Jack Christ

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
EUA Falencia.jpg God Ble$$ De$ciclopédia!!

Este artigo é gringo! Ele usa eletrônicos da Apple, tem um Chrysler poluidor, não joga futebol e acha que é privilegiado..

Cquote1.png IMITADOR!! Cquote2.png
Inri Cristo sobre Jack Christ

Jack Christ of America é um clone de Jesus Cristo de Nazaré, o primeiro criado, que foi concebido por cientistas americanos no ano de 1965.

Biografia[editar]

Concepção[editar]

A história de Jack Christ of America é muito controvertida. Em plena Guerra Fria, em 1961, o presidente americano John F. Kennedy teve a ideia de criar um clone de Jesus como forma de responder ao lançamento do primeiro satélite artificial, o Sputnik, pela URSS enquanto o programa espacial americano não ia pra frente. Para isso foram investidos milhões de dólares em um projeto ultrasecreto, que foi chamado de "Projeto Messias".

Já no ano seguinte começaram as primeiras pesquisas do Projeto Messias. O primeiro passo foi dado quando uma missão especial do Exército americano invadiu a Catedral de São João Batista, na Itália, para roubar o Santo Sudário. Foi então que, a partir do sangue presente no tecido do Sudário, os pesquisadores puderam extrair o DNA de Jesus Cristo e começar as primeiras tentativas de induzir uma fecundação in-vitro.

Com uma verba praticamente ilimitada, em apenas alguns meses os cientistas conseguiram fecundar uma voluntária com sucesso. Durante seis meses ela ficou internada em um laboratório secreto, sendo acompanhada dia e noite por diversos médicos e especialistas. Foi então que, na 26ª semana de gestação, um dos obstetras constatou através de uma ultrasonografia que o feto sofria de uma deformidade congênita chamada de fissura labiopalatal, mais conhecida como "lábio leporino".

Equipe da SWAT na missão de roubo do Santo Sudário

Seria o fracasso do projeto? Ninguém sabia responder. Milhões de doláres foram investidos na clonagem do maior ser humano de todos os tempos, e vem a surpreendente notícia: Jesus tinha lábio leporino. Não que o governo americano tivesse alguma coisa contra qualquer pessoa com lábio leporino (a não ser que ela fosse comunista, é claro), o problema estava no impacto publicitário. Anunciar a clonagem de Jesus mostraria para o mundo a superioridade do Capitalismo americano, mas como seria quando descobrissem que Jesus tinha uma falha genética? Ao invés de ficarem boquiabertas com a façanha dos cientistas dos EUA, as pessoas só falariam sobre o problema congênito de Jesus.

Não valia a pena, após milhões de dólares e meses de pesquisa, simplesmente abandonar o projeto dessa forma. Kennedy decidiu que o clone nasceria e seria operado pelos melhores cirurgiões plásticos, independente de qualquer problema (apesar da pressão dos republicanos, que queriam que o clone fosse abortado).

Nascimento[editar]

Foi então que, no dia 25 de Dezembro de 1965, de cesariana, nasceu Jack Christ of America. Foi escolhido um nome tipicamente americano, Jack; o sobrenome, convenientemente traduzido para o inglês, Christ; e o lugar? O lugar não era Nazaré, mas sim a República dos Estados Unidos da América!

Esfinge: profecia?

Jack foi levado direto para sala de cirurgia e começou a ser operado. Tudo corria bem, até que um dos médicos decidiu beber um copo de água e não percebeu que, misteriosamente, ela havia se tranformado em vinho! Embriagado, o cirurgião acabou cometendo um grave erro e arrancou o nariz de Jack. Tudo foi por água abaixo, ou melhor, vinho abaixo. Mesmo que a cirurgia do lábio leporino fosse um sucesso, seria praticamente impossível reconstruir o nariz do clone sem deixar terríveis cicatrizes, e se a imprensa descobrisse que o Jesus americano usava um nariz postiço o impacto publicitário almejado por Kennedy teria o efeito contrário. Era mais fácil mandar o homem à Lua do que correr esse risco.

Jack então foi devolvido à sua mãe (não Nossa Senhora obviamente, mas à mãe de aluguel) e ambos foram esquecidos pelo governo.

Infância[editar]

Pouco se sabe sobre a infância de Jack, pelo que consta nos arquivos da CIA, ele e mãe moravam em uma cabana no deserto do Arizona e recebiam do governo americano uma pensão de 150 dólares ao mês para não divulgar a verdade. Mesmo assim, Jack era tão discriminado na escola por não ter nariz ("tomara que você não seja míope, porque se você tiver que usar óculos tá fudido", "sente só que cheirinho bom, Jack", "porque você não começa a mentir pra ver se seu nariz cresce?"), que muitas vezes não se aguentava e explodia "Eu sou Jesus, me respeita!", mas ninguém acreditava nele; eram só os desatinos de um pobre menino desnarigado.

