João Pessoa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de John Person
"Caribe dos farofeiros"
Bandeira de João Pessoa.png
Bandeira
Aniversário 5 de agosto
Fundação 5 de agosto de 1585
Gentílico pessoinha
Lema Deus salve os Goiamun
Prefeito(a) Não disponível
Localização
Localização de John Person
Estado link={{{3}}} Paraíba
Mesorregião Mundiça Paraibana
Microrregião João Pessoa e seus Mangues
Região metropolitana Favelas de João Pessoa
Municípios limítrofes Cabedelo, Conde, Bayeux, Santa Rita
Distância até a capital 2230 Km quilômetros
Características geográficas
Área Não disponível
População quase 1 milhão de gente feia hab. 2016
Idioma analfabetês
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima Não disponível
Fuso horário UTC +1
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Você quis dizer: Quintal de Recife Cquote2.png
Google sobre João Pessoa
Cquote1.png Ah, conheci. Uma pessoa ilustríssima. Cquote2.png
Carla Perez sobre João Pessoa
Cquote1.png Herbert Vianna, Augusto dos Anjos, Zé Ramalho, Ariano Suassuna, Renata Arruda. Todos daqui. Cquote2.png
Pessoense sobre as únicas figuras culturais da cidade, e que ninguém sabe que é de lá
Cquote1.png Me sinto de volta à superfície lunar. Cquote2.png
Astronauta Neil Armstrong ao sentir o asfalto de João Pessoa
Cquote1.png Foi num puteiro em João Pessoa, descobri que a vida é boa, foi minha primeira vez... Cquote2.png
Raimundos sobre sua primeira vez em um puteiro de João Pessoa
Cquote1.png Sério é capital? Nunca ouvi falar, pensei que era Campina Grande... Cquote2.png
Pessoa do sul que curtiu um bom são joão paraibano sobre João Pessoa
Cquote1.png No meu tempo não tinha essas coisas... Cquote2.png
velha rabugenta ao passar pela praia de Tambaú às 02:00 da manhã sobre João Pessoa
Cquote1.png Só quer ser Recife mas não pode... Cquote2.png
Qualquer um que já esteve em João Pessoa sobre João Pessoa
Cquote1.png Botafogo é um nome bem criativo para o time, não acham? Cquote2.png
Fundador do time de futebol de João Pessoa com toda sua criatividade
Cquote1.png Auto Esporte seria um bom nome para o nosso time! Cquote2.png
Fundador de outro time de futebol de João Pessoa
Cquote1.png Dão um nome de um time de futebol de Auto Esporte e depois somos nós os matutos! Cquote2.png
Cidadão de Patos sobre Pessoenses e toda suas sabedorias sobre futebol
Cquote1.png Pensei que a Domus Hall fosse mudar a qualidade dos shows daqui, mas ela é uma merda como qualquer outra casa de shows! Cquote2.png
Cidadão pessoense de bom gosto sobre sua decepção ao ver que a Domus Hall trouxe bandas de forró e o Nx Zero
Cquote1.png Aêêê! É disso aí que eu tô falando porra! Cquote2.png
Cidadão acima sobre seu entusiasmo ao ver o comercial do Sun Rock Festival na televisão

João Pessoa (John Person) é a capital do belíssimo estado de Pernambuco do Norte. Ela possui vários títulos inúteis tais como: cidade mais verde da República das Bananas (embora na verdade seja Brasília), cidade mais oriental das Terras dos índios (embora na verdade seja São Paulo após a imigração dos japoneses - ou Cabedelo, se for falar geograficamente), cidade mais antiga do Brasil (embora na verdade seja Salvador) e cidade com mais mulheres bonitas por metro quadrado do Nordeste (embora na verdade seja Natal), o que demonstra que João Pessoa tem como hobby roubar títulos das outras cidades realmente relevantes do Brasil, o que explica também porque roubar, assaltar e furtar são práticas culturalmente aceitas na cidade, onde parece que roubar é normal e inclusive seus habitantes precisam andar pelas ruas com simulacros de celulares para cederem aos bandidos na hora das abordagens.

