Johnnie Walker

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Paisagem escócia.jpg

Thws artekille ys Scotch!!!

Este artigo é Escocês!!! Usa Kilt, bebe whisky e Irn-Bru, arremessa troncos de arvores e martelos, toca gaita-de-foles, é fã do David Coulthard e é primo do Duncan MacLeod!!!


Se você traiu William Wallace, caia fora daqui!!!

Scotland-wallace.jpg
"Continue Fugindo da Polícia Johnnie Walker" - O Logotipo da Johnnie Walker.

Cquote1.png Keep Walking, Johnnie Walker Cquote2.png
Andróide Johnnie Walker sobre Johnnie Walker
Cquote1.png Gosto mais do Black Label Cquote2.png
Zakk Wylde sobre Johnnie Walker
Cquote1.png Tem gosto de suor dos anjos Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Johnnie Walker
Cquote1.png Lembre-se que Bourbon não é uísque de verdade Cquote2.png
Johnnie Walker sobre uísques
Cquote1.png Wine is fine but whiskey is quicker Cquote2.png
Ozzy Osbourne sobre uísques

Linha completa.

Johnnie Walker é uma marca de um uísque escocês (todo uísque é escocês) criado em 1820, o ano da independência da Escócia, na pequena cidade de Kilmarnock na região de Ayrshire, um ambiente formado quase que 100% por bares e restaurantes. Esse uísque tem um sabor único que lembra urina com açúcar que estranhamente queima a garganta. É vendido em todo e qualquer país, barzinho e supermercado do mundo em diferentes tipos e preços. Johnnie Walker foi condecorado como patrimônio cultural da Escócia e todo habitante daquele país já bebeu ao mínimo uma garrafa da bebida.

A Johnnie Walking é altamente recomendada para atletas. "Keep Walking".

História[editar]

Festa de Playsson = Johnnie Walker

John ‘Johnnie’ Walker era um maratonista e empregado de uma famosa doceria na cidade de Kilmarnock. Depois que os vikings trouxeram da Holanda a Heineken, a doceria de John começou a perder clientes que passavam os dias e noites nos botecos. Com o risco de ser demitido, John tinha que bolar algo para atrair novos clientes, e assim ele começou a estudar escritos alquímicos perdidos do Mago Merlin e Dmitri Mendeleev, e dessa maneira chegou a fórmula de uma bebida nunca antes vista, que se assemelhava a um uísque, só que com propriedades mais corrosivas, dopantes e viciantes, nascia assim a Johnnie Walker. No início John injetava quantias da bebida em seus bolos para dopar e viciar seus compradores. A sua doceria fez muito sucesso, e os habitantes da cidade pareciam zumbis querendo mais bolo. Um dia várias crianças sumiram repentinamente da cidade, dizendo estar seguindo ratos tocando flauta (estavam bêbadas), e John, com remorso pelo fato de que várias crianças comiam aqueles bolos, ele decidiu vender a bebida milagrosa separadamente. Os bolos caíram de venda outra vez, mas a Johnnie Walker fez muito sucesso e John se demitiu da doceria e abriu um novo negócio, uma destilaria inspirada nas cervejarias holandesas. O negócio é da família, e a fórmula secreta da bebida é passada de pai para filho, de filho para neto e assim sucessivamente, os sucessores de John, foram seu filho John ‘Johnnie’ Walker II, e seu neto John ‘Johnnie’ Walker III. Atualmente quem está a frente da empresa é John ‘Johnnie’ Walker XX.

Mario como todo tiozão barrigudo é um pinguço, e sua bebida predileta é a Johnnie Walker.

Em 1860 a venda do uísque Johnnie Walker foi proibida já que bebidas com teor alcoólico acima de 90% ficaram proibidas pelo DETRAN, mas como você sabe, quando se proíbe algo, aí que o pessoal passa a comprar com mais afinco, e isso somando às propriedades viciantes de Johnnie Walker, garantiram a continuidade do sucesso da bebida, que continuou sendo vendida ilegalmente ao lado do absinto teor 98% em bocas de fumo. Depois de muito lobby na câmara, a Johnnie Walker conseguiu voltar a ser vendida regularmente.

