Jornalista

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jornalfail.jpg Atenção! Este artigo informa sobre um jornalista

Jornalista é mais um(a) mala sem alça que sempre está por dentro das fofocas do momento.

Confira outros oportunistas pseudo-intelectuais clicando aqui.


Discionario em png.PNG
O Descionário possui um verbete sobre Jornalista
Icon tools.png Jornalista
ex-subcelebridade "promovido"

Jornalista Luis Nassif.jpg

Um formador de opinião (!)
Lema Defender as causas dos que mais precisam.
O que faz Supervalorizar coisas irrelevantes.
Utilidade Icon 00 percent.png Nula - A internet os tornaram menos necessários ainda.
Popularidade Odiados (a depender da notícia)
Salário Alto Médiocre
(depende da parcialidade)
Empresa Grupo Falha, Bobo, Diego Mainardi's Group Association, errei de tv, associação dos filinhos de papai, dentre outros veículos de desinformação.
Sindicato ABI, e no fim da carreira o Retiro dos Artistas.
Profissionais Ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Gugu e sua equipe
(pela entrevista com o PCC)
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Paulo Henrique Amorim
(pelo olá, tudo bem!)
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Toda a Veja
(pela treta com o Romário)
Ex-Profissionais Qualquer um que publique na UOL, pois as matérias parecem que são publicadas por alguém que sofre de senilidade.huahuashus!
Na ficção J. Jonah Jameson
Animal Jerico, porque é burro mas é bonitinho
Planta Maconha, sem dúvida!
Padrinho da Profissão
Male Icon.png
BBB
Madrinha da Profissão
Female Icon.png
alá, errei de novo!



Cquote1.png Merda! Cquote2.png
Publicitário sobre jornalista

Cquote1.png Pessoa que trabalha em órgão da imprensa, ou programa jornalístico no rádio ou na televisão. Cquote2.png
Pai dos burros sobre jornalista

Cquote1.png Qualquer usuário do Twitter ou Facebook Cquote2.png
Eu sobre jornalista


O jornalista, também conhecido como "fofoqueiro com nível superior", é alguém que tem como principal função desnoticiar os fatos cotidianos do dia a dia, sejam estes de natureza política, assuntos de entretenimento (comum na seção Saude de jornais como a falha de S. Paulo), esportes (TV Corinthians), etc. Normalmente, um jornalista trabalha em alguns meios de comunicação, como a internet (o mais comum hoje em dia), TV ou rádio, colocando-se no meio das mais diferentes situações do cotidiano local, regional, nacional ou mundial, e por isso muitas das vezes acaba tomando no meio por isso (como podem ser vistos aqui, aqui e aqui}. Por tanto, apesar de fácil, não é tão simples assim ser jornalista.

História[editar]

Lá pelos meados da idade antiga, quando surgiram os primeiros papéis higiênicos na china, alguns aventureiros mais espertos aproveitavam aquele papel mais rústico para alertar seu povo nas comunidades chinesas sobre a polícia do Genghis Khan, que era bastante repressiva na época (e isso era mesmo!). Como na época a ONU não existia (nem o direitos deshumanos), usava-se como justificativa para as idéias malucas que eles veiculavam o livro A Arte da Guerra, só que do jeito deles, né [1].

Ao passar do tempo os jornalistas têm se integrado aos veículos que vão surgindo com o tempo, como um vírus num computador ou brasileiro ao redor do mundo. Mas apesar disso, nunca deixaram de usar o papel higiênico, que foi tendo seu tamanho acrescido ao longo deste tempo. Se na idade antiga os papéis serviam apenas para escrever pequenas notas como Cquote1.png Чингис ир! Cquote2.png, mais tarde passaram a servir para escrever a maior quantidade de merdas possíveis, do editorial ao rodapé da última folha.

