Jorge Jesus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikify.png Por favor, alguém arrume este pobre artigo segundo as diretrizes estabelecidas no livro de estilo antes que alguém infarte lendo esse artigo mal formatado...
AVISO: NÃO REMOVA ISSO ANTES DE TER CERTEZA ABSOLUTA QUE O ARTIGO JÁ FOI COMPLETAMENTE "WIKIFICADO", SENÃO VOCÊ PODERÁ SOFRER AS CONSEQUÊNCIAS!
Dica: não sabe como wikificar um artigo? Então leia AGORA o nosso Tutorial Wiki! Ou peça ajuda para os usuários mais experientes...
185.gif Todos seu imagem são pertence a nós!
Este artigo possui pouca nenhuma imagem faça seu tempo! Mova Anônimo para grande justiça!
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um vinho ishtränho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Cuidado: ə qualquêr mumento, Napolião podə querer invədir-tə

Jorge de Jesus é um descendente de judeus que passou a maior parte da sua vida falando hebraico, tendo se mudado para Portugal com novas técnicas futebolísticas chamadas "Mestre de Táctica". Na verdade, Jesus é descendente directo de Jesus, marido de Maria Madalena, prostituta que ensinou a Neymar Alfredo e Zaida Chongo a "kurufelar" (uma espécie de quadradinho pré-histórica, dançada com pudor e vontade libidinosa) vide aqui a dança da Zaida Chongo: https://www.youtube.com/watch?v=Ux5pZgb_0hI

História[editar]

Jorge de Jesus nasceu no longínquo ano de 32 D.C., e tendo crescido sozinho e com esporádica companhia da mãe do Kota (o pai e a mãe andavam em concertos de milagres e de ressurreições pela Judeia fora), aprendeu alquimia com o Nicolas Flamel, tendo descoberto a pedra filosofal que vendeu para o Cota Dumbledore. Mas antes disso diz a lenda que ele teria sugado com recurso a um esotérico metal Kripton todas as propriedades da imortalidade que carregava, e tem utilizado tal até ao dia de hoje.

A venda da pedra filosofal ao Dumbledore foi no âmbito do acordo para ele aprender os segredos do Quadribol, que veio a introduzir no futebol com altos rendimentos, fato que explica porque foi campeão incontestável pelo Benfica por dois anos seguidos, embora toda a gente saiba e veja que ele é um burro chapado que faz substituições sem noção e deixa no banco os melhores jogadores. Mas quem sabe se não é esse o segredo do Quidditch? Vai se saber porque a equipa do Harry Potter não alinhava com Rubius Hagrid para defesa central?

Ele cresceu na baixada belenense (de Belém original, na Palestina, e não as cópias de Portugal), e fazia piece jobs com o velho José Alvalade que era um carpinteiro de mão cheia e que sofria de claustrofobia depois de ser acusado de ser corno, porque a Maria teria andado com todo o Olimpo sem o seu conhecimento. Jorgito cresceu e teve todas as dificuldades que os putos da Palestina têm, ao estilo bombardeamentos dos judeus e ataques à Faixa de Gaza. Mas como era tempo de milagres, JJ sobreviveu e rumou à França via Marrocos, onde conheceu o Nicolas Flamel, graças aos seus dons de falar várias línguas.

Depois de conhecer o Nicolas (agora sabemos a sua fixação por Nicolas Gaitan), ele deambulou na sua imortalidade por este mundo fora, tomando várias personalidades, e nos anos 1800 aparece em Moçambique como um grande imperador do Estado de Gaza. Aliás, consta dos escritos apanhados no Mar Morto que o JJ ouviu que lá para as bandas do sul de África havia um lugar chamado Gaza, mas não sofria bombardeamentos consecutivos de Israel. Assim o homem tomou um trago daquela bebida imortal e zás, ficou o Gungunhana, tendo dizimado exércitos de reinos vizinhos, usando as técnicas que viu os israelitas usando contra eles, os palestinianos.

Os portugueses estavam numa fase on de passear por aí a "descobrir" tudo o que é sítio que já existia antes deles (foi assim que "descobriram" o Brasil também), e já tinham "descoberto" aquele pedaço de terra que chamaram de Moçambique. Ironia dos destinos é que Moçambique é uma corruptela de Mussa Al-Bique, um árabe que foi descendente de árabes que vinham fazendo comércio na bacia de Sofala há milhares de anos, e que decidiu ficar por lá. Então, mais tarde, depois do árabes, os portugueses "descobriram" Moçambique e deram o nome de árabe que é descendente de outros árabes que há séculos "descobriram" Moçambique. Vai se saber como é feita esta descoberta.

