Kasabian

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
GuardasInglaterra.jpg GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Rainha Elizabeth II.

Certamente, paraguaios, franceses e alemães odiarão este artigo!
Willliampre.jpg
Indiemo.jpg Let's see any iranian film?

Este é um artigo INDIE!

Qualquer alusão à The Strokes não é mera coincidência.

Undersk.jpg
Kiss.jpg

John Lennon deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Kasabian.


Cquote1.png Você quis dizer: Oasis Cquote2.png
Google sobre Kasabian
Cquote1.png Você quis dizer: Kassab Cquote2.png
Google sobre Kasabian
Cquote1.png Os novos Beatles!! Cquote2.png
alienado sobre Kasabian

Kasabian
Kasabian.jpg
{{{legenda}}}
Origem Algum lugar desconhecido de Leicestershire, Inglaterra...
País {{{país}}}
Período {{{período}}}
Gênero(s) Índio, Eletrônico
Gravadora(s) Sony BMG
Integrante(s) Tom Meighan, Sergio Pizzorno, Chris Edwards, Ian Matthews, Jay Mehler, e, claro, Gilberto Kassab
Ex-integrante(s) {{{exintegrantes}}}
Site oficial {{{site}}}


Kasabian é uma banda de indie rock inglesa formada por açougueiros profissionais, que de vez em quando emprestam seus serviços para o Leicester City Football Club. Especuladores da mídia afirmam que na realidade tudo é uma tentativa de imitar o Oasis, no qual só se substituem os irmãos que brigavam e quebravam coisas um do outro por facões de cortar carne de segunda e se substitui o Manchester City Football Club pelo Leicester City FC, o que também pode remeter que um sheik doido árabe comprará o Leicester no futuro, mas, vamos seguir focando no Kasabian. Na verdade o grande medo dos fans é que eles virem açougueiros canibais e um dia façam uma loucura. Ou então tentem, bem do modo indie, só para parecer que são da pesada. Os integrantes são Tom Meigo, Sérgio Livorno, Chris Edwars, Ian Matei-os e Jay Méier. O segundo sempre é ameaçado pela banda pelo fato de seu sobrenome ser Livorno, um time italiano, botando então em risco o dindin que a banda ganha para tocar uma de suas músicas no estádio do Leicester. Mas, certamente os torcedores daquele time até comemorariam o fato de não ter mais que tapar os ouvidos no início de todo jogo do time...

Se você quer ser ridículo ao extremo, contate o estilista do Kasabian.

História[editar]

Linda Kasabian, uma cereal-killer profissional de Leicestershire acabara de ser pega mais uma vez pela polícia, após realizar mais de oito mil assassinatos de bois, além de diversos furtos de cabritos e bodinhos, sendo assim procurada em diversos estados da Inglaterra, junto com sua trupe, a Família Manson, especialista em roubo de vacas e bois. Sua última tentativa teria sido roubar a Ovelha Nuvem(sim, a do comercial da Volkswagen), para até tentar mudar um pouco a rotina, mas, para isso teria que matar 6 pessoas, o que não era sua especialidade. Deu no que deu, matou, mas foi pega. Tendo que trabalhar agora em favor da polícia, ela decidiu que tomaria um rumo na vida, e, assim decide abrir um pequeno açougue, até para se livrar de todo o estoque de bois mortos e em decomposição que havia guardado. Em expansão absoluta, estava à procura de funcionários patetas que aceitassem ganhar pouco e trabalhar cortando pedaços de carne podre em bifinho perfeitinho. Surgia o açougue Kasabian, com uma plaquinha ADMITE-SE FUNCIONÁRIOS!

Se preparando para a suruba!! E não se engane: a fumaça não vem de nenhum cigarro: é gelo seco.

Paralelamente, um grupo de 4 manés estranhos fanáticos por um timeco sofriam bullyng na escola e constantemente iam para os hospitais da região. Até o ponto em que seus familiares não tinham mais dinheiro para pagar tanta radiografia, raio-X, e até reconstrução de rosto (essa porque a Unimed não cobria). Então, os 5 jovens tiveram que começar a procurar um emprego. Decidiram primeiramente por unir o útil ao agradável, formaram uma banda com o nome de Saracus, em alusão ao remédio que tomavam para melhorar dos chutes na bunda e das relações com os caras que faziam bullyng com eles, por isso Sara Cus(como não tinham dinheiro para cada um comprar sua polmadinha, dividiam o mesmo tubinho). Como ninguém gostava desse som escroto deles, decidiram arrumar outro trabalho que fosse bom para eles pelo menos poderem pagar um plano de saúde melhor que a Unimed (melhor que a Unimed é fácil achar{porque será?}, o problema é pagar...). Até o instante em que passam na frente do pequeno açougue Kasabian, e logo viram o cartaz. Rapidamente os 5 indies desesperados por dinheiro nem fazem muitas perguntas, e aceitam o emprego. Assim surgia também a idolatria por Linda Kasabian, a dona do estabelecimento.