Jack não aguentou a pressão; saiu da escola e foi alfabetizado em casa, pela mãe. O dia mais feliz de sua vida foi quando completou 7 anos de idade e ganhou um nariz postiço, a partir desse dia, começou uma nova era na vida de Jack.

A depressão crônica adquirida pela discriminação de seus colegas se foi, e com sua ida Jack descobriu que, tal como seu irmão de DNA, tinha poderes sobrenaturais. Ajudava a mãe no orçamento tranformando água em vinho às vezes, e aprendeu a controlar tão bem seus poderes que conjurou um nariz de verdade para si mesmo. Ele já tinha 12 anos de idade.

Adolescência[editar]

Em nome de Jesus, passa a grana!

Mas nem tudo são flores na vida de Jack Christ. Seu poder de transformar água em vinho o introduziu à bebida, e junto a ela vieram outros vícios. Jack ficava o dia inteiro bebendo seus milagres, sem derramar nem uma gota pro santo.

Alcoolismo, depois veio o tabagismo. Jogo. Maconha, loló, lança-perfume, drogas leves em geral. Veio o ecstasy, LSD, cogumelo, cocaína e crack, e, finalmente, ópio, heroína e morfina. Foi o fundo do posso. Jack precisava fazer alguma coisa para sustentar seus vícios, por isso começou a roubar, ele tinha péssimas companhias, não demorou para que alguém o convidasse para isso. Jack virou ladrão com 17 anos.

Foi preso em flagrante dois meses depois de seu primeiro assalto. Condenado a 15 anos de prisão, tentou se matar várias vezes na cadeia, mas, para o seu desgosto, ressussitou em todas elas. Jack não podia mais aguentar essa situação, precisa contar para alguém toda a verdade, precisa do prestígio e do desencargo que merecia um clone de Jesus! Decidiu procurar a imprensa, e não demorou muito até descobrir um jornal sensacionalista interessado em sua história. Saiu na capa da edição de domingo e gerou interesse. Jornais maiores começaram a publicar sua biografia e quando tudo estava começando a repercurtir do jeito que ele queria, um jornalista conseguir o furo: um contato anônimo da CIA havia contado toda a verdade.

Jack Christ finalmente virou popstar. Recebeu anistia ("quem sou eu pra não perdoar o clone de Jesus", disse o diretor da penitenciária) e começou a usufruir da fama. Autógrafos, entrevistas no Letterman, na Oprah, fãs, devotos, etc... Era a vida que ele pediu a Deus.

Vida atual[editar]

Jack e um admirador: fama passageira

Adeus à fama. Ela é passageira, até para o clone de Jesus. Tudo foi muito bom enquanto durou, ganhou dinheiro, namorou celebridades, fez propagandas, até que foi esquecido. Sabe como é; a Britney Spears apareceu sem calcinha, Paris Hilton lançou outro filme pornô, Leonardo di Caprio admitiu ser gay e descobriram outros clones mais importantes, de Hitler, do Pelé, e até do próprio Kennedy: Jack Christ saiu da mídia. Participou do Big Brother, tentando resgatar sua popularidade. Em vão, foi eliminado no primeiro paredão (os outros participantes o acharam esnobe demais), teve que se contentar com uma vida comum.

Venceu as drogas. Abriu uma vinícula. Coisa séria, fica longe do produto, pra evitar recaídas, mas administra muito bem, e o vinho tem até um bom nome no mercado. Tem seu próprio dinheiro, casou-se, tem dois filhos, mas - apesar de ter o mesmo código genético de Jesus - não passa de um cidadão comum (quem sabe você até não já cruzou com ele na rua?).

Ver também[editar]

v d e h
Como parte da Teoria dos Múltiplos Jesuses, aqui estão listados todos os Jesuses conhecidos.
O original · O negro afrodescendente · Suposta reencarnação de Cristo · O que foi da Madonna · O que se rendeu ao tráfico · O dos anos 70's · O que veio do espaço · A versão albina e peruana do mito · O Messias da Teologia da Libertação · O esquecido pela história mas lembrado pelo RockGol · Sua bebida amazonense maranhense · Seu clone americano · O "Mega Zord" dos terráqueos · O digimon · O muçulmano · O hindu · O coreano · O primeiro cristo da América · O inverso de todos os Jesuses · O mais anti de todos os cristos · O que voltou da morte · O mestre Ninja · O poder do seu cosmo · Sua versão do Descicloverso · Sua versão bugada · O do "Paz, Amor, Fé, Esperança, Luz e União" · Sua versão feminina · A versão heavy metal · A versão gospel · A "música" · O Caçador de Vampiros · O do futebol · O fã de rave da Nova Ordem Mundial · O guerrilheiro