Jess Greenberg

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
ESTE ARTIGO É SOBRE UMA GOSTOSA!!

Ela provavelmente não sabe atuar, dançar, cantar, desfilar, praticar esportes, fazer cálculos matemáticos ou qualquer coisa de útil para a humanidade. Mas quem liga? Todo mundo a conhece apenas porque ela é uma baita duma

GOSTOSA

Japonesa fazendo nada.jpg
Dizem que, se você prestar bastante atenção, consegue ver um violão.

Cquote1.png Você quis dizer: Jesse Eisenberg Cquote2.png
Google sobre Jess Greenberg
Cquote1.png Não, é essa mesmo. Cquote2.png
Punheteiro sobre sugestão acima

Jess Watermelons Greenberg é uma cantora youtuber inglesa que transforma clássicos do roquenrou em melecosas melodias sertanejas. No entanto, segundo as más línguas, assim como Inês Brasil, seu sucesso é devido muito mais a seus atributos físicos do que a um real talento musical.

Antes da fama (e de outras coisas)[editar]

Nascida Jessé Monte Verde em Almenara, no norte de Minas Gerais, Greenberg cresceu como um menino raquítico e famélico que morava numa casa de pau a pique caçando barbeiros para comer no jantar. Único menino numa família de sete] irmãs, desde bem cedo seus pais se prepararam para sua transformação em lobisomem quando fizesse treze anos -- no entanto, como veriam, sua transformação foi em outra coisa.

Em março de 1994, numa manhã quente, seca e sem essência de eucalipto, enquanto admirava as piranhas que nadavam alegremente pelo Rio Jequitinhonha, Jessé refletia sobre uma conversa que tivera no dia anterior com seu pai. Segundo ele mesmo narrou em sua autobiografia Preciso tirar isso do meu peito antes que exploda, naquele momento a imagem começou a escurecer lentamente num flashback, e voltou a clarear para mostrar uma cena em que a família estava reunida na cozinha, lanchando areia com água salobra, pensando no que fazer para aumentar um pouco a renda. Foi então que o pai de Jessé, falando sobre um cabra valente que tinha saído de Almenara para tentar a sorte na cidade grande, disse a frase que ficaria para sempre gravada em sua mente:

Cquote1.png É, pra vencer nessa vida tem que ter peito. Cquote2.png
'

De repente, a cena cortou para o dia seguinte e Jessé teve um estalo -- que depois ele descobriu que era uma fratura em uma costela. Vendo as piranhas e lembrando-se do que seu pai havia dito, Jessé descobriu o que iria fazer para vencer na vida: bastaria juntar as duas coisas.

A ida para os EUA[editar]

Nessa foto eu não consegui ver o violão.

Jessé passou as semanas seguintes construindo uma jangada, a qual usaria para tentar chegar em Miami. No entanto, antes mesmo de lançá-la no Rio Jequitinhonha mudou de planos: havia passado tanto tempo cortando paus para fabricar o barco que teve a ideia de cortar o seu próprio, o que talvez tornasse sua viagem até mais fácil.

Naqueles dias, um pederasta muito conhecido chamado Zezeu, que tinha ido dar nos EUA muito tempo atrás e fez fortuna abrindo uma rede de lojas de ferramentas, estava de visita na cidade. Jessé sabia que toda vez que Zezeu vinha ele voltava para os esteite levando um garoto jovem para introduzir na sua roda de amigos, e se ele fosse o garoto da vez seria mais fácil de realizar o seu sonho de dar certo na vida.

Assim, por meio de um plano intrincado e elaborado que não vale a pena ser detalhado neste site que preza a moral cristã e é voltado para a tradicional familia brasileira, Jessé conseguiu ser o escolhido de Zezeu e ambos voaram num tapete de plumas de volta para os EUA, onde Jessé rapidamente uniu-se aos membros da turma de Zezeu e brilhou mais que purpurina.

O tchau ao bilau[editar]

Depois de alguns ânus, Jessé conheceu o famoso cirurgião plástico paulisto-estadunidense Dr. Gay Rey, que prometeu ajudá-lo a se tornar tudo o que quisesse ser. Com lágrimas em todos os olhos, Jessé relatou a seu amigo o plano que havia formulado naquela manhã de março, enquanto desenvolvia câncer de pele à beira do rio, e o cirurgião, que não era nenhum medicozinho, deu tudo de si para torná-lo realidade.

E assim, em 24 de julho de 2014, numa borracharia em Hawkins, Indiana, nascia para o mundo Jess Greenberg, a versão nova e (muito) melhorada de Jessé. Com duas bolas a menos e duas bolas a mais, ele ela estava pronta para conquistar o mundo de frente, até por causa do enorme amortecimento instalado.

A fama[editar]

Em seus momentos de folga, Jess dá atenção a seus fãs roqueiros, que, como todo mundo sabe, são um bando de punheteiros.

Já tendo cuidado da forma, Jess resolveu trabalhar o conteúdo. Mexendo no Facebook para buscar inspiração em pessoas felizes e bem-sucedidas, ela deparou-se com uma carreira em franca ascensão, dominada por pessoas que não tinham nenhuma habilidade específica além de querer aparecer: youtubers. Fascinada, Jess enumerou os seus talentos para decidir como montaria seu canal:

  1. Sou gostosa;
  2. Sou gostosa;
  3. Sei tocar órgão sexual masculino;
  4. Sou gostosa.

Com sua lista em mãos, Jess se dedicou a seu canal, que inicialmente se chamou Jizz Greenberg e era dedicado à punheta. No entanto, como os administradores malvados do Youtube ameaçaram bani-la do site, Jess reformulou seu canal. Dedicou-se a aprender outro instrumento que tinha muita penetração em rodinhas de amigos, o violão, e passou a tocar versões brega de grandes clássicos do roque, às quais ninguem presta muita atenção porque tem mais coisa pra ver no vídeo. No fim das contas, o canal de Jess continuou voltado à punheta.

Confira por si mesmo(a): [1]

O futuro[editar]

Com sua carreira em ascensão meteorológica meteórica, Jess já avisou que pretende investir em si mesma para aumentar seu sucesso, injetando uns 500ml de cada lado. Graças a isso, ela já recebeu convites do grupo Sambô para gravar um álbum duplo com versões country e samba de músicas Doom Metal.