Século XX[editar]

Jornal e sua aplicação prática hoje em dia

Com o advento das tecnologias oferecidas durante todo o século XX, os jornalistas foram ganhando algumas ferramentas extras para a realizações de seus trabalhos. Com o rádio por exemplo, passaram a deixar de entregar as tranqueiras que eles mesmo produziam de porta em porta. Mais tarde, passaram o advento da televisão (que já dizia Alborghetti ser "a maior putaria, putaria!"), passaram a fazer divulgações massivas de coisas que julgavam ser importantes e mortes de anônimos que você sabiam que existiam (mas não conheciam) passaram a ser noticiadas com efusão. Algumas organizações começaram a "capacitar" esse tipo de profissional ao montes, que começaram a surgir de uma emissora que dizia transmitir música (eMoTV), reality shows de uma outra emissora que sustentava todas as outras tvs (TV BBB bobo), e outros lugares mais escrotos ainda.

Até que surge a google e aí o mundo muda completamente, pois até então não existia internet (ou existia só que ninguém dava bola). Com a internet, surgiu um tipo de criatura que ganhou mais força ainda depois que o Sanitário Tribuanal Federal extinguiu a exigência de diploma pra profissão de jornalista[2]: os desocupados jornalistas liberais. Entre eles incluem aqueles bloggers que torcem pra algum time de bairro (por isso vivem pagando de imparcial quando na verdade são mais extremos que o Estado Islâmico) e vivem falando de cotas (as de TV), e incluem também aqueles blogueiros políticos, sejam eles coxalhas, petrinhas ou o diabo de quatro, não importa porque de qualquer forma são iguais hernias de disco.

Caminhada até o estrelato (ou quase isso)[editar]

E esses, de onde saíram?

Um "bom" jornalista televisivo que se preze, hoje em dia, tem de ser fabricado em lugares como a eMoTV, algum Programa de Calouros do TV Naftalina ou até mesmo em algum irreallty show da rede esgloto de televisão (o mais comum).

Quando o ex-VJ ou ex-BBB tem o desejo de trabalhar na emissora em que foi lançado, normalmente ele(a) teve de percorrer um longo e tortuoso caminho até chegar onde deseja, a não ser que seja uma Paty Poeta da vida, que é casada com o dono da porra toda lá dentro, ou tenha comido o José Bonifácio, geralmente é assim: O ser começa comendo o pão que o diabo amassou como reporter dos bastidores do carnaval da Redetv, depois "cresce" fazendo matérias pro TV Fama, depois vai "trabalhar" nos estúdios da emissora (TV Fama ou algum jornal mais sério da emissora, já que lá é tudo a mesma coisa), depois tem que decidir se vai pra TV XeroX ou pra TV Antiquário.

Quem decide ir pra Universal Channel, ganha uma chance em algum jornal local, depois é promovido pra algum programinha nacional e fica lá até este começar a incomodar a TV esgoto. Na maioria dos casos, depois que se conquista audiência (através de muito sensacionalismo) o indivíduo pode escolher entre se mudar pro canal do faustão ou ficar no canal dos bispos e ser tratado como um verdadeiro deus por lá, com direito a palestras na Universal e ser o âncora e chefe de redação, o diretor, o editorial e a opinião do jornal, em suma: ser quase um bôner na record. A diferença entre a tv recór e as outras emissoras é que lá quem manda no jornalismo (e na porra toda) são os bispos da universal. Isso quer dizer que mesmo que o indivíduo seja o chefe do jornalismo, uma hora ou outra ele vai ter de obedecer ordens, publicar alguma matéria ou fazer algo a contra-gosto[3], entre outras coisas do tipo.

Agora o indivíduo que louco na droga resolve ir para a TV chaves, só vai ter o "prazer" de poder assistir a Raquel Cheira Jade e Joseval Peixe Morto se revezarem com Carlos no Cimento, Cintia Vem ni mim, Hermano Reinando, Karen Raivosa e Jó ce Ribeiro na bacada do telejornal do canal. Mas isso se o indivíduo não for obrigado a viajar pro México e morar na cidade daquele país, que consegue ser pior que a Pequim brasileira. Cidade do México porque lá é a sede oficial do SBT, ou pelo menos de 2/3 dele, pois a outra fica em Osasco, outra merda.


Atribuições[editar]

Acredite, essa informação pode mudar sua vida!