Depois de descobrirem Moçambique, o Rei de Portugal daquela época que era Big Boss da Soico TteleVisão (STV), com sua capacidades telepáticas soube que aquele Gungunhana era na verdade Jorge de Jesus. Mandou o seu broda, Mouzinho de Albuquerque, que com a ajuda de Maguiguana (general do Gungunhana), fizeram um jogo estratégico em conluio com a CIA e a MOSSAD e conseguiram prender o gajo, tendo o levado para Portugal, Açores.

De lá ele "morreu" na Angra de Heroísmo (ironia do destino). Entetanto, com o passar do tempo Moçambique fica independente, e o Presidente de Moçambique, Samora Machel exige de Portugal as ossadas de Gungunhana, e isso gerou e ainda gera uma baita bronca. Tsc.. Tsc...Tsc...

Entretanto, em pleno século XXI, onde a descrença atinge níveis alarmantes, Jorge de Jesus viajou à judeia e recuperou o corpo do pai (cabelo longo a hippie, e nariz judeu), e voltou a Portugal disposto a aplicar os conhecimentos de Kidditch que aprendeu com Dumbledore. Redesenhou com a ajuda de Artur Semedo (treinador moçambicano), e transferiu para o futebol. Antes disso, e valendo-se da sua capacidade de falar muitas línguas numa só, ele disse ao Artur Semedo: "Semedis, nois vamu faeir que isto fincione", Semedo, no seu estilo característico respondeu: "Sim míster, vamos demolir este futebolzinho subdesenvolvido que está cheio de corrupção. E quando perdermos vamos acusar os árbitros e o sistema, e sempre haverá uns burros que vão estar connosco." De referir que Artur Semedo esteve em Portugal como jogador de quinta categoria, ao lado de Jesus.

Por essa altura, Jorge Jesus arranjou uma amante milf que também já foi amante de Alá. Seu nome é Dolores Aveiro a mãe do Cris, o amigo de longa data de JJ.

Jorge Jesus é apaixonado pelo número oitxentxa e otxo e sonha que esse número se torne o número do diabo. É possível ver referências a esse número numa entrevista que foi feita em Espanha por Jorge.

Com ajuda de MC Roger (vide aqui: https://www.youtube.com/watch?v=vjGBsaem3ss), aprenderam boas maneiras e de como devem falar alto sem dizer nada, e ao fim terem razão. Ensinou também a arte de exclusividade, baseando-se na Teoria de Síndrome de Elias (vide aqui I Reis 19:1-8), dizendo que eram os únicos (três) capazes nas suas respectivas áreas de actuação e geográficas. MC Roger e Artur Semedo são de descendência judaica, assim como Jorge. De Jesus.

Depois de ganhar dois campeonatos para o Benfica , Jorge Jesus muda-se para o rival Sporting, em cumprimento da vontade do pai, José (de Alvalade), que era um verde e branco de gema (afinal essa é a cor da Palestina), e assim ele está lá. Já bateu o Benfica por duas vezes, e o Benfica exige a devolução dos papiros do Mar Morto que têm as técnicas de Kidditch que JJ levou para o rival. Este caso é resolvido a nível do submundo, usando-se os tribunais por cima. Do lado do Benfica está Bela Guttmann, o homem que profetizou que o Benfica nunca seria mais Campeão europeu até ao regresso de Jesus. Jesus regressou, passou pelo Benfica, mas campeonato europeu que é bom, nyet!

Assim Guttmann (que é coincidentemente de origem judaica), sentiu-se traído por Jesus, e mandou mensagens de sensação de pertença dos pergaminhos de Kidditch ao Louis Philipe Vieira(via energias esotéricas), para este exigir a devolução daqueles papéis castanhos, podres e caindo aos pedaços. É que quem deu a profecia para o Gutman foi JJ, garantindo estar a preparar o seu regresso à terra.

O que o JJ está tramando de verdade, depois de toda esta aventura, é voltar a Moçambique e treinar a Liga Muçulmana (que é também verde e branco e que quer se chamar Liga Desportiva por razões religiosas), e assim cumprir com o seu desejo, driblando assim as aspirações paternas de treinar o Sporting. Ele sente-se mais um árabe que um judeu, porque diz que se fosse judeu, não teria nascido na Palestina, mas sim em Israel, Tel-A-Viv. Aceita que o facto de ter ido à França, terra dos judeus à par com os EUA e Swazilândia, não significa necessariamente que seja judeu.

"Eu né sé jideo. Sento-mes comus plastinês.", teria confessado ao Mário Mabjaia, quando foi ter com ele para saber o futuro. Mário Mabjaia é um curandeiro à força.