João de Barro (lenda)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Rambo.jpg Bem-vindo à selva!

Este artigo é sobre algo ou alguém localizado no meio do mato e vai te levar para o Lado Verde Escuro da Força. Se vandalizares, Rambo vai descarregar a metralhadora no meio da tua fuça!

Cquote1.png Você quis dizer: João de argila? Cquote2.png
Google sobre João de Barro (lenda)

Cquote1.png Experimente também: José Areia Cquote2.png
Sugestão do Google para João de Barro (lenda)
Cquote1.png Porquê João? Porquê não Thiago, Pedro ou Henrique? Cquote2.png
Um João qualquer perguntando o porquê de sempre sobrar para os Joões
Cquote1.png Ki IxStOhHrIaAh LinNdAxX S2! Cquote2.png
Emo sobre a lenda do João de barro

Após se transformar no pássaro, João migrou para os países orientais e fixou residência por lá.


João de Barro é o nome de um passarinho muito conhecido de todos os brasileiros. Mas os índios, como nunca tem nada pra fazer, inventaram mais uma das suas miraculosas lendas para explicar a origem e o porquê do João de Barro morar em uma casa de barro e ser chamado de João.

A lenda[editar]

Bem, mentem dizem os índios, que um índio e uma índia estavam perdidamente apaixonados. O nome desse índio in love era Jaé Bé Lé. Após muito tempo enrolando a pobre indiazinha, Jaé resolveu que iria pedir de seu pai, o cacique Arran Ca Pinto, a mão de sua noiva em casamento. Para tanto, este se preparou psicologicamente, fisicamente e dinheiramente durante cinco meses, até que criou coragem pra ir pedir a mão de sua amada, e foi.

Ao chegar com o pai da guria, e pedir a mão da mesma em casamento, foi interrogado a respeito do amor que sentia pela filha do cacique, e o que seria capaz de fazer para tê-la em casamento, e pra merecê-la. Após esta pergunta, o indiozinho ficou sem saber o que falar, e se lembrou de um filme que havia assistido a pouco tempo, em que um jovem se encontrava na mesma situação que ele. A reposta foi a mesma dada pelo ator do filme: -As provas do meu amor - disse o índio, sem ao menos saber o que significa prova e amor.

Um índio emo, moda lançada pela pobre índia viúva sem ter casado.

O velho cacique não gostou nem um pouco da resposta do índio, e tratou de matá-lo. Mas não conseguiu, pois como havia se preparado fisicamente para esse encontro, ele saiu correndo que nem um louco mata adentro. Quando soube do fato ocorrido, a indiazinha ficou muito triste, mas muito mesmo, e como prova de sua infinita tristeza, ela fez uma franja em seu cabelo, ouviu umas três músicas das bandas Fresno, NX Zero e Paramore, e tentou se matar afogada em suas próprias lágrimas, como não conseguiu, ela simplesmente cortou os pulsos e se matou-se a si mesma. É nesse momento que surge uma nova lenda, que poderemos explicar em outra: o surgimento dos emos.

Pouco antes de retornar à tribo, Jaé foi a uma cidade qualquer do interior do Amazonas e mudou o seu nome para João. Com a nova identidade e a mesma cara, Jaé, digo, João, voltou à sua tribo, e apesar de ainda ter a mesma cara, ao apresentar a nova identidade na portaria da aldeia, ele foi autorizado a entrar como visitante. Após algumas perguntas e um tempo de pesquisa, João ficou sabendo do acontecido com sua amada. A raiva dele foi tanta, mais tanta, que ele começou a criar penas, começou a se transformar em um passarinho! Como estava no fim da tarde, e a lua estava nascendo, João se transformou mais rápido em passarinho, e a primeira coisa que ele fez foi construir uma casa de barro num poste de energia elétrica que ficava na principal avenida dessa aldeia. E assim surgiu o João de barro.

Ver Também[editar]