A depender de onde trabalham, um jornalista pode ter várias funções, mas no geral eles tem como função pesquisar por fatos que eles consideram relevantes. Para isso, conhece todas as redes antisociais existentes na internet. Assim que acha o que procura, correm para atualizar a página com noticias interessantíssimas para a evolução de todos nós, seres humanos. Onde for esportes por exemplo, temos entretenimento e onde for notícias cotidianas, temos fatos privados, como o da imagem ao lado.

Normalmente eles costumam atribuir a si mesmo a alcunha da imparcialidade, coisa que na espécie humana, como você bem sabe (ou deveria saber), não existe. Em razão dessa falsa idéia que querem transmitir, muitos dos imbecis que vêem um telejornal ou acessam a uma notícia na web que exigiria o mínimo de conhecimento prévio sobre determinado assunto, ao notar uma leve distorção na opinião de um jornalista sobre algum fato, mesmo que irrelevante, digladiam entre si na seção de comentários da notícia. Poucos sabem que esse mimimi, além de serem engraçadíssimas pra quem vê, vão servir de fontes pra outras notícias, que ocasionarão e mais mimimi, que vão dar mais notícias, etc.

Naum preçiza nein sabe excreve q coiza boua1

Depois da Google AdSense, que motivou a criação de outras ferramentas de espionagem via Cookies de navegador, qualquer caganeira ganhou proporções gigantescas. Isso se dá porque hoje, clicks dão dinheiro. Desde então tornou-se comum a utilização de táticas que antes só se viam em jornais de grande circulação, como o Notícias Populares, em portais de notícias como o ígue ou a Uóu. Então coube ao copiador ou digitador de notícias criar notícias como aquelas vistas no programa da Sônia Abrão ou João Kleber. Já pensou se o jornalista não tivesse aquela idéia naquele dia que não teve nada de importante acontecendo pelo mundo? Hospedagem também custa caro...

Por fim um jornalista não precisa ter o fundamental ou nem precisa saber escrever corretamente, afinal os corretores automáticos existem por isso(!). Em algumas empresas dizem que existe um tal de "revisor de matérias", que teriam como função verificar a existência desse tipo de coisa. Mas isso se trata apenas de um boato, já que costuma-se encontrar muitos erros de português e matérias muito mal escritas.


Controvérsias[editar]

A profissão de jornalista (não necessariamente exercida por profissionais) esteve metido em vários rolos no decorrer de sua existência como tipo de ocupação (ou quase isso). Como casos de sucesso (por que não?) podemos citar o caso da escola base, a entrevista do Gugu com o PCC (que não tinha gostado da edição e deu o troco sequestrando uma equipe da blobo), o encontro mal sucedido de Eloá e Lindemberg(créditos à Sonia Abrão), sem esquecer de outros pormenores como os recentes como a treta com os doentes mentais cosplayes, o fogo-amigo contra aquele boiola careca da Record e por fim a porra seca que a Veja teve de engolir do Romário.

Outras polêmicas jornalísticas incluem:

A Ética[editar]

Ética (ou a falta dela) é fundamental para os jornalistas. Quando um editor pede, sutilmente, para que a notícia produzida seja tendenciosa, mentirosa, é de duas, uma: Ou ela tem de ser feita e o jornalista ser um submisso, ou diz NÃO e pede demissão, o que neste último caso vai dar a oportunidade de escrever um blog tendencioso em um portal de notícias, o que no fim acaba se tornando a mesma coisa que a primeira alternativa.

As Fontes Jornalísticas[editar]

Uma excelente jornalista, que sabe escolher exemplarmente as suas fontes.
  • Fonte oculta - de fundamental importância para se apurar uma matéria. Não se conhece nenhum exemplo para ilustrar esse tipo de fonte, porque elas são ocultas, oras!
  • Fonte oficial - Não serve para nada. Foda-se ela. (a não ser que você trabalhe em um jornal paga-pau, ou seja, qualquer um).
  • Fontes oficiosas - É uma classe repleta de secretárias mal comidas e assessores mal pagos. Muito úteis e divertidas.
  • Fontes serifadas - Times New Roman, Courier New...