Em um dia, quando os 4 chegaram ao trabalho um pouquinho machucados, Linda Kasabian perguntara Mas o que houve garotos?. Quando eles responderam e abriram o jogo, logo Linda se revoltara, e, decidira por tentar ajudá-los de algum modo. Rapidamente lembrara de que sua especialidade era de roubar, matar e agredir bois(WTF?), então, decidiu por um dia pendurar um boi de modo que ele ficasse em pé como um ser humano, e treinara cortes da carne com os facões do açougue com os garotos. Pouco tempo depois, houve uma chacina na escola em que os garotos estudavam(quem foram os culpados, hein?) e ninguém sabia o paradeiro dos criminosos. Após aprenderam todos os tipos de cortes como se fossem samurais, os Saracus decidiram mudar o nome da banda para Kasabian, em homenagem à gloriosa instrutura de cortes corretos de bife Linda Kasabian. Mas isso não é tudo. Eles ainda queriam tocar punheta em lugares grandes e criar o próprio álbum.

Expansão do açougue e 1ª oportunidade[editar]

Uma das gigantescas filiais da rede Kasabian de açougues.

O açougue Kasabian já havia montado uma rede própria no estado inglês de Leicestershire, e o dinheiro que vinha já era bom, mas não o suficiente para promover o grande show que os pequenos pupilos de Linda gostariam. Logo, a ideia inicial foi tentar atrair a atenção dos torcedores do Leicester City, time da região e que estava à procura de algo para tentar levar os torcedores ao estádio, e, essa era a última opção, a seguinte era levar gigolôs e putas para tentar salvar a pátria. Assim logo conseguiram tocar suas músicas no estádio do time, mas isso acabou tendo o efeito inverso: afastou mais a galera. O time já pensava em partir para as putas, mas, nada que anos de bifão e churrasco grátis aos jogadores e ao dono do time não resolvessem...Ainda sim pouquíssimos idiotas gostavam da banda. Logo, a Linda Kasabian resolveu usar o grupo em uma simples tática nas ruas: ciente de que eles afastavam a maioria das pessoas, colocava-os para tocar bem perto de açougues da concorrência. Isso rendeu a falência de todos os concorrentes dos Açougues Kasabian e rendeu mais dinheiro ao Açougue Kasabian, e o grupo iria ganhar algo por isso(ou não). Ganharam um LP de desmonstração, que seria usado mais tarde para...

2ª oportunidade[editar]

A ideia de Linda era a de chamar a atenção de criadores e desenvolvedores de jogos, que são muito fans de músicas de bandas desconhecidas e ruins, ou seja, perfeito para quem é indie! Linda Kasabian decidiu então ir si própria às sedes da Eletronic Arts, da Konami e da Rockstar Games e mostrar o trabalho da banda, com o tal do LP. Obviamente, munida de um facão, senão, não ia dar certo. Agora você descobriu como merdas como essa estão em FIFA 2004, Tony Hawk's Project 8, Pro Evolution Soccer 5 e WRC: Rally Evolved.

Mas, na verdade isso pouco adianta, uma vez que nenhum panaca compra um jogo para ouvir músicas, e, sim, para jogar. Entretanto é possível perceber porque algumas pessoas odeiam o Kasabian: pois ela traiu o movimento da linha de jogos de futebol do FIFA, já que ela virou o caldo e passou a fornecer jogos pro Pro Evolution. Porém, ao contrário do que você imagina, quem está odiando o Kasabian não são os fãs do FIFA pela mudança, mas sim os do PES por ter que aturar música indie jogando contra Cristiano Ronaldo e suas poses futebolísticas que dançam conforme a música. Só não é pior porque o PES não vinha com o São Paulo, senão seria impossível não assemelhar um ao outro..

Conhecem o 5º integrante[editar]

Como não tinham um baterista permanente (uma banda de rock sem baterista fixo é o cúmulo...), Linda tratou de resolver isso. Chamou Ian Matthews, um conhecido que tocava bateria de modo razoável, a entrar nessa merda, mas, não assim. Ele foi instruído perfeitamente por Linda para ser amigo da galera da banda, e, assim, tentar melhorar a situação deles. Não mudou muito, mas...Pelo menos segue até hoje. Pouco tempo depois decidiram largar o açougue para ficarem livres para voar pelo mundo da fama (mas eles são famosos?).

Mas, e antes de ter um baterista?[editar]

Representação prática do que acontecia com quem dava alimento aos pombos.

