Kalimantan do Norte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Kalimantan do Norte é o nome de uma vasta floresta tropical escondida no interior de Bornéu, um pedaço tão inóspito que nem a Malásia quis na época da partilha daquela ilha. Um lugar que, ao contrário da crença popular, existe de fato, só que é tão inóspito quanto o Acre, e se bobear tem até dinossauros também, só nunca foram exploradores para lá, afinal até o Acre tem estrada e Kalimantan do Norte não.

História[editar]

Crianças norte-kalimantesas recebendo um carregamento de mafagafos trazidos por um teco-teco do Acre.

Durante toda a história da humanidade, a atual região de Kalimantan do Norte jamais foi habitada ou explorada. Nem mesmo os oompa loompas ali colonizaram, tribo de pigmeus famosos por fazerem suas casas em locais similares ao Acre. Então ficou assim, um lugar que nunca ninguém foi.

Quando a Indonésia tornou-se um país independente em 1950, o novo governo do novo país recebeu de bonificação, da antiga Companhia Holandesa das Índias Orientais, uma migalhas irrisórias, ou seja, alguns territórios da então desmantelada Índias de Tuvalu Ulterior Colonial. Grandes pedaços de absolutamente nada (só mato e floresta cheia de mosquito) na ilha de Bornéu, e sem saber o que fazer com aquilo, a Indonésia deixou como sendo parte da província de Kalimantan Oriental.

Em 2012, porém, o povo de Samarinda, única cidade realmente existente de Kalimantan Oriental, realizou um referendo para separar Kalimantan do Norte de sua província, de modo que as piadinhas sobre Acre, Tuvalu e coisas inexistentes fossem delegadas para outra província, e com uma maioria unânime de 0% de um total de 0 votos, ficou decidido que Kalimantan do Norte era a mais nova província da Indonésia.

Geografia[editar]

Em Kalimantan do Norte você só encontra floresta, como se o Ultron tivesse erguido um pedaço de Roraima e levado para o outro lado do planeta e arremessado no oceano, criando a ilha de Bornéu onde se localiza essa província.

População[editar]

Segundo as estimativas de um censo realizado em 2010, Kalimantan do Norte possui uma população de meio milhão de habitantes, o que o configura como a província mais desabitada da Indonésia. Mas esse número só foi possível porque a contagem foi antes da separação, em 2012, porque se for feita agora, vão encontrar no máximo uns zero habitantes.

Transportes[editar]

Há apenas uma estrada, e de barro, que serve para ligar uma aldeia fictícia chamada Malinau à civilização em Bali através de um túnel. Não é necessário mais transporte que isso, tanto que a única cidade existente na província, Tanjung Selor, pertence na prática à Kalimantan Oriental.

Agora uma coisa que ninguém entende é a existência de um aeroporto na ilha de Tarakan, porque nenhum avião pousa ali, afinal fazer o que ali? Mas pelo menos há um passeio de pedalinho até Tawau na Malásia.