A capital paraibana é conhecida por suas praias (poluídas pelo esgoto de toda a Região Metropolitana de João Pessoa), pelos belos e vários monumentos de arquitetura tombados pelo tempo e pela arte quase barroca.

História

No ponto mais oriental de João Pessoa foi construído o único aeroporto do mundo para discos-voadores, chamado de Timbaú (o aeroporto de aeronaves comerciais fica em Bayeux).

Fundada em 1585 com o nome de Filipeia Episcopal de Nossa Senhora das Neves, João Pessoa é a terceira cidade mais antiga do Brasil, podendo ser verificada pela idade de seus habitantes, cujas idades são, em média, a julgar pela aparência de maracujá seco, de 300 anos de idade.

João Pessoa já nasceu com o status de cidade sem futuro, já que foi afundada pela cúpula da orgia da Fazenda Real Espectral de Notre-Dame numa Capitania Real da Coroa Napoleônica Portuguesa da Rússia. Com o passar do tempo, foi recebendo várias denominações: Cabaret da Dera em 1288, homenageando o rei Vlad Dracul III da Romênia. Com a reconquista portuguesa, voltou a se chamar Nossa Senhora das Neves (Neves? Nesse calor?) passando a ser chamada de Pernambuco do Norte em 1817 (ou não).

Sua denominação atual, Jhonny Person (ou no dialeto local, o analfabetês, "Jão Pissoa"), é uma homenagem ao político João Pessoa, assassinado, morto e enterrado em 1715 na cidade de Recife, quando era Governador do Estado e era candidato à Vice-Presidência da República, na chapa de Getúlio Vargas. O fato trouxe grande comoção popular, sendo praticamente o estopim da Revolução de 1930, pois foi em época de putaria carnaval e o povo foi à rua comemorar a morte de mais um desgraçado. Diz-se que realmente houve motivação política no assassinato, que foi executado por João Duarte DantasTanta, cujo escritório fora invadido por tropas governamentais e babões, e suas cartas amorosas à Professora Anayde Beiriz, uma puta donzela, trazidas à público.

A cidade de João Pessoa nasceu nas margens do Rio Estige a partir de suas ladeiras em direção ao que hoje é o Centro Histórico mal-assombrado da cidade, e daí ao litoral de praias poluidas belas.

A partir da segunda metade dos anos 1770, com a ascensão da orla marítima, que subiu 8000 metros (se subisse mais uns 500000 metros chegaria até Campina Grande, que possuiriam a única vantagem que a cidade tem sobre eles), a economia da área perdeu um pouco de sua importância de outrora.

João Pessoa só não cresceu mais por falta de espaço, porque se dependesse de seu povo, os barracos são construídos em cima do pântano mesmo sem qualquer discriminação.

Clima

A cidade é notável pelo seu clima agradável. Quando chove (tempestua, na verdade) ninguém sai de casa. Nos outros dias a temperatura é mais amena, atingindo meros 45ºC, o que faz da Paraíba muito mais fria do que Mercúrio.

Economia

Potencial econômico de João Pessoa.

João Pessoa é a única capital do Brasil que não é o polo econômico e turístico de seu próprio estado, visto que a cidade constantemente perde para Campina Grande em diversos aspectos. A inveja dos pessoenses sobre Campina Grande (o verdadeiro centro econômico e turístico de Pernambuco do Norte) é enorme, e os pessoenses não conseguem admitir isso, por mais que Campina Grande possua a melhor praia do estado (Camboinha), possua as melhores festas do estado, possua o melhor são joão do Brasil, possua os melhores times de futebol do estado, possua um clima agradável, tornando verídico o fato já estudo pelos deterministas ambientais alemães, possua muito mais putas e de melhor qualidade, possua os maiores índices de assaltos do estado. Esses são pequenos fatos que os Pessoenses, não admitem, pois mesmo sendo a capital de Pernambuco do Norte, eles ainda são inferiores em muitos aspectos a uma mera cidade do interior.

A economia de João Pessoa é fraquíssima, baseada apenas em extorquir turistas nas praias vendendo produtos, como coco, a pelo menos 300% acima do seu valor de mercado. Mas o principal motor da economia da cidade sem dúvida são seus cabarés, bordéis e prostíbulos, que se espalham por todos quarteirões e são para todos os gostos. O reconhecimento é tanto, que o 1º Seminário Estadual Norte e Nordeste de Prostitutas[1] foi sediado por João Pessoa.