Antes disso, a banda não tinha um barulho de bateria igual. Geralmente chamava um amigo que era conhecido por usar o pandeiro de modo sensacional. Sim, assim, os sons oriundos da bateria na realidade não são de uma bateria em si, mas o som sofria umas alterações para ficar parecido ao menos com o som de alguém batendo na parede não que a banda não fizesse isso para improvisar. Durante os shows ao vivo que fazia (quase todos na pracinha do bairro, com média de público de 3 pessoas: um mendigo dormindo no banco, uma criança de 7 anos que teoricamente está na frente do palco, ams na verdade está procurando por moedas, e, a velhinha que alimenta pombos, que também só está na frente do palco), geralmente pegavam uma mesa, parecida com aquela qu sua professoa ou que seu chefe tem, ou até com a sua, e tentavam fazer um barulho semelhante ao que seu superior faz na sua mesa de trabalho ou escola, ao jogar alguma pasta de arquivos em sua mesa, e faz um estrondo tão grande que parece que o mundo irá cair.

Se bem que esse barulho estrondoso eles faziam para chamar a atenção de algum acéfalo e este acabar por se interessar no show da banda, mas, acabaram por usar isso como um boom(literalmente) para as músicas da banda. Mas acabou que esse estrondo afastava todo mundo (daquelas 3 pessoas, o mendigo acordava e ia para os sinais conseguir dinheiro dos motoristas, a criança se assustava, caia no chão e se machucava, assim, voltava correndo em diração da mãe, e, a velha além de não conseguir mais alimentar os pombos uma vez que esses obviamente saíram voando com o estrondo, ainda ficou inteiramente cagada, como um efeito do susto dos pombos, e ia embora odiando a banda). Mas acabou que as prefeituras municipais gostaram dessa ideia por um tempo e levavam a banda para tocar em áreas de reflorestamento para fazer esse boom e fazer do cocô dos pombos um adubo mais barato.

Perfil dos membros[editar]

Tom Meighan[editar]

Tom, se você é gay, levante a mão!!
Quem disse que não se pode bater punheta com o microfone caso seu pinto seja pequeno? E, num palco isso dese ser mais reconfortante ainda...

Tom Meighan é um vagabundo que não toca nada a não ser punheta, mas só nos vocais é mais famoso(?) que todos os demais. Vez em quando ele toca tamborim, mas, de que adianta se o Kasabian é Rock?(se bem que no Indie Rock tudo pode ser usado, até o eco de uma Igreja, vide o Arcade Fire...). Ele é resultado de uma experiência mal sucedida entre um homem(gay) e uma mulher, ambos famosos por serem os mais fofoqueiros do bairro que viviam. Criado pelo pai-mãe que tinha, aprendeu a ser tão gay quanto bem falastrão e não olhar nem para si próprio. Hoje é mais conhecido por isso do que propriamente pelas suas músicas.

Em Portugal, Tom é uma moça perfeita. Repare o estiloso bigode.

Quanto à natureza supostamente deprimente da música emo e de seus ouvintes, ele disse: "Os adolescentes são melhores do que isso. Eles tem que ser positivistas! Você foi bem educado pelos seus pais, por isso não se sente em torno de seu quarto e corte os pulsos. cresça, seu idiota!" Na realidade esse comentário foi feito com uma intenção: quando era criança, ele gostava de uma garota emo, mas ela não queria nada com ele, a não ser que ele virasse emo também. Resultado: ele tentou ser emo, mas acabou apanhando, e muito...de outros emos! Sim, pois ele era visto pelos outros emos como farsa, ainda mais porque só estava interessado na garota. Também fala de tudo e todos que aparecerem pela frente, ou seja, tome cuidado caro descílope, se você passar perto de Tom Meighan, não faça nada senão a metralhadora verbal da vingança pode entrar em operação. Pois ele te conhece mai do que seua própria mãe.

Tom também é conhecido por seu comportamento estridente em cerimônias de premiação e encontros com outras sub-celebridades, alegando que sempre foi sua intenção ser o "primeiro a chegar e o último a sair". Claro, para dar tempo de tomar umas antes e depois dos eventos. Ele foi um dentre uma série de sub-celebridades a criticar a manipulação de Simon Cowell sobre a beleza estupenda da música escocesa, a Susan Boyle, dizendo: "Vai torturá-la para o resto da vida. Ela não está preparada para isso e ela não é feita para o mundo da música. Ela está sendo manipulada. É horrível. Na realidade Tom estava com ciúmes do cafetão produtor de Susan, porque ele na época a namorava secretamente, e desconfiava que ela o traía com ele. No fim tudo acabou, ainda mais porque Susan sempre achom Tom meio glam. 90% dos fans do Kasabian o conhece.

