Japira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Japira é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Quando o fim do mundo chegar, esta cidade não vai ser destruída.

Sciences de la terre.svg.png
Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Japira.

Cquote1.png Você quis dizer: Acre Cquote2.png
Google sobre Japira
Cquote1.png Você quis dizer: Lugar onde sua vó nasceu Cquote2.png
Google sobre Japira

Japira é uma pequena cidade localizada entre Jaboti (não o animal), Pinhalão (é esse povoado também existe) e a GRANDE Ibaiti, com seus 30.000 habitantes dos quais, segundo pesquisas, 25.000 são dependentes químicos. Leva esse nome devido a um pássaro que dizem que existiu por lá, chamado Japuira, agora o porquê de o U ter sumido do nome ninguém sabe. Algumas teorias dizem que foi para unir-se a letra C e formar a palavra que melhor representa a cidade.

História e Cultura

Os índigenas da região são descendetes da tribo do pajé Japirado, també conhecido como um dos fundadores de ibaiti e pioneiro no cultivo de plantas medicinais na região. Hoje seus descendentes que ainda permanecem na aldeia, são em suma, algumas velhas mal amadas que ao sinal de qualquer barulho chamam a polícia, algumas meninas que completam 12 anos e acreditam estar na maior idade, muitos afeminados e muitas mulheres machos. Infelizmente o imperialismo da cidade grande (Ibaiti) dominou a cultura local e trouxe consigo os famosos EMOS e toda a turma GLS.

Ave majestosa que deu origem ao nome da cidade.

O comércio da cidade gira em torno de pequenos estabelecimentos que se auto intitulam "botecos" aqueles que não servem para essa função acabam virando igrejas. O principal Banco da cidade é o da praça, só serve para poupanças, as quais são muito utilizadas por sinal.

Em datas comemorativas, os habitantes locais vão para a megalópole Ibaiti fazerem suas compras de acordo com o que dita a moda Ibaitiense, afinal todo Ibaitiense acredita que a rua Paraná um dia será palco da Ibaiti Fashion Week (dos manos). Após as compras voltam para a feira da lua exibirem seus modelitos à lá Ipiranga (loja de maior sucesso na região).

A fauna da cidade não é muito rica. É composta principalmente por pequenas aves chamadas galinhas e alguns animais exóticos como tigrõess, todos criados pelas supracitadas velhas mal amadas.

Os pontos turísticos da tribo são respectivamente: a pedreira, morro que já existiu um dia e hoje serve de motel, lugar onde provavelmente foram fecundados cerca de 90% da população; Pico Agúdo, orgulho da cidade que exibe camisetas com o título o Pico é nosso. A importãncia do morro é tão relevante que todo cidadão japirense com mais de 2 anos já subiu lá. Caso não tenha subido favor se informar quando é a próxima excurssão da escola.

Lá também você pode encontrar as famosas batonsinhos. OBSERVAÇÃO: Japira também é o nome de um vilarejo da zona rural de linhares (ES), que é igual o Acre ninguém quer saber se existe ou não.

Política e Modernidade

A política é dominada por duas famílias de pajés com origens descendentes diferentes. No entanto hora um está no poder, outrora outro. Atualmente a cidade encontra-se à beira de um asilo.

A(s) principal(is) festa é/são aquela(s) realizada(s) nas casas, conhecidas na cidade como esquenta, porque a festa nunca termina na própria cidade, ou porque a cidade vizinha tem uma festa melhor ou porque novamente as velhas mal amadas chamaram a polícia.(hehehe verdade) e toda festa tem porrada e forró.

Os personagens mais ilustres não poderiam deixar de ser os bêbados que somem e aparecem regularmente e os políticos que têm os mesmos hábitos e que normalmente se encontram nos botecos da rua do colégio.

A cidade entrou no noticiário regional devido aos últimos acontecimentos tenebrosos que envolveram 3 assassinatos em menos de um ano. A polícia conseguiu identificar os criminosos e ainda ganhou uma viatura nova, abandonando o antigo toyotão bandeirante que ainda teimava em passear pelas ruas.

A modernidade chegou na aldeia através do novo caminhão de lixo, comprado na capital, o qual traz uma mensagem de conscientização para a população, um jargão novo: jogue lixo no lixo, Japira agradece, isso mesmo agradece com Ç. Outra novidade do século XXI na cidade é a presenças das Lan Houses como a do Julião (péssima propaganda), point de enontro daqueles que até hoje não sabem o que estão fazendo por lá.(hahahahaha demais)

Passando por essa humilde e encantadora aldeia, não deixe de visitar o centro comercial composto por 10 mercados, 1 posto de gasolina, 1 farmácia, 2 ou 3 lojas e 50 botecos. Horário de funcionamento Segunda à sexta até às 17, para o comércio em geral e até às 23 para os ilustres botecos. Isso mesmo o Pagé maior decretou horário de fechamento para os incomparáveis botecos. Coma o cachorro quente do Anderson (propaganda ruim), ou da nilcéia, do airton e etc, suba na pedreira, se tiver tempo vá até o pico, mas nunca se esqueça sempre de não trocar de marcha.

Também é conhecida como comércio forte de carroças (também conhecidas como carros velhos para os Wikipedistas), é normal sempre ver locos de Mobilete impinando aquelas porcarias e paus-velhos por lá (comumente perto da região da Igreja, Vila 15 e perto do posto da Sanepar) e se você que mora na capital tem uma carroça tente-a vender por lá.

Para maiores informações, a qualquer hora do dia, ligue para a central no número 12 90. (heheh)