Kalimantan do Sul

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Kalimantan do Sul é o nome de uma desprezível província da Indonésia, mais uma dentre tantas que foi criada só pra encher linguiça e fazer número mesmo, porque tem nada de tão especial que precise se destacar das outras Kalimantans.

História[editar]

Na flata de estradas, cidades e terra firme, as feiras livres são feitas em canoas mesmo em Kalimantan do Sul.

Para fins didáticos para se compreender a história de Kalimantan do Sul em sua completitude, tracemos um paralelo entre as províncias da Indonésia com os estados do Brasil. Suponha-se que Java seja São Paulo, o estado mais superpopuloso e que se acha o tal, um estado que realmente acredita ser o motor do país e se auto-afirma como motor econômico e blablabla, só um bando de metidos porque tem mais população. Só que diferente de São Paulo, Java é uma ilha em formato de tripa onde não cabe tanta gente, então assim que a Indonésia tornou-se um país independente, os piores habitantes de Java foram deportados compulsoriamente para as proximidades da Puta que o Pariu, ou seja, Roraima (no paralelo que fizemos entre Indonésia e Brasil) que na realidade é a deserta e inóspita ilha de Bornéu.

Mas tal qual Roraima, Bornéu também tinha lá seus habitantes, não muitos, mas os poucos eram todos com seus hábitos aborígenes ainda intactos sem influência da civilização. No Brasil, os paulistas deportados para Roraima não criaram uma Roraima do Sul, mas na Indonésia criaram sim, e assim surgiu essa província, fruto da reunião dos piores javaneses expulsos de sua ilha natal.

Geografia[editar]

A província só possui duas cidades, a capital Banjarmasin e uma outra aldeia chamada Banjarbaru, porque de resto é só selva, pântano e praias pouco paradisíacas (prefira o Caribe ou a Polinésia).

Turismo[editar]

Acredita-se que pessoas malucas possam ter Kalimantan do Sul como destino turístico, mesmo que por lá se você for flagrado fumando maconha pega pena de morte, então é lar de pessoas que apesar de tudo, pelo menos não se deixaram abobalhar pelo uso de entorpecentes. A única coisa ali para ser visitada são praias feias e vastas paisagens de matagal.