Sergio Pizzorno = Fiuk?

Sergio Pizzorno[editar]

O italiano falsificado chegou a ser candidato à ser figurante em Passione, mas era tão falso que nem nisso passou. Nascido em 1980, seu pai sim era italiano, de Genoa, mas como era contra a Máfia, decidiu por correr para Inglatrra, de modo que fez essa criatura lerda por lá mesmo, com a 1ª inglesa que viu. Sergio tinha inicialmente a intenção de começar uma carreira no futebol. Ele diz: "Eu disse ao meu macho assessor de carreiras que eu queria ser centroavante pelo Leicester City. Quando ele disse 'Não' Eu pensei que eu estaria na faixa Rock'n' roll." Mas, como já foi dito mais de oito mil vezes, para ser recusado num time de segunda divisão que é pior que o time de peladeiros goduchos de fim de semana de sua região, tem que ser muito ruim. Talvez por isso ele seja considerado um bom guitarrista por muitos, até porque, se disserem-lhe a verdade que ele toca mal, é capaz de ele voltar ao futebol e será mais um perna-de-pau que os amantes do esporte teriam que aturar...60% doa fans do Kasabian conhece o guitarrista/vocalista/tecladista/empresário/motorista/jardineiro e puta do Kasabian.

Chris Edwards[editar]

Chris Edwards em seu estado fatal

Quase ninguém o conhece. Também, o cara pe baixista, pô! Quase inútil na banda, mais faz número. Na verdade é o único da banda que não torce pro Leicester City, mas sim pro Leeds United Football Club, ou seja, é um traidor do movimento do Leicester. Mas, como valia um dindin, tocava na terra do Leicester mesmo. Sua mãe é fotógrafa, e, costuma ir junto com a banda para tirar fotos picantes dos demais integrantes fazendo sexo com ela dos momentos mais importantes da banda. Uns 10%(ou menos...) dos fans do Kasabian o conhece.

Ian Matthews[editar]

Ian Matthews e a única coisa que sabe tocar: panela. Tambor de macumba e punheta também

Baterista, conheceu a banda graças à açougueira fatal Linda Kasabian. Além disso, há pouco há destacar sobre o guri. Alguns especulam que o cabelo grande é obra de uma macumba ou de algum ritual satânico para fazer com que a banda seja mais conhecida, mas, como se vê, não dá certo. Mas pelo jeito ele gostou da cabelada e deve ficar com ela. Será que foi porque ele acreditou quando alguma puta paga que ele usou o chamou de bonitinho? Uns 35% dos fans de Kasabian o conhece.

Jay Mehler[editar]

Jay Mehler e seu momento emo: Porque eu tenho que ser o guitarrista? PORQUE MEU DEUS!!?? PORQUEEE...???

Também guitarrista, alguns o conhecem apenas como o não inglês por completo do Kasabian. É americano. Na verdade parece que ele é um escritor de músicas provisório da banda, ou seja, é um contra-regra ou, para você, pobre, quebra-galho. Tanto é que o resto da banda nem o considera membro, ou seja, ele é que nem aquele cara que passou a tocar contrabaixo pros Rolling Stones depois que o Bill Wyman saiu, o... qual era mesmo o nome?

Bom, dele não há nada mais de interessante. Aliás, de interessante nada desse artigo é, mas...

Discografia[editar]

Kasabian(2004)[editar]

Ora, nada mais original que batizar o 1º álbum de uma banda...do que com o próprio nome da banda! Sim, como eles eram totalmente desconhecidos, havia o medo de confundirem o nome do álbum com o da banda, ou seja, se houvesse outro nome na frente do álbum, poderiam ser conhecidos, por exemplo, como Pinch Roller, uma das músicas do álbum. Como a pronúncia em países de terceiro mundoé totalmente errada, poderiam ser chamados de Pinte a Rola, ou de Pinte e Role. É... nada bom. As músicas:

