Jetter Martin

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Jetter Martin é um caipira brigão que mete bala em qualquer um que lhe encha o saco, especialmente se este alguém for um Coy. Ele é mais um que tenta comer o Pica-Pau, mas acaba tomando no cu.

Origem[editar]

O pijama do último Coy, a prova da vitória de Jetter.

Jetter Martin nasceu em uma fazenda no interior do Texas, filho de um bêbado com uma meretriz de rabo grande.

Na infância, passava seus dias buscando seu pai no bar, assistindo Globo Rural e Canal do Boi e arrumando richa com as famílias vizinhas, hábito comum entre os caipiras para matar o tempo.

Depois de socar bala no rabo de quase todos os seus vizinhos, espantando-os dali, Jetter desafiou a última família, a dos Coy, que viviam do outro lado da rua. Sem nada para fazer, e de saco cheio de transar com as cabritas, os Coy aceitaram, e assim começou mais um bang-bang na região, que acabou com a extinção dos Coy, sendo que o último morreu de hemorroidas, ao levar uma bala no rabo. Seu pijama é guardado por Jetter, para provar que sua pontaria é infalível.

Porém, além de extinguir todos os Coys, a briga também matou todos os Martins, sendo que Jetter foi o último sobrevivente. Agora sem mais ninguém para brigar, nem ninguém para conversar, nosso amigo caipira começou a passar os seus dias na solidão, deitado na rede, comendo tapioca e batendo punheta pensando na Xuxa, vendos os dias passarem tranquilamente. Mas isso mudaria com a chegada de nosso amigo pássaro Pica-Pau.

História[editar]

"PQP, com essa raba, essa Coy tá convidada a ir cagar lá em casa".

Ao pegar o expresso dimensional e chegar no Acre, Pica-Pau primeiramente foi visitar as fazendas dos Coy e dos Martin, que eram pontos turísticos locais.

Ao entrar no território das fazendas, Pica-Pau foi ignorando todos os avisos e entrando sem ser convidado na cabana dos Coy, e não foi impedido, já que todo mundo da família já tinha morrido mesmo. Em seu hábito de mexer no que não deve para forçar um briga com algum personagem aleatório e animar o enredo de suas estórias, Pica-Pau foi mexer na carabina do ambrósio, que estava pendurada na parede com um aviso de "NÃO MEXA" em fonte 79. Em uma das inconsistências irreais que só acontecem em desenhos animados, do nada, a carabina disparou, acertando a madeira da varanda de Jetter Martin, que só possuía 5 milímetros e estava há mais de 24 metros de distância. Isso desencadeou a fúria do caipira, que imaginou que os Coy voltaram das tumbas.

Vendo que o pássaro dentro da cabana estava usando o chapéu dos Coy, Jetter deduziu que o mesmo era um dos Coy, e começou a meter bala indiscriminadamente, com sua arma de mira podre que ganhou do Rambo. E assim iniciou-se a segunda temporada da guerra entre os Martin e os Coy.

Durante esta guerra, Pica-Pau foi amarrado, colocado dentro de sacos, espancado, torturado, estuprado, levou porrada, levou tiro, foi explodido, foi violado, mas mesmo assim sempre voltou inteiro na próxima cena, retribuindo com sua especialidade, colocando dinamite na cueca de Jetter.

No fim, Jetter percebeu que era impossível matar o Pica-Pau, já que os roteiristas lhe garantem a imorribilidade, e desistiu de caçá-lo, aceitando assinar um cessar fogo com o pássaro, assim ambos poderiam voltar para a punheta. Porém, como esse seria um final broxante para um desenho do Pica-Pau, o mesmo fez um último truque, usando sua caneta bomba de agente secreto que explodiu na cara de Jetter, garantindo assim que mais um capítulo da guerra se iniciasse. E os dois começaram a trocar tiros, com suas balas imateriais que atravessam os corpos um do outro.

Atualmente[editar]

Depois que o Pica-Pau foi embora, pois estava com saudades do Cabo Canaveral, os tempos de paz voltaram na fazenda de Jetter Martin, e o mesmo voltou a fazer o que faz de melhor, porra nenhuma.