Jogos de ação-aventura

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Indy2.jpg Jogos de ação-aventura adora uma AVENTURA!

Este artigo é sobre alguém que vive perambulando por todo canto, fugindo de perigos com a adrenalina à flor da pele.

Faça como Jogos de ação-aventura e saia se balançando nos cipós!



Jogos de ação-aventura são um gênero de joguinhos bobos e repetitivos que consistem em sair passando de fases com uma misturas de diferentes elementos como tiro, plataforma, combate ou exploração, e bem provavelmente algum quebra-cabeça chato para c*ralho e tudo isso amarrado por enredos previsíveis. Ou seja andando reto em cenários, matando inimigos genéricos e histórias que te fazem pensar porque você está jogando isso ao invés de arranjar um emprego e sair da casa dos seus pais.

São um grande exemplo de estilo de jogo comum nos dias de hoje pois combinam um pouco de tudo. As partes de ação são baseadas em tentativa-erro, mas já em jogos como Tomb Raider e The Legend of Zelda os quebra cabeça fazem todo mundo se sentir como seres com síndrome de down. São geralmente jogos para zerar uma vez e largar, todos com uma extensão aproximada de 8 a 13 horas, sempre com fases incrivelmente repetitivas, diferentes só pela cor dos cenários, tanto que jogos de ação-aventura são utilizados por psiquiatras para parecer diagnósticos sobre retardo mental (no mundo gamer conhecido pelo adjetivo "n00b") para alguém que não consiga zerar um jogo desse gênero em menos de 10 horas.

Características e jogabilidade[editar]

Ver a bunda dos protagonistas, motivo de quase todo jogo de ação-aventura ser em terceira pessoa.

Os jogos de ação-aventura são caracterizados por histórias merdas (mas pelo menos eles tentam, diferente de outros que tem uma história praticamente inexistente), muito longe de chegar a ser algum RPG em questão de enredo e longevidade, sem nenhum gameplay onde é preciso matar 800 bichos para ter status mais altos. Há geralmente apenas algo muito mal contado para justificar o jogador a querer passar de fases, pois como sabemos, gamers são uma raça de doentes mentais que se manifestam em diferentes formas de fanboys, onde uns idolatram jogos como Shadow of the Colossus, por mais que não possua qualquer enredo ou história direta, milhares de fanfics sobre o tema são criados na internet para fazer de conta que há algum tipo de história rica.

O protagonista desse tipo de jogo pode ter uma pistolinha/metralhadora, um espadão ou o que a mente do sem vida do desenvolvedor imaginar. Aliás, Ese a Lara Croft dá uns tirin aqui e ali, como o jogo não é genérico focado só nisso, o game não pode ser enquadrado como fps ou tps.

Normalmente os jogos desse gênero usam uma história linear e genérica para se desenvolverem, havendo a possibilidade de side-missions que absolutamente nunca fazem qualquer sentido e envolvem normalmente coletar alguma coisa ou matar algum tipo de bicho para ganhar algum item ainda mais nada a ver.

Este gênero diferencia-se dos jogos de aventura que são focadas apenas em história, por possuir maior senso de urgência, e a possibilidade de morrer, embora mortes sempre acarretem numa ressurreição quase imediata no mesmo lugar da morte, sendo na prática um jogo sem mortes.

História[editar]

Em 1976 foi criado o Colossal Cave Adventure, um jogo extremamente retardado que atualmente é considerado por especialistas como sendo grandes coisas, usando a desculpa de uma suposta limitada tecnologia da época. Na prática era um "jogo" (entre aspas mesmo) de clicar e escrever.

Foi no Atari 2600 que lançaram o Adventure, que foi um enorme fracasso por ser incrivelmente mal feito e sem objetivos claros, um problema do gênero, enterrando assim as chances de sucesso de novos jogos do gênero, que não vieram, no máximo a criação do cópia do Doom Castle Wolfenstein, que sempre foi mais jogo de tiro do que de ação, embora os fãs neguem isso.

Ao longo dos tempos foram surgindo jogos como o primeiro Prince of Persia e o primeiro Zelda, todos jogos incrivelmente impossíveis de se ter paciência em jogar, atraindo apenas nerd sem vida em geral.

Somente com a queda de popularidade dos jogos de aventura, e o avanço tecnológico que praticamente extinguiu os jogos 2D no final da década de 90, e assim forçando os produtores de jogos a colocar mais movimento 3D em seus jogos, que finalmente os jogos de ação-aventura decolaram em popularidade. Surgindo histórias épicas como Prince of Persia 3D, Bubsy 3D e Hunted: The Demon's Forge, só jogos memoráveis.

Sub-gêneros[editar]

  • Ação-aventura em primeira pessoa - Gênero quase inexistente, tendo como exemplo apenas Far Cry e Half-Life onde os elementos de fps são colocados em fases mais variadas do que só todos os inimigos atirando em você logo de cara. E também o Mirror's Edge que ninguém sabe categorizar, está mais para simulador de parkour.
  • Ação-aventura em terceira pessoa - O subgênero mais comum, quando o jogador consegue ver seu boneco andando pelo cenário e provavelmente a bunda da Lara Croft. Os jogos de Tomb Raider revolucionaram o gênero, visto que a maioria dos gamers são seres complexados sem vida social ou auto-estima, é satisfatório para eles ver essas mulheres gemendo, saltando e se aventurando. Sendo que depois de horas preso na mesma parte do jogo não conseguindo saber o que tem que fazer estes que ao se depararem com a bunda de uma mulher gostosa poligonal, encontraram assim um novo sentido para a sua vida. E respeitando a lei da oferta e demanda, a indústria dos videogames começou a aumentar cada vez a quantidade de jogos com protagonistas femininas saudáveis, de modo que todo jogador pudesse passar horas constantemente vendo a bunda de sua personagem.
  • Mundo aberto - Gênero imortalizado pelo GTA 3, talvez o mais divertido para idiotas, pois serve só para fazer putaria no cenário. Esse tipo de jogo costuma ter menos quebra cabeças e mais elementos socias de intrações com NPCs e mini games.
  • Metroidvania - Graças ao Super Metroid e ao Castlevania, praticamente todo jogo indie dos anos 2010 copiou esse gênero. Eles basicamente tentam colocar um mundo só que tudo em 2D lateralzão, o que acaba forçando uns elementos de pulos e plataforma se não uns espinhos para você morrer enquanto tenta progredir para próxima zona.
  • Stealth - Um japonês muito chapado em algum momento decidiu que se poderia passar de fases matando todo mundo sem ser visto, ou simplesmente não matando ninguém e não sendo visto, assim surgiram os jogos furtivos de espionagem e de ninjas, coisas que agradariam Zabuza Momochi o Demônio do Gás oculto, o subgênero que só doido gosta. O maior exemplo do gênero são os jogos Metal Gear, Splinter Cell, Thief e Tenchu, todos um saco, mas todos gamers fingem que gostam para parecer "cult" na frente dos amigos.