda são os carros que tocam o som. Bastou ligar o som de carro qualquer na rua e a festa está feita. Com algumas cervejas e uma conversa fiada é possível traçar qualquer garota da cidade, inclusive, garotas virgens é uma espécie em extinção em Itauçu.

O carnaval de Itauçu é um sucesso na região. Todo ano o mesmo DJ fracasso põe um CD com marchinhas e coloca no modo repeat e vaza para tomar cachaça enquanto a música rola o dia todo. O interessante é que o CD tem apenas umas 3 marchinhas (incluindo a famosa "Mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãaaaae eu quero me casar").

Segurança[editar]

A moderna e totalmente excelente Secretaria de Segurança Pública de Itauçu.

Existiu por muito tempo um grafite na entrada da cidade que dizia: A metade dos policiais de Itauçu são analfabetos, o resto é semi. Mas foi apagada por motivos desconhecidos.

De tempos em tempos os chefes do tráfico policiais que não levam desaforo pra casa dão um limpa na cidade, matando aqueles que são considerados pela sociedade "os mala pirigoso".

Ultimamente Itauçu assistiu o assassinato queima de arquivo de um jovem que dá noite pro dia apareceu de carrão importado, ele namorava comia as meninas mais ajeitadinha da cidade, pelo fato de estar arrebentando a banca de tanto vender o bral, foi parar no colo do capeta pela concorrência que é tamanha.

Transporte[editar]

A rua de entrada da cidade é mão única, apenas sentido Itauçu-Goiânia.

Educação[editar]

Inexistente. Todo mundo que estuda um pouco vai embora da cidade por não encontrar oportunidade na mesma.

Esportes[editar]

Até tinha um time de futebol que quase subiu pra primeira divisão estadual, mas no fim a equipe foi vendida para outra cidade para que o ex-vereador, agora prefeito que era dono do time comprasse votos na campanha da re-eleição.