Jaupaci

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Jaupaci, conhecida popularmente pelo carinhoso apelido de Currutelaci, é algo insignificante conhecido como município. De acordo com a lenda localiza-se no oeste de Goiás. Existe uma rivalidade entre Jaupaci e a cidade vizinha Israelândia semelhante à que existe entre Brasil e Argentina, porém é uma briga inútil, boba, porque essas duas cidades são parecidíssimas em sua insignificância.

História[editar]

Imagem mais recente encontrada de Jaupaci, distante da civilização moderna.

Tudo começou quando o Ivo Holanda (ilustre habitante de Ivolândia, cidade vizinha) divulgou em 1950 pelo Brasil inteiro a existência de diamantes em Jaupaci. Em 1951 aquelas bandas estavam lotadas de garimpeiros que descobrem que tudo não passou de uma pegadinha do Topa Tudo por Dinheiro. Como ja estavam por ali, criaram a vila.

Surgem as primeiras casas voltadas para o comércio de secos, molhados e peças íntimas para atender a população. Ainda como vila tinha o nome de Monchão do Pacu, nome tosco que algum humorista escolheu para fazer trocadilhos com a tradicional expressão jaupaciense Vá tomar no cu.

Em 1958 durante a primeira Reforma Agrária, Monchão do Pacu foi elevada direto à status de município porque não havia nenhuma prefeitura vizinha maluca pirada o suficiente para aceitar essa currutela como distrito. Muda de nome para Jaupaci em alusão aos símbolos da cidade Jaú, Pacu e Cipó.

Atualmente é apenas mais um município insignificante onde a principal opção de lazer é ficar vendo a grama crescer.

População[editar]

Vila (currutela) pequena, humilde e insignificante, parece que há mais cães que seres humanos. De acordo com a útima chamada haviam 2.000 habitantes (caipiras) por ali.

A população vive sem perspectiva de um futuro melhor, onde o maior objetivo na vida é algum dia ir morar em Goiânia ou em um outro lugar longe desta currutela, e quando voltarem para passear, vir botando banca.

Geografia[editar]

Localizado na Mesorregião do Fim do Mundo de Goiás e na Microrregião do Cu de Iporá, no meio do mato e sob o céu. O clima local é distribuído em uma estação, o verão.

Política[editar]

Outra coisa ridícula. Este lugar é a única currutela do universo onde tudo que se vai fazer tem a ver com política, se um cachorro caga na rua, a culpa é do prefeito, se uma vaca para na estrada a culpa é da oposição. Uns dizem "não vou fazer isso ou aquilo porque o vereador não deixa".

Comunicações[editar]

Depois de alguns séculos, chegou o sinal de celular! Foi o último lugar do planeta a receber sinal de celular. Isso já dispensa qualquer outro comentário...

Como não há Internet ainda por lá, esse artigo não foi escrito por um jaupaciense.

Esportes[editar]

No esporte, se formam times reunidos de fazendas e assentamentos vizinhos sempre passam vergonha em campeonatos, se tem 10 times, terminam em 11º lugar e não saem da Série Z do campeonato estadual.

Turismo[editar]

Há um poço na beira do Rio Claro que chama a atenção de algumas pessoas, as quais têm coragem de chamar aquilo de "praia", que na temporada de julho aparecem umas 200 pessoas de não se sabe onde super lotando a currutela de Jaupaci.

A única vez que a Currutelaci é lembrada na região é na época do que eles chamam de "praia", mas na verdade, aquilo se parece com um córrego, onde de ano em ano alguns pinguços usam seus uniformes mostrando o quão caipiras são seus habitantes.

Uma vez por ano a sua população se junta num curral para cheirar bosta de vaca e ver carneiros, festinha, a qual tem coragem de chamar de Pecuária ou Expo-Jaú. Sem falar na "carroça rosa" a qual participa de um desfile, antes do pessoal ir para o curral.