Junta militar brasileira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pinochet.jpg ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Desciclopédia: ame-a ou deixe-a!
Ditaduratumulo.jpg
Uma das quatro esquecidas juntas militares que já dominaram o Brasil à seis mãos de ferro.

No Brasil, como em uma caralhada de países desorganizados e com repúblicas merdas e facilmente iludidas por comunas, ditadores imprestáveis e golpes falidos, além de revoluções de mentirinha e forças ocultas operando quase sempre, não é de se espantar que vez por outra os militares fossem obrigados a fazer alguma merda pra evitar que a merda já posta fosse sobreposta com merdas cada vez maiores. E aí entram as juntas militares. Só no Brasil foram quatro juntas militares que governaram o país em momentos que constitucionalmente estava "tudo às favas", num velho ditado popularesco. Elas agiram em 1930, 1961, 1964 e 1969. Sempre em um power trio por motivos de numerologia e Cabala, eles normalmente não são bem vistos pelos historiadores e pela população em geral, não se sabe ao certo porque. Alguns dizem que por suas medidas pouco populares...

Junta Militar de 1930[editar]

A primeirona, ocorreu após a Revolução de 1930, quando Washington Luís e Júlio Prestes caíram fora após verem que tinham tomado uma bicuda durante a revolução. Como Getúlio Vargas vinha do Rio Grande do Sul pra Rio de Janeiro montado no Jumento Celestino e ia demorar demais, os Generais Menna Barreto e Tasso Fragoso e o Almirante Isaías de Noronha assumiram o poder de 24 de outubro até 3 de novembro de 1930. Um deles ae depois adoeceu e o Augusto Fragoso terminou a trinca até Entulho Vargas chegar no Hell de Janeiro, dae eles foram pro ostracismo eterno, até que foram lembrados por esse artigo e colocada até suas fotinhos aqui.

Junta Militar de 1961[editar]

Essa foi meio bichada, aconteceu logo que o Presidente das Vassouras e inimigo público nº 1 do ex-namorado André Franco Montoro deu "quit" no próprio mandato e seu "querido" vice Jango estava fazendo uma missão comunista visita à China. O presidente da câmara dos deputados Ranieri Mazzilli assumiu a presidência, mas não mandava em porra nenhuma, quem realmente mandava eram os ministro militares do Jânio: marechal Odílio Denys, com o apoio do brigadeiro-do-ar Gabriel Grün Moss e do almirante Sílvio de Azevedo Heck. Só saíram do poder depois que a resenha sobre se o Jango podia ou não ser presidente foi resolvido de uma maneira bem "BR" com a adoção de um parlamentarismo meio bobo.

Junta Militar de 1964[editar]

A menos famosa. Tão pouco famosa que nem a Wikipédia colocou quem eram as trepeças que governaram nessa e por quanto tempo. Enfim, só coloquei aqui essa seção pra ficar bonitinho mesmo e pra fazer esse artigo parecer maior do que o da Wikipédia. Se não gostou, ignore essa seção e pule pra outra.

Junta Militar de 1969[editar]

A última até o presente momento, essa juntinha surgiu por motivos mais escrotos, já que o então ditador presidente Artur da Costa e Silva estava muito doente com gripe uma trombose, e como este havia já planejado um novo projeto para uma constituição que "retornasse o país à normalidade" com seu vice, Pedro Aleixo, os gananciosos militares da linha dura não curtiram a ideia e decidiram dar um golpe dentro do golpe, colocando o Pedrinho pro xilindró e pras piadinhas infames de criança e no lugar dele colocaram Os Três Patetas. Ou melhor, os sósias brasileiros deles: General Aurélio de Lira Tavares (Ministro do Exército), Almirante Augusto Rademaker (Ministro da Marinha) e Brigadeiro Márcio de Sousa e Melo Ai Que Delícia(Ministro da Aeronáutica), que em 31 de agosto de 1969 assumiram o poder e mandaram mais dois AIs: o 13, que mandava todos os petistas para passar uma temporada no Saara, e o 14, que permitia mandar pro inferno todos os babacas que por qualquer motivo andasse por aí com um exemplar d'O Manifesto Comunista. Essas medidas foi por causa de uns leite-com-pera que gravaram o filme "O Que é Isso Companheiro?" sequestrando o embaixador dos EUA Charles Burke Elbrick. Pedro Aleixo continuava como "presidente", mas só de enfeite, e foi logo banido em 6 de outubro por querer tirar a AI-5 de circulação, e 11 dias depois foi elaborada uma nova constituição que enfiava o AI-5 dentro da mesma. Só saíram do poder no dia 30 de outubro, quando Emílio Velhus Decrépitus Nome Feio do Caraleo Médico assumiu o poder.

Ver também[editar]