  • Club Foot- Clube do Pé segundo o Google Tradutor(tradução nota 10 hein?): na verdade eles criaram a música para fazer alusão à algo no futebol, mas logo bateu a emice e a indiotice e escreveram uma música toda emificada. Mas não mudaram o título. Preguiça? De todo modo, provavelmente é a única música deles que você conhece porque tocou na abertura do PES 5 (aka Winning Eleven 9).
  • Processed Beats- A banda estava encarando uma forte enchente em São Paulo, e havia perdido uma puta que estava com eles, sendo que estava tudo pago. Não houve outro jeito, tiveram que escapar das marés e a encontrar para terminar o serviço.
Ei! Vai ficar parado ou vamos atrás da puta?
  • Reason Is Treason- A continuação da música anterior, eles estavam preocupadíssimos com o tempo em que demoraria para a achar, então, como já vinha a manhã e eu direi para você até logo, eles estavam loucos para fazer logo aquilo. A vontade foi tanta que ainda na música é possível escutar o som de oh-oh-woo
  • I.D.- Nem a música do caminhão de pamonha é tão repetitiva e tão curta. Mas, como a música é deles...
  • Orange- Como eleitores de carteirinha de Lindberg Farias e também fãs de Nova Iguaçu, não podiam esquecer da laranja. Mas, como não tem criatividade para criar uma música com laranja, deixaram só no instrumental mesmo. 30 segundos. Só para fazer número e dizer que o álbum veio com mais músicas...
  • L.S.F. (Lost Souls Forever)- Eles tinham as costas deles contra a parede. Será que era contra a parede? Nisso eles perderam as almas deles para sempre. Estava perfeito também para voltar a trabalhar no açougue, já que não tinha mais alma para poupar para ir pro céu mesmo, tava liberado a matar boi à vontade...
  • Running Battle- Todos deitados pelo chão, Tente não fazer nenhum som, Quando dois homens indo quebrar tudo, Dois homens indo quebrar tudo... Retrato de quando houve um assalto na lavanderia próxima dali. O ladrão estava com uma sacola de plástico cobrindo o rosto, o que impediu a identificação. Ele estava fortemente armado, algo que assustou à todos os integrantes da banda. O outro era o típico comparsa noob, que mais estava ali para fazer número. Após essa traumática experiência, lavam suas roupas na mão. Ao todo duas máquinas de lavar e dez calcinhas foram roubadas.
  • Test Transmission- Os reis enviarão seus cavaleiros, Verifique estes satélites de alma, Teste de transmissão, Estão me chamando de volta para casa. Confirmação de que algum dos integrantes da banda é na verdade um alienígena. Ou então isso foi o princípio de guerra que culminou com a deposição do rei Chris Marin II, que gerou outra música: Viva la Vida. Os cavaleiros foram enviados e foram 8 anos de guerra, a diferença entre o álbum de Test Transmission e Viva la Vida or Death and All His Friends(Coldgay). Como Viva la Vida retrata, Chris Martin foi deposto do cargo. Talvez Shoot the Runner também tenha alguma relação com isso, já que muitos dos soldados rivais à favor do império de Chris II costumavam correr de volta para casa. Então, os que eram à favor do Kasabian, atiravam. Isso já faria com que tudo o que foi dito anteriormente fosse desmentido. Se essa versão for confirmada, você ficará sabendo, por via do Desnotícias, o melhor canal de notícias online.
A fortíssima cavalaria imaginada pelo Kasabian em Test Transmission
  • Pinch Roller- Pinte a Rola, para os que falam errado. É só instrumental, então, nada a destacar nessa merda. Outra só para fazer número. Ou então para expor, já cientes de que algum alienado falaria errado, que eles gostam mesmo é de uma torre.
  • Cutt Off- Mastigam a espinha dorsal, um sistema solar, esses inteligentes convictos e E se você cheirar esses homens, acho melhor você correr são versos que identificam que essa música é na verdade uma homenagem aos nerds. Metade dos ouvintes de Kasabian são nerds, e metade desses nerds se comportam de modo parecido com os indies. Claro que, para segurar esses fans, a banda tinha que criar uma música como homenagem...
  • Butcher Blues- Açougueiro azul. WTF? Na verdade, é outra homenagem, na verdade uma lembrança dos áureos tempos de açougue Kasabian. O uniforme era azul. Eu apenas não posso perder o controle. Isso era uma das coisas que Linda Kasabian vivia dizendo para eles: não perca o controle da faca, senão será mais difícil partir esses pedaços de carne!!
  • Ovary Stripe- Para alguns, é o verso Eu apenas não posso perder o controle repetido de novo. Nada além de um auto-plágio. Mas, outra música para fazer número? Até eu consigo ter mais criatividade na hora de bolar um CD!
  • U Boat- 7'04 de música. os restantes, até os 10'05 são de um remix de Reason is Treason. Mas essa podia separar...Quando é para poder contar como música a mais, não conta. Por isso que quase ninguém gosta dessa merda!