Dicas para ser um bom jornalista[editar]

Primeiramente para ser um bom jornalista, é necessário que tenha um diploma. Caso não possa ter um diploma de uma Universidade Federal, um diproma também serve. Na verdade, qualquer um serve. Caso não possa comprar um, pede pro papai tirar um para você.

O diploma é de suma importância, pois é ele quem te diferenciará dos ex-BBBs que trabalharão ao seu lado. Os ex-BBBs serão os primeiros da fila em uma eventual promoção, caso esteja trabalhando na redação da RedeTV, tenha isso em mente.

Enfim, tendo seu atestado em mãos:

O primeiro ato jornalístico que fará será criar uma conta em um Geocities, Wordpress, ou qualquer serviço que ofereça um blog na internet. Até poderia ser criado uma rádio on-line ou AM/FM, mas são poucos os trouxas que gastam uma nota pra manter uma coisa que ninguém vai perder tempo ouvindo.

As dicas serão diferentes dependendo do tipo de opinião a ser veiculada e estão divididas conforme o tipo de notícias que queiras perder tempo transmitindo.

Entretenimento[editar]

  • Poste uma mensagem de boas vindas usando e abusando do miguxês. Sempre se lembrando que seu público alvo serão jovens (incluindo a quem se acha jovem) compostos por mulheres beeeeeem feias e carentes e também por homens que vivem num salão de beleza.
  • Abuse das tags "[URGENTE]", "[AGORA]", "[ATUALIZADO]" mesmo que o fato tenha acontecido há 3 meses, 7 anos ou nunca tenha acontecido, seja só um boato. Como seu público alvo será um pouco ignorante vai poder utilizar dessa tática em todas as notícias.
  • Suas notícias poderão ser replicadas pelos zapi-zaps afora (como também podem ser ignoradas completamente), então não escreva muito, pois se a notícia for maior que este parágrafo, você tem sérios riscos de ser ignorado pelo publico alvo, só não pelos mais depressivos ou aqueles que vivem de TEXTÕES no facebook.
  • A mesma coisa acima pro item mais importante de uma notícia: a imagem. Ela é a notícia em países compostos por analfabetos funcionais (como o Brasil). Então explore este recurso "em demasia". Se possível, poste só uma foto (ou uma galeria delas) como notícia.
  • Lembre-se "instalar o selo anti-kibe" em suas notícias (ou nas imagens). Em tempos que até vídeos são kibados sem autorização (não pergunte como), não custa nada postar a noticia com um selinho anti-kibe (veja mais em: www.seusite.com.br). Um exemplo seria:


Cquote1.png Priscila Pires posa sexy (veja mais em: www.seusite.com.br)e faz acusações graves (veja mais em: www.seusite.com.br) sobre o ex-marido (veja mais em: www.seusite.com.br).


  • Coloque um bom Google AdSense ou outro que pague melhor, não importando quão chato seja as propagandas, e sempre use um encurtador de links pra fazer (muito) dinheiro. Seu público alvo são pessoas que só sabem usar o computador pra entrar no caralivro ou ver vídeos no seu tubo e (provavelmente) ainda não sabem o que é um bloqueador de propagandas, pelo contrário, fazem até o favor de clicar nelas. Então use e abuse!


Esportes[editar]

Um blog de esportes segue o que foi passado pra um site de entretenimento, só que a sua maneira. Aqui, o mais importante será criar contratações e/ou boatos que seriam criados por setorista de um clube de futebol, mas aqui é com o que você curte ou gosta. Por exemplo, no caso do futebol, noticiar que um argentino qualquer aí vai jogar em qualquer clube brasileiro ou falar que aquele pereba do seu time enfim vai sair ou foi contratado pelo maior rival, que o presidente do clube chamou o vice pro fight, que seu time dispensou Allejo quando mais novo de graça pro exterior, e por ai vai.