O neto de John ‘Johnnie’ Walker foi quem primeiro introduziu características externas na bebida Johnnie Walker para dar mais charme e tornar a bebida ideal para ocasiões chiques, antes disso a Johnnie Walker era mais usada para ocasiões de manguaça pura. John 'Johnnie' Walker III introduziu cores, rótulos e garrafas interessaante que brilham no escuro e várias coisas do tipo. Foram introduzido ainda vários tipos de teores alcoólicos e outros gostos diferentes e misturas, fazendo de Johnnie Walker o diluidor universal dos coquetéis alcoólicos. Todo coquetel que realmente presta, leva Johnnie Walker na mistura.

Johnnie Walker, o jogo para video-game.

Durante a Primeira Guerra Mundial os uísques Johnnie Walker começaram a pedidos do governo britânico a serem distribuídas de graça aos soldados escoceses, já que aquele era seu combustível. A bebida foi transformada em transparente para parecer água, e de longe (de perto da para sentir o cheiro sem dúvidas) poder se disfarçar e ludibriar os germânicos que nunca descobriram o que tornava os soldados escoceses tão kamikazes e perigosos. A Primeira Guerra Mundial foi um conflito armado aonde a Johnnie Walker rivalizou e disputou com outros tipos de bebidas, qual era a melhor como os vinhos franceses, as cervejas germânicas e as vodkas russas.

Com a Segunda Revolução Industrial, a Johnnie Walker, precisando fazer propagandas para a televisão, buscou algo que não fosse apenas mulheres de biquínis em seus comerciais, foi então que a empresa comprou de Isaac Asimov um andróide para comentar e filosofar sobre a Johnnie Walker. Por ser um robô, o andróide fala coisas totalmente sem sentido, e lógico, os bêbados se identificam com aquela filosofia barata e o simbolismo barato da frase "Keep Walking".

Hoje, a bebida faz parte da cultura escocesa acompanhando o almoço, o jantar, o café da manhã e o banho.

Johnnie Walker[editar]

Johnnie Walker, faz você se esquecer dos seus problemas...

A bebida é diferente de qualquer outro uísque pela sua maravilhosa propriedade de matar qualquer sede enquanto mata o bêbado também de cirrose hepática. Possui propriedades milagrosas de suborno e qualquer pessoa pode ser subornada por uma garrafa de alguma safra rara de Johnnie Walker. Todo corrupto bem sucedido anda com uma Johnnie Walker rara dentro da mochila.

Produção[editar]

Johnnie Walker na etapa de fermentação e destilação da bebida.

A receita da bebida é altamente secreta, os detalhes da produção como a quantidade e tempos de fermentação são desconhecidos e os únicos que sabem desses detalhes são os John da família Walker. Os ingredientes principais são urina de um humano saudável e malte escocês rigorosamente selecionado parcialmente podre colhido exclusivamente por camponesas unicamente nas inóspitas encostas na hostil região assombrada do extremo norte da Escócia, essa prática perigosa foi proibida pelo Primeiro-Ministro da Escócia e esse malte é ainda adquirido de forma clandestina fazendo os melhores Johnnie Walker, e atualmente grande parte do malte é adquirida através d grandes minas no subsolo de malte que circundam Glasgow, assim são adicionada ainda um pouco de sucrilhos Kelloggs para conceder a coloração desejada à bebida. Em algumas versões baratas da Johnnie Walker são usadas também pedaços de porcos da Guiné, batata, milho, arroz, nabos, ou abóboras.

Os ingredientes são misturados em um tonel de madeira cheio de água destilada limpa para fermentar, até que organismos semi-inteligentes sejam formados na superfície da mistura, algumas pessoas semimortas são arremessadas no tonel para serem devoradas e provocar o processo de defecação da levedura que termina esse processo único de destilação de uísque no mundo, a Johnnie Walker, mas a bebida ainda não está pronta, até aqui Johnnie Walker ainda seria muito similar a todos os outros uísques, apenas com um gosto ligeiramente mais forte.

Johnnie Walker sabor "gatos".

Como se sabe, o álcool tem a mesma temperatura de ebulição de hidrocarbonetos fósseis, logo o bom Johnnie Walker é produzido a partir da mistura que obtivemos na etapa anterior com petróleo, essa mistura é explodida, e assim, se a destilaria ainda estiver inteira, o petróleo e o álcool em estado gasoso se misturam criando o hidrocarboneto de enxofre etílico. É usado alguns retalhos de jornal para absorver o petróleo. O resultado final é um líquido em cor (e textura) âmbar, constituído por 90% de álcool, 6% de querosene e 5% de trinitotolueno.