Empire(2006)[editar]

O álbum que os tornou um pouquinho mais conhecidos. E põe pouquinho nisso...Vamos às músicas:

Flagra exclusivo da van retratada em Empire. Vide o estilo do motorista da banda, é realmente bem alternativo e indie.
  • Empire- Pare! Eu disse que está acontecendo de novo! Todos nós estamos desperdiçando! Todos nós estamos desperdiçando! Após desde o início da carreira seguir com a mesma van com vazamento de óleo que os fazia gastar uma boa grana, finalmente tomaram vergonha na cara e compraram uma van nova para levar a banda para todos os lugares que podiam sem ter que vender até as cuecas para pagar a troca de óleo e novas peças para a van. Decidiram escrever uma música só para isso. O nome remete ao império das ofininas mecânicas no mundo automotivo(WTF?)
O Reo do Burger King antes de o Kasabian fazer o retratado em Shoot the Runner
  • Shoot the Runner- Como dito anteriormente, foi o retrato de uma cena comum numa suposta guerra entre bandas inglesas. Quam corria de um lado para o outro levava bala. A versão mais aceita, entretanto, seguindo os versos Atirei no corredor, Atirei, atirei no corredor, Sou um Rei e ela é a minha Rainha, é a de que na verdade eles seriam os reis do Burger King, e de que a rainha fosse uma dos Master Big Hambúrgueres que lá são vendidos. Atiraram no Rei do Burger King no Dono do Burger King enquanto ele corria, com medo da pistola usada pela banda e assumiram o controle de maneira secreta, até segunda ordem. Nenhuma das duas versões é confirmada.
  • Last Trip (In Flight)- Metade da música é composta pelo super-verso que em portugaysio significa Essa sensação. Lá no alto, num avião, em uma viagem...É o enjôo. Esta é a última viagem; Somente quero te ter sozinha (ele está no voo). Ela: privada. Ele:O outro passageiro, apertado para cagar, enauqnto você vomita todo o seu enjôo no vaso sanitário.
Reprodução do retratado em Last Trip
  • Me Plus One- Você vem e me leva; Como um coelhinho branco de ontem; Poucas coisas ditas, ditas e feitas; Eu deveria ter atirado em mim na correria; Eu quero amor, amor, amor; Eu quero amor, amor, amor agora mesmo; Eu quero amor, amor, amor; Eu quero amor, amor, amor agora mesmo; Vamos lá

Esses versos retratam Me Plus One. Na realidade é uma continuação descontinuada de Shoot The Runner, no fim. Era Páscoa, e, já delirando graças ao efeito das dorgas, ele imaginava que era arrastado por um coelhinho da Páscoa para o seu inimigo, o rei Chris II. Para 'morrer com honra', ele deveria ter atirado nele mesmo naquela correria. Ele imediatamente sente falta de sua puta paga preferida e logo começa a clamar por sexo. Este foi seu último desejo. Outras versões acreditam que isso tudo foi um sonho, assim como toda a tal guerra. É...Dorgas, manolo! RIARIARIARIARIAIRIAIRIAIRIAIRIA

  • Sun Rise Light Flies- Luz solar aumento moscas. O efeito das drogas foi mais demorado do que o esperado, hein?
  • Apnoea- Com toda a experiência que têm, outra instrumental para fazer número. Pelo menos dessa vez foi só uma...
  • By My Side- Vamos lá, do meu lado. Vamos lá, de ambos os lados. Retrata realmente a tendência bissexual de alguns da banda. Ora, o que que tem de vez em quando liberar seu eu interior?. Seja do Lado Azul da Força, ou seja do Lado Rosa da Força, tamo junto e misturado!
  • Stuntman- Veja o branco dos meus olhos; Sou um homem não desenvolvido. Uma música preconceituosa com relação aos albinos. Nele, seriam só os olhos que são muito brancos. Mas, e nos albinos? Mas, que ninguém da banda é mentalmente desenvolvido, bom, disso nós sabemos.
  • Seek & Destroy- Para não passar a ser classificada como banda instrumental, decidiram colocar 3 míseros versos nessa música. Bom, pelo menos podem dizer: fizemos número mas pelo menos escrevemos algo dessa vez!!
  • British Legion- Nós vamos fazer para valer, Eu disse que nós vamos fazer para valer agora. Tom Meighan para sua mulher todo dia. A música é chama Legião Britânica porque isso ocorre com quase todos os homens britânicos. Só não são piores que os franceses...
  • The Doberman- Outros 3 míseros versos. Mas trataram de dividir iso em 5 longuíssimos minutos. O cão de alguém da banda deve ser um Doberman e decidiram homenagea-lo, na verdade, o Doberman é de alguém da banda,e, comendo um cachorro-quente que estava na mesa, evitou que um dos integrantes da banda passasse problemas com colesterol alto. Ganhou a homenagem.