Notícias[editar]

  • Se for perder tempo repassando noticias da seção mais "comum" de um jornal, coloque uma mensagem de boas vindas que dê esperança aos leitores como quem será o responsável por mudar o paradigma mundial, desde a economia ao sistema político mundial. Usar termos como "intenção", "mudança", "transformação" fará com que os leitores pensem de você que será uma espécie de novo messias, atribuindo às notícias uma fé que não costumam praticar na igreja.
  • Seu público alvo serão compostas por pessoas que tem vontade de mudar alguma coisa, só não sabem o que. Eles irão ao seu blog em busca de mais vontade, então toda notícia que postar terá de ler todos os comentários dos seus leitores e respondê-los em no máximo 48 horas, senão eles perdem esse tal ânimo e consequentemente deixarão de visitar seu blog, deixando-o moribundo (mais do que já seria).
  • Diferente de um blog de entretenimento, o seu blog de notícias seria replicado por inteiro em qualquer grupo de whatsapp, então pode colocar a quantidade de texto que quiser que seus leitores irão ler numa boa, mas seus textos tem de seguir a Norma Pasquale da Lingua Portuguesa caso contrário prepare-se para tomar no cu nos comentários, literalmente.
  • Por fim a parte mais legal do seu blog será a permissão que vai ter pra copiar na integra o conteúdo (ou a falta dele) disponível nos portais ou sites de notícias mundo afora. O importante é transmitir a mensagem mesmo...


Política[editar]

  • Poste uma mensagem chamativa de boas vindas, conforme seu ponto de vista:
  • Se for petista, ninguém entrará no seu blog. Agora se for de esquerda, não coloque palavras terminados em "ista" ou qualquer coisa terminado com "óbico" ou "óbo", pois assim ninguém vai entrar. Lembre-se que seus leitores vão entrar, e vão te xingar pra caralho (e com razão);
  • Se for um jornalista de direita lembre-se: apesar de sua ideologia ser também ser uma bosta, a internet toda está do seu lado. Então vai poder colocar qualquer merda que vai ter primatas pra aplaudirem.
  • Começe a postar notícias sob o seu ponto de vista:
  • Se for um coxista coloque uma chamada que desperte o medo do gulag e que ao mesmo tempo desperte o ódio que seus leitores teriam se tivessem toda sua família dizimada pelo regime comunista! Lembre-se: Já teve início um regime bolivariano que está a alguns passos do regime venezuelano que está a um passo do regime cubano que por sua vez tem como meta a instalação do regime que você odeia! Mais ainda, lembre-se de que "a meta será dobrada", SEMPRE! Durante a matéria, use e abuse de exclamações em atos governistas, pois eles serão fortes indícios da implantação de um novo sistema de governo!
  • Agora se for um petralha meus pesames, ao criar uma chamada pra suas matérias imagine todas as pessoas que poderiam deixar de passar fome nesse mundo, de quando poderia dividir com todo mundo (inclusive seu quarto), ao criar matérias de governos que ninguém gosta, tente destacar pelo menos as ações menos piores, mesmo que isso seja impossível. E lembre-se, pra cada Venezuela existe um Zimbabwe (ou não).

Veja também[editar]

Referências

  1. Os primeiros (e os atuais também) não são tão burros (como tu) pra seguirem a risca tudo que está no livro em que se baseiam. Se quiser entender melhor como funcionava, aprenda como se faz com a Folha Universal (ou com os responsáveis por ela).
  2. A extinção da exigência de diplomas pra jornalistas foi péssimo pra globo, mas essencial para garantir a existência de canais como a errei de tv, não quero falar com tv bandeirantes, dentre outras. Foi péssimo pra golobo porque esse era o diferencial da emissora: Nossos profissionais são burros mas foda-se porque eles têm diploma!
  3. Por exemplo caro leitor, se imagine como se fosse o "Gugu" e que tivesse apresentando o quadro da "banheira do gugu", e que no momento mais picante do quadro você recebesse a ordem de um bispo para por um pastor no ar naquele momento. Ai você tem que interromper o quadro, apagar a chama dos convidados, e chamar o pastor que vai pedir que todos os telespectadores que tocavam uma naquele momento, pegue um copo com água e coloque em cima do monitor ou tv de plasma. Pense na audiência, meu caro e nobre leitor, pense na audiência!

Considerações finais[editar]

Boa noite!