O produto final é colocado em seletos galões de madeira enterrados no subsolo de alguma igreja satânica por um período de 666 dias para fermentar, depois desse intervalo, a bebida é mandada para mercados, botecos ou qualquer outro estabelecimento para ser vendidos aos olhos da cara. Os melhores bares do mundo, ao servir Johnnie Walker, são instruídos a servir também um pequeno agitador contendo alguma quantidade de malte para o cliente poder misturar à bebida o quanto desejar.

Vale lembrar que nos países de terceiro mundo, esse maravilhoso processamento de uísque não é feito assim. A Johnnie Walker para os pobres é feita através de produção em massa, rápida e feita de qualquer jeito, porque afinal, os habitantes desses países podres como o Brasil, por exemplo, não querem nem saber da classe, ou o gosto da bebida, querem só saber de beber, cair e levantar. Essas versões de Johnnie Walker misturam alcatrão de carvão, soda cáustica, sabão vegetal, e álcool bruto em tanques do tamanho de Glasgow disfarçados de siderúrgicas em Minas Gerais. Uísques produzidos assim não passam de idade de 5 minutos antes de ir para a prateleira para ser vendido a preços super-acessíveis de 2 reais.

De acordo com a APA (American Pharmacists Association), Johnnie Walker pode curar qualquer doença. Suas propriedades entorpecentes fazem o enfermo esquecer qualquer dor ou lamúria...

Vários Tipos[editar]

Johnnie Walker Swing, a melhor arma do butecão.

Os diferentes tipos de Johnnie Walker surgem de pequenas modificações durante o processo de produção da bebida, e basicamente pode ser encontrada em escala de mais fraca para mais forte em malte único, duplo malte, triplo malte, triplo-duplo malte e etanol 85.

Os mais conhecidos tipos de Johnnie Walker são:

  • Red & Cola - Misturada com Coca Cola, o público alvo são os adolescentes bebados. É frequentemente disfarçada de refrigerante.
  • Red Label - É misturada com sangue que age como corante. Possui também traços de petróleo e Metanol bruto em sua composição.
  • Black Label - Johnnie Walker afro-descendente parece um mel, e possui incríveis capacidades de fritar gargantas. Essa era a bebida preferida que Winston Churchill gostava de afogar suas mágoas.
  • Johnnie Walker Swing - É a garrafa mais legal de Johnnie Walker, essa garrafa é a arma mais eficiente do bar, seu formato especial é capaz de nocautear de 4 a 7 cabeças sem quebrar. É aquela que possui o malte mais raro produzido através de musgos trangêncios nas encostas do norte da Escócia
  • Green Label - Baseada em seletos venenos em grandes quantidades. Uma ou duas doses dessa versão "talvez" não matem, mas essa aqui realmente é para beber com moderação.
  • Gold Label - O uísque mais raro do mundo, vem em uma garrafa feita em pet reciclada misturado com louro puro. Os únicos no mundo que possuem esse exemplar são o Silvio Santos, o Bill Gates, George W. Bush, Gavião Bueno.
Johnnie Walker Green Label, uma das melhores.
  • Blue Label - Raro e caríssimo, só que é a mais eficiente forma de subornar alguém. Ofereça uma Blue Label para o policial e com certeza você escapa da prisão. É o mais usado em ocasiões especiais, principalmente aquelas que requerem algum tipo desesperado de persuasão (pedidos de casamento por exemplo).

Versões Comemorativas:

  • Honour - O mais caro uísque da história do mundo. Esse Johnny Walker está a 15 dias fermentando, e a empresa não tem interesse em vendê-lo antes que ele complete os 20 dias, por isso seu valor chega a 7 dólares a garrafa. Daqui a dois anos, o diabo vai fechar um pacto com a Johnnie Walker em recompensa pelo cultivo dessa belezinha.
  • Blue Label 200th Anniversary - Johnnie Walker gosta de lançar uísques comemorativos, com alto teor de vício para ganhar mais fãs alucinados.
  • Babel Label ∞ A.C. - Edição comemorativa do "João, Andador" que esta andando desde aquele tempo, a bebida era guarda no primeio andar da Torre de Babel, e era a força motivacional para os nobre trabalhadores da época que viviam entorpecidos pelo Babel Label.

Veja Ainda[editar]