João Félix

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Lula bebado new york times maio2004.jpg Artigo ƒem imagenƒ é um porre, companhêro!!!
Eƒte artigo poƒƒui poucaƒ ou nenhuma imagem o iluƒtrando. Por favor conƒidere adiƒionar novaƒ imagenƒ para deixá-lo maiƒ intereƒƒante. Porque nunca anteƒ na Hiƒtória deƒta Deƒciclopédia foram adiƒionadaƒ tantaƒ imagenƒ...

João Félix é um esquema de extorsão e lavagem de dinheiro disfarçado de futebolista que atualmente finge jogar no Atlético de Madrid.

O começo[editar]

O esquema teve início em 2017, quando a organização criminosa conhecida apenas como S.L.B. aliciou um gajo de dezesseis anos de idade, obrigando-o a entrar em campo pela equipa B. Seguiram-se atuações medianas e até alguns gols, contra superpotências como Acadêmico de Viseu, Famalicão, União da Madeira e Braga B, provando que qualquer fedelho pode jogar pelo Benfica e ter relativo sucesso graças à ajuda dos árbitros.

Em 2018, o ator foi promovido à equipa principal do Benfica, e o esquema começou a ficar ainda mais explícito. Grandes penalidades eram marcadas para o Benfica sob circumstâncias absurdas, para serem cobrados pelo ator. Seguindo o ato, snipers e assassinos de aluguel eram colocados em pontos estratégicos do estádio para garantir que o esquema funcionasse perfeitamente. Seguem atuações de "gala" contra luminárias do futebol mundial como Rio Ave, Moreirense e Vitória de Setúbal, que, por algum motivo, recebiam malotes em seus balneários horas antes das partidas, além dos árbirtos serem orientados a colocarem na súmula da partida que os golos do Benfica foram marcados pelo gajo da camisa 79 (mais uma prova da farsa: que tipo de pessoa é parva o suficiente para escolher, de todos os números, logo 79?).

Suspeitas[editar]

Obviamente, a transferência levantou suspeitas desde o princípio: por que raios um clube de futebol pagaria mais de cem milhões de euros em um jogador de 19 anos que até hoje não provou porra nenhuma?

Resultados[editar]

O crime resultou em que todos os envolvidos tivessem prejuízo de alguma forma:

  • O Atlético de Madrid, por ter gasto 120 milhões de euros (porra, quase quinze milhões a mais do que o Real Madrid pagou no Cristiano Ronaldo, aplicando a correção de valores com a inflação) em um puto que ainda não fez nada de relevante no mundo do futebol;
  • O puto, por ser obrigado a passar vergonha toda santa semana em frente de milhares de pessoas, e às vezes para plateias internacionais de milhões;
  • A namorada do puto, por ter sido obrigada a se mudar para Madrid, perdendo pelo menos um ano de estudos, sendo obrigada a simular uma vida de ostentação no Instagram para passar ao mundo a impressão de que o negócio foi completamente limpo;
  • O Benfica, que ficou com pouco mais da metade do espólio do crime, mas foi estúpido e gastou 20 milhões para contratar o Raúl de Tomás apenas para vendê-lo seis meses e dois golos depois.