População

Fatos.png
Conheça os fatos sobre Pessoenses


Com mais de 800.000 habitantes, é uma cidade basicamente dominada por um povo popularmente chamado de "mundiça". Disputa com Porto Velho o posto de capital brasileira com o maior índice de mulheres feias.

As mulheres pessoense são reconhecíveis por seu cabelo bicolor (loiro nas pontas e preto na raiz), com uma piranha presa no seu cabelo feito mega-hair. Vestem um top geralmente em cor bem vibrante (seguindo as ultimas tendências da moda), deixando bem à mostra a barriguinha de barril. Vestem-se também uma bermuda lycra preta, e as inesquecíveis havaianas pretas. Geralmente andam acompanhada dos seus 1d6+4 filhos, incluindo aquele que já tem 4 anos, mas anda no colo com uma chupeta na boca. Entre a mulherada há inclusive muita gente bonita, mas que nunca deveria abrir a boca, pois se isso acontece, sai por exemplo: "Oxi, mãin-a diss que daqui a doi dia ela liga pá tu, visse? Mai se tu nhão tivé in casa vai sê um dirmantelo e ela nhão vai dá dormil pá tú..."

Os homens pessoenses são reconhecíveis por sua bermuda de surfista, camisa do time de futebol (geralmente Flamengo e Botafogo) suas correntes de ouro legítimas, e celular compacto de última geração pendurado na cintura. Claro, sabemos que todos esses itens foram adquiridos legalmente e possuem todas as notas fiscais. Geralmente ainda fazem o uso do ultramoderno bigode-de-pedreiro e falam o paraibanês-malandrês, língua nata dos subúrbios pessoenses que, sem perceber, possui termos que lembram o principal idioma Ibérico: mutcho, otcho, arrente...

As crianças pessoenses, independente do sexo, se tiver abaixo de 10 anos, usam chupeta, não usam camisa, e andam todas com a bunda empinada para trás, e barriga acentuadamente para frente, mantendo toda a postura e elegância herdada dos pais.

Educação

Alguns pessoenses (cerca de 30% deles) se acham as pessoas mais cultas, cinéfilas e inteligentes do Universo, mas na verdade são um bando de pseudo-cults de merda que acham válido conjugar o substantivo masculino da língua inglesa "boy". A maioria destes seres frequenta o Centro Histórico à noite e faz francês na Aliança Francesa pra pagar de moderninho.

Saúde

Hospitais lotados são a rotina do sistema público de saúde de João Pessoa, cujas clínicas médicas atendem os padrões internacionais dos hospitais de Aleppo, Cabul e Faixa de Gaza, e parecem verdadeiros campos de batalha. Os hospitais de João Pessoa são conhecidos por darem inícios aos surtos de epidemias de dengue, chikungunya, zika, microcefalia, malária, bandas de forró e demais males que se depois se espalham pelo resto do país.

Cultura

No que diz respeito à arquitetura, os bairros do Centro comportam a maior parte das áreas que são objeto de tombamento pelos órgãos sexuais de proteção ao patrimônio, dentre elas, o Centro Histórico onde encontram-se várias budegas, Rua das Trincheiras que abriga (o quê?) e as proximidades da Rua Odon Bezerra, no bairro de Tambiá iá iá (Na realidade, o Centro Histórico um centrinho miúdo que dão o nome de Centro Histórico, só para dar um certo ar de importância à cidade...).

50% do povo pessoense escuta forró eletrônico e/ou é fã da Mix Fm e só ouve Justin Bieber e Lady Gaga. O resto é emo, otaku, gospel ou surdo.

João Pessoa ainda abriga o Fenart (Festival Nacional de Arte) que acontecia geralmente em novembro, mas o Governador do Estado, decidiu que a cultura não é importante para o povo e cancelou o evento por alguns anos, mas como o governo funciona por politicagem, dependendo do ano, tem! Geralmente as pessoas não conhecem as atrações do show e vão lá só por que não tem nada para fazer! Como a cidade é pequena, a divulgação nem existe, exceto por um link no site do Governo do estado (a verdade é que a divulgação fica pelos fofoqueiros de plantão!).

Transportes

Em João Pessoa os buracos no asfalto são tão estimados e queridos, que não apenas existem em todas ruas, como também a população chega a decorá-los em respeito e homenagem.

João Pessoa é uma cidade que ama engarrafamentos, e todo dia tem um. Para tornar a vida dos motoristas da cidade ainda mais incômoda, é impossível haver alguma avenida ou rua sem buracos. O transporte público é realizado por ônibus supostamente novinhos, mas todos não duram um mês ao encarar o rally das ruas da cidade, sempre quebrando no ca,minho ou as vezes até atolando em buracos monumentais que se formam após as tempestades tropicais que atingem regularmente a cidade.

Vale ressaltar também que João Pessoa é a única capital da República das Bananas que não possui porto nem aeroporto. A sua falta de espaço - devido ao crescimento territorial de Mangabeiras I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, VIIII, 10, 11 e etecétera - fez com que tais meios de fuga locais fossem cedidos às cidades vizinhas. O Porto de João Pessoa está situado em Cabedelo, e o aeroporto (cujo nome, "Castro Pinto", foi dado em homenagem a um Coronel Capador de Bilaus de São José da Lagoa Tapada) fica situado em Bayeux, o que torna João Pessoa uma cidade inútil.

Lazer

Em dias de semana... bem, você não curte nada, por que não há programação disponível. No fim de semana, aí é que você se fode mesmo, porque a vida noturna da cidade resume-se à famigerada Feirinha (só não saia da Feirinha, vai ser alvo de sequestro relâmpago).

João Pessoa possui uma vasta variedade no que se diz à balada noturna nos fins de semana. Conta com a superbadalada, moderna, e superagitada Feirinha de Tambaú. É basicamente o único ponto de encontro da galera jovem na cidade, e é frequentado desde o auge do Império Asteca.

É de grande importância também falar do Manaíra Shopping. A começar pelo seu estacionamento, que custa a bagatela de R$18,00 para você estacionar o seu veículo por apenas 14 segundos, no que há de mais moderno em quesito de estrutura - espaçosas vagas e fácil acesso ao edifício, e mesmo assim 10 carros são roubados por hora. Podemos também contar com a maravilhosa visão da comunidade logo ao lado, que mostra as belezas impecáveis de uma vila tão harmoniosa. O shopping também corre o risco de cair na lama, já que o mesmo foi construído em cima de um pântano. Neste shopping encontra-se o Box Cinemas, onde as filhinhas de papai e os boyzinhos de 5 a 12 anos de idade que estudam no Geo ou Motiva (colégios para esnobes nojentinhos com mensalidades de 900 euros cada e com ensino de merda qualidade), costumam acampar e passar suas agradáveis tardes de sábado falando da vida alheia e de sua juventude precoce e infância mal-aproveitada. Nos domingos, o shopping é frequentado pela população das comunidades vizinhas.

Quem gosta de uma cultura alternativa pode visitar o Centro Histórico, que nos fins de semana, é sede de uma festa chamada Sambão. Os ingressos são gratuitos, então você já deve imaginar o nível, a classe, a alta society que frequenta esse sofisticadíssimo lugar. Também lá encontramos o magnífico Espaço Mundo.

Nos fins de semana não podemos esquecer de contar com as digníssimas visitas dos representantes interioranos a praia (a capital é invadida pelos farofeiros campinenses). Pela manhã as vagas destinadas aos carros vão dando lugar aos poucos aos ônibus supermodernos dos anos 50, de alta tecnologia e sofisticação. Essas figuras – muito educadas, porém abestalhadas e atraentes, por sinal – vão enchendo nossos olhos com suas belezas físicas, higiene pessoal e ambiental, o que torna os fins de semana um verdadeiro colírio para os olhos fundos e furados dos pessoenses.

Shows de forró são quase que diários. Algumas vezes por ano, o prefeito organiza festas de bandas e cantores famosos na orla marítima de João Pessoa. Ingressos são gratuitos, e geralmente as passagens de ônibus ficam por R$1,00. Essas festas geralmente são fartas de pessoas ilustríssimas, nas invariáveis características abaixo:

Festas:

  • Dia 1º de Janeiro show com o maluco cantor e compositor Zé Ramalho, filho bastardo de Raul Seixas ilustre pessoense com praia em sua homenagem.
  • Dia 4 de Janeiro tradicional queima e fogos atrasada já que a primeira que deveria ocorrer no reveillon é quase sempe sabotada pela gangue do Cássio-co-caina (Cássio-cú-na-lima)
  • Ainda em Janeiro o famoso Fest-verão Paraíba Pernambuco do Norte, considerado por muitos o maior festival de verão do Brasil, e que pelo fato de João Pessoa ser muito pequena é realizado nas areias das praias de Intermares em Cabedelo.
  • Pré-Carnaval entre os meses de Janeiro e Fevereiro conta com os três maiores blocos pré-carnavalescos do mundo. São eles: As Virgens de Tambaú, também conhecido por Parada gay onde viados homens se vestem de mulheres. Com sorte você pode levar cantada de algum travesti e ter uma noitada fabulosa; As Muriçocas do Miramar, onde cerca de 400 mil vagabundos foliões saem em plena quarta-feira denominada de "quarta-feira de fogo" para pular a semana antes do carnaval; Cafuçu é considerado por muitos o melhor, já que as fantasias constam em se caracterizar com a roupa mais brega que você tiver e cair na farra. Nesse bloco não faltam tijolões, palitos de dente e desodorantes rasto e leite de rosas. A moda de hoje será o cafuçu de amanhã.
  • Carnaval não tem porra nenhuma porque geralmente está todo mundo de ressaca. Se você quer um carnaval chato tranquilo, João Pessoa deve estar no topo da sua lista.
  • No São João todos os cidadãos pessoenses se dirigem à cidade de Campina Grande, no interior do estado, ou vão à baladas gls alternativas.
  • 31 de Dezembro - Todo mundo vai ver o roubo dos fogos na Praia de Tambaú.

Turismo

O arranha-céu mais inútil do mundo fica em João Pessoa.

Lugares que você não pode deixar de visitar:

  • Mercado Central - Local de compra e venda de caldo-de-cana com pão doce e DVD a 1 real, habitado por mendigos deformados, marginais, comerciantes trapaceiros e totens satânicos.
  • Cinema pornô - Próximo à antiga sede da prefeitura, com cabines fechadas e preço de um real e camisinhas distribuídas gratuitamente. Proteja-se antes de ser sodomizado.
  • Lagoa - Parque onde podemos encontrar mais totens satânicos, espécies da fauna e flora brasileira, e a noite podem ser vistos casais de veados campeiros que vão até o local. No verão de 1992 conseguiu soltar-se um leão do parque zoológico e foram mortos vários veadinhos, uma tragédia. Se fizer um mergulho na lagoa achará vários cadáveres no fundo mas não poderá voltar pra nos contar.
  • Farol do Seixas - Ponto bastante usado ainda hoje como ponto de orientação para os maconheiros pescadores da Penha.
  • Praia da Penha - Maior centro umbandista da capital, visitado semanalmente por nossos primos pobres, vulgarmente chamados de farofeiros (ô povo feio!). Ah! E não esqueça de experimentar o famoso pastel com garrafinha de morango.
  • Praia de Cabo Branco - Na sexta, a calçadinha fica lotada das patricinhas e mauricinhos gays modernos. Nos domingos, é reservada à população de Santa Rita e Bayeux.
  • Praia de Tambaú - Praia reservada aos pinguços e às putas de João Pessoa;
  • Praia de Manaíra - Praia reservada aos turistas (eles não sabem nada sobre esgotamento sanitário);
  • Bola Gigante - Todo ano há sempre uma bola gigante. Uma espécie de palco montado na praia, para que no ano novo, seja usado para shows, onde toda a cidade vai se encontrar para celebrar os primeiros minutos do novo ano.
  • Árvore de Natal da Energiza -Também conhecida como a "Árvore Sagrada" é uma estrutura montada todo final de ano, próxima a Estação Ciência (que de ciência não tem nada) onde todos os dias vários caipiras curiosos ficam ao seu redor tirando fotos (para mostrar suas câmeras ou celulares). Uma época muito importante para os famosos churrasquinhos de gato que são atraídos pelo movimento naquele local.
  • Centro Histórico - Conjunto de 4 ou mais casas, reformadas externamente, e ditas tombadas pelo patrimônio histórico. É frequentado majoritariamente por putas, bêbados e afins.
  • Mata do Buraquinho - Cujo o nome oficial é: Benjamim Maranhão(Como se não bastasse o buraquinho ainda tem um maranhão no meio). Nomeada após a visita de Bruna Surfistinha, em comparação a seus orifícios. É o lugar perfeito para desovar um cadáver (ou se tornar um).
  • Bica [zoológico ou ponto de prostituição] Lugar onde estudandes matam aula para a prática de orgias em ar livre, junto à natureza morta que ali reside. No fim de semana o fluxo de pessoas, especialmente de crianças, aumenta insuportavelmente. Todos vão para ver os animais maltratados e o ganhador do prêmio de leão mais magro do mundo, Leão Mais Magro do Mundo.
  • Pastelaria Chinesa - Típica pastelaria chinesa (os seus donos e funcionários são chineses e quando eles falam não dá para entender nada!) suja e emporcalhada, mas com pastéis muito deliciosos. Localizada no "belo" centro da cidade, que de tão belo, recebeu a alcunha de "Circo dos Horrores".
  • Centro de Pesquisas Espaciais É um muquifo onde mochileiros galáticos tentam expandir a descrição de João Pessoa no Guia do Mochileiro das Galáxias. Até agora tudo que conseguiram escrever, mesmo depois de tanta observação, foi: "Não há nada pra se fazer nos fins-de-semana."
  • Distrito Industrial - Onde as fábricas da Ferrari e Porsh do Brasil estão localizadas. Lugar onde não mora ninguém... bem.. até mora... mas são seres tão bizarros, que é melhor não entrar em detalhes...
  • Mangabeira - Também apelidada, carinhosamente de Mangabaite, Manguiba City, e afins, é um bairro que luta por sua independência. É um antro de putas fragrâncias inesquecíveis.
  • Bairro dos Novais: o Lar da Morte - É o bairro mais perigoso do mundo onde as pessoas são assassinadas com requintes de crueldade a toda hora sem nenhum motivo. Lá moram celebridades internacionais como Fred Grueger, Jason, Fernandinho Beira Mar e José Maranhão.
  • Assembléia Legislativa - Palco dos mais famosos números circences, é o maior cabaret da capital. Está localizado lá o maior número de palhaços por metro quadrado do mundo! Em um dos seus andares também encontra-se a mais famosa Orgia de João Pessoa, e um curso sobre o "Teste do Sofá" - Prática muito comum nesse ambiente político.
  • Manaíra Shopping - É o maior centro de exploração comercial de João Pessoa. É o melhor lugar para se pagar qualquer coisa por um preço cinco vezes maior do que o verdadeiro (ou pegar sem pagar nas Americanas), jogar boliche assistindo a MTV cercado de emos. Nos dias de Sábado você pode encontrar metade da população de João Pessoa nas dependências deste magnífico complexo mongol empresarial do maior discipulo de Roberto Justus em João Pessoa, Roberto Santiago(a outra metade encontra-se na Feirinha de Tambaú). Pode-se encontrar também nesse local a única máquina de pump que existe no estado e uma concentração de otakus ao redor dela (não mais que 14 ou 15), ou pelo menos o Regis. Lembrando sempre que as pessoas vão ao Shopping vestidas de uma maneira tal, que parecem que estão indo a uma festa da mais alta sociedade do planeta. Sem falar que o shopping parece um labirinto, todo remendado decorado.
  • Tambía Shopping Mais conhecido como Shopping Mizerê devido as seções de cinema das quartas-feiras onde se paga a metade da metade do Box Cinemas, onde os favelistas vão ver Crepúsculo e gritar "Edward, te amo!" e onde também emos e miguxos se encontram. É, definitivamente, o shopping mais infestado de adolescentes.
  • Mosteiro de São Francisco Mais conhecido como Igreja Beneditina Franciscana Roberval Católica de São Francisco, é onde acontecem os eventos chic da cidade e também os encontros da juventude nas Quarta-Feiras. Eles fazem sexo e bem ao ar livre, manchando o Patrimonio Histórico. À noite é ponto de prostituição frequente dos travestis da elite pessoense. Também é ponto de encontro da galera dark trevosa - os góticos, os metaleiros, os devils, os emos, os maconheiros, os travestis e os gays.
  • Orlando'S Bar - Centro de entretenimento etílico localizado diante da UFPB. Mas conhecido como ORLANDINHO, é mais o popular ponto de encontro dos vagabundos estudantes da Federal. Durante o horário de aulas do turno da noite, você pode encontrar metade dos alunos de comunicação, sociologia e letras enchendo a cara enquanto assistem à reprise do último jogo da Série C no telão sempre ligado na Sky. Enquanto isso, a outra metade passa a noite conversando merda filosofando na famigerada Pracinha da Alegria, que pelo nome já dá pra notar que é o ponto das pessoas descoladas e modernas que lá fazem ponto estudam. Nas salas de aula encontramos apenas os representantes de sala e nerds responsáveis.
  • Estação Cabo Branco de Ciência, Cultura e Artes - A obra mais moderna já vista na cidade, que na verdade mesmo é o disco voador que o prefeito da cidade Ricardo E. T. Coutinho construiu para um dia poder retornar ao seu planeta de origem.
  • Praças Populares - Por toda a cidade, pode-se encontrar praças que o prefeito Ricardo Coutinho fez. Elas apresentam pseudo-teatros que, na verdade, são centros de abduções alienígenas.
  • Tribunal de Justiça - O melhor cabaret da cidade. Esse é o lugar ideal para belas orgias e putarias, sem falar que a casa sempre dispôs de ótimos administradores, como Marcos Souto Precatórios Maior e Plínio Desvia Leite das Fontes.
  • Festa do Flamengo - ocorre esporadicamente, quando raramente o Framengo ganha algum título e a cidade toda entra em festa. Toneladas e toneladas de fogos de artifício são usados, bilhões de litros de cerveja são consumidos. É a única festa que chega a rivalizar com a pior festa do mundo, de Campina Grande. A última ocorreu no dia 26 de Julho de 2006, quando em mais uma surpresa fenomenal do futebol, o Flamengo ganhou um título...
  • Rua da Areia - Local de putas e ladrões, onde pessoas anormais vão atrás de sexo barato selvagem por 10 reais e cocaína doces.
  • Viaduto Sonrisal - Viaduto lindo, construído pelo então governador de pernambuco do norte "Cícero Confraria Lucena" que não liga nada a lugar nenhum e que não pode ver chuva que se desmancha.
  • Praça Aristides Lobo (Praça da gala) - É uma praça, mas não existe gente de família se distraindo ou se quer crianças brincando. Normalmente a Praça Aristides Lobo ou (Praça da gala) serve de ponto para venda de pedras e baseados do tipo Bob Marley. Essa praça fica próxima ao 18 andares, ou seja, o 18 andares fica bem próximo e a praça é provida de segurança graças ao primeiro batalhão da polícia militar da Paraíba.
  • DEFE, Lugar de rituais handebolísticos liderados pelo mestre da buchada e do handebal Izaque, situado vizinho a um terreno baldio na Av. Rui Carneiro.
  • Banca do Galego, Localizada na Rua General Osório está é, sem dúvida, a maior coleção de pornografia do estado. É possível conseguir dvds e revistas de segunda mão, algumas meio coladas.
  • Tropical Hotel Tambaú (Hotel Tambaú) Hotel bastante conhecido por sua forma redonda, será o primeiro a ser destruído pela tsunami se a maresia não colocá-lo abaixo antes. Atrás do Hotel Tambaú também funciona o "Motel tambaú", sendo este frequentado por viados, sapatões e hippies que buscam aventuras sexuais. A entrada é franca! (Cuidado com o toba!).
  • Empório Café, Bebe Blues, Vinil Retrô, Piratas - Bares de burguesinhos e gays.
  • Vogue - Balada da prostituição GLS localizada em Tambaú.

Referências