West Ryder Pauper Lunatic Asylum(2009)[editar]

Ganhou o Grammy de álbum com nome mais escroto do ano. Se você gravar o nome desse CD até a hora de chagr na loja, parabéns, você provavelmente também sabe falar a palavra anticonstitucionalissimamente de modo rápido e eficaz, e, não morrerá ao ouvir que tem Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose. Músicas:

  • Underdog- Ou viralata, em português. eu sou o explorado, viva minha vida numa canção de ninar, mantenha-me exatamente neste trem, mantenha-me exatamente neste trem. Tom achou um viralata no super trem que faz a conexão Inglaterra-França. Estava dormindo e não quis sair do trem(claro, porque ele tem ar condicionado).
  • Where did all the love go?- Para onde todo o amor foi? Eu não sei, eu não sei! Aposto que você não consegue vê-lo. Sim. Em outro delírio, Sergio pensava que encontrara o amor(literalmente, o sentimento). Era uma mulher (tinha que ser...) muito bonita por sinal. Quando de repende ela começou a correr, o (no caso, a) amor sumiu de um modo que ele não sabia o porque. Será que ele assustou com sua feiúra incomensurável?
  • Swarfiga - Música número 3 do álbum. Só isso...
  • Fast Fuse- Confirma o quanto Sergio Pizzaiolo é um cara elétrico: ele confirma que nesceu de uma faísca de um fusível rápido, e por isso é um baterista tão elétrico. Nada como o espírito de um italiano falando alto...
  • Take Aim- O grupo fica tão empolgado enquanto joga GTA IV, que decidiu por optar criar uma música com o espírito de Niko Bellic. Oh mire agora! Oh mire agora! Você pode me ver no caminho agora! Oh mire agora! Oh mire agora! Tenho que tirar-nos daqui! Comprovam isso. Niko sempre tem que mirar em alguém nas missões, e, sempre tem que tirar Roman Bellic de perto...
  • Thick as Thieves- Grosseiros como ladrões. Comom bom indie, sempre tem que ter um delírio...
O super bem conservado Vlad, o tal Impala
  • West Ryder Silver Bullet
  • Vlad the Impaler- A música fala do primeiro carro de Ian Matthews, um Chevrolet Impala, a qual batizou de Vlad.
  • Ladies and Gentlemen, Roll the Dice - Fala como Ian Mattews conseguiu arrumar grana para comprar o tal carro: foi em um boteco de esquina, e, decidiu mudar a rotina dos botequeiros que só jogavam Truco. Levou sua própria mesa de cassino e os dados, que por algum motivo sempre caíam nos números que favoreciam Ian. Como os botequeitos estavam tão bêbados que nem sabiam quem eram direito, não foi muito difícil de roubar o dinheiro deles. O problema foi que como eles já tinham bebido muito, e gastado quase todo o dinheiro na bebida, Ian não conseguiu muito dinheiro para comprar um carro decente. Ficou com um Impala.
  • Secret Alphabets - Alfabeto Secreto, descreve o que Ian presenciou com os bêbados. Um alfabeto puremente deles, que, Ian só conseguiu entender quando guardou o dinheiro em um lugar seguro (ou não) e se embebedou também. As músicas do Kasabian são quase todas escritas nesse alfabeto, daí o porque da musicalidade filosofia de botequim que a banda é conhecida por ter.
  • Fire - E tudo isso terminou com um fogo. Não, o boteco não começou a pegar fogo, mas sim, tudo terminou com o fogo no rabo das mulheres ao descobrirem que Ian fazia parte de uma banda (?) de rock (?). Já imaginando um dia esse cara vai ficar rico, dá para se imaginar o que aconteceu.
  • Happiness- Música que demonstra que os Kasabian também estão na luta inútil para capturar a felicidade.

Velociraptor! (2011)[editar]

A ideia com este disco era fazer uma espécie de homenagem às eras pré-históricas; daí o nome e a capa que mostra quatro homens das cavernas gritando. Tracklist:

  • Let's Roll Just Like We Used To - Nós tínhamos tudo, a ascensão e queda. Uma homenagem a algumas das bandas que os influenciaram, que um dia já estiveram no topo das paradas, mas hoje ninguém mais escuta (ou, dentro do tema geral do disco, "dinossauros do rock").
  • Days Are Forgotten - Refere-se a uma ocasião em que Tom Meiguinho não pagou as contas de luz, gás e água porque esqueceu o dia do vencimento.
  • Goodbye Kiss - "Beijo de despedida". Sérgio Pizzaiolo havia batido o recorde de namoro mais rápido do mundo, como se pode ver aqui: Condenados desde o início, nos conhecemos com um beijo de despedida.
  • La Fée Verte - "A feia verde". Uma puta encontrada pela banda em um dos becos de Leicester que era tão azeda, mas tão azeda, que tinha a pele verde, parecia até... isso mesmo, um dinossauro.
  • Velociraptor! - Uma homenagem a este dinossauro FDP, responsável por uma das cenas mais tensas do Jurassic Park, que na época era o filme preferido de Sérgio Pizzaiolo: Velociraptor! Ele vai te achar, vai te matar, vai te comer!
  • Acid Turkish Bath (Shelter from the Storm) - "Banheira turca de ácido", uma referência à fase "The Dead Pool" do Mortal Kombat II. É uma música metida a besta de mais de 6 minutos (redundância?).
  • I Hear Voices - "Eu ouço vozes". Porque um disco indie não é indie se não tiver uma música com título que indique esquizofrenia.
  • Re-Wired - Acerte-me! Mais forte! Estou sendo religado! Vou ligar a chave que lhe eletriza. Continuação do tema apresentado em "Fast Fuse" do disco anterior, Sergio encontra uma garota que sente os mesmos impulsos elétricos e eletrizantes que ele. E, a julgar pelo trecho citado, rola também um pouco de sadomasoquismo no meio.
  • Man of Simple Pleasures - Sou um homem, um homem de prazeres simples. Tenho tudo o que preciso, então dê-me doses de whisky. Deveras auto-explicativa.
  • Switchblade Smiles - Uma música tensa, sobre gangues de rua que costumam sorrir sarcasticamente cada vez que puxam seus canivetes dos bolsos para assaltar e/ou agredir (no melhor estilo Laranja Mecânica) pobres desavisados. Como Tom Meiguinho canta no refrão: A violência está vindo, está vindo, está vindo.
  • Neon Noon - "Neon ao meio-dia", uma referência a um puteiro com letreiros de neon que, ao invés de fechar no amanhecer do dia, funcionava 24 horas. E os letreiros ficavam ligados o tempo todo, mesmo durante o meio-dia, quando pouca gente prestasse atenção a não ser algum(ns) indie(s) maluco(s). E o resto da história nem é preciso contar.

48:13 (2014)[editar]

O título desse novo disco é uma referência tripla: ao tempo, em horas e minutos, que ele levou para ser gravado; ao tempo, em minutos e segundos, que ele leva para ser ouvido; e ao tempo, em segundos e centésimos, que leva até você vendê-lo ou jogá-lo fora.

  • (Shiva) - Faixa de introdução, feita em um templo hindu perto do estúdio. Na realidade só serve para encher linguiça.
  • Bumblebee - Homenagem ao Autobot favorito deles.
  • Stevie - Uma tentativa da banda de refazer "Hey Joe", do Jimi Hendrix, mas com um moleque alienado que só vive vendo TV e na Internet no lugar de um sujeito que foi corneado, porque nerds sem namoradas se identificam melhor com a primeira situação do que com a segunda.
  • (Mortis) - Outra música que só serve para encher linguiça.
  • Doomsday - Os mortos nunca estarão vivos mas a morte sempre estará. Fala da fugacidade da vida. Ou de um apocalipse zumbi. O que fizer mais sentido.
  • Treat - Revisitando I.D. do primeiro disco, é uma música enjoada e repetitiva, que gruda na cabeça e não quer mais sair. O pior é que é a música mais longa do disco, passando de 6 agonizantes minutos.
  • Glass - Uma música sobre vidro e suas diversas aplicações: janelas de carros, portas de bancos, lembrancinhas inúteis... Mas principalmente como o material serve para ser quebrado.
  • Explodes - Vai seguindo e seguindo até minha cabeça explodir. Eles estavam tentando adivinhar o que o ouvinte sentiria com essa música. A julgar pelo resultado final, é seguro dizer que conseguiram.
  • (Levitation) - Mais uma encheção de linguiça, e de saco. A diferença é que nessa eles cantam umas coisas incompreensíveis, tipo "om namara Shiva" (peraí, então isso não deveria tá lá na primeira faixa?) e "Allah'u akbar".
  • Clouds - Como todo disco indie tem que ter uma dessas, é uma música sobre um tema sério (consumismo) com um título que não tem nada a ver. Veja um exemplo: Andando em um shopping center em uma aventura muito estranha, tiro meu chapeu para o caixa número 4; folheando as revistas, rastejando em nossas calças baggy, olhando a pilha de todas as coisas que pegamos, enquanto mil olhos observam e não damos a mínima.
  • Eez-eh - Também conhecida como "is, é", funciona como um curso rápido de aprendizado de inglês.
  • Bow - Fala sobre a competição de arco e flecha nas Olimpíadas.
  • S.P.S. - Significa "Serviço de Proteção aos Surdos", pois a banda deduziu que a essa altura era assim que os ouvintes já teriam ficado. A letra no encarte do disco vem com um número de telefone para que os acometidos possam ser atendidos pelo S.P.S.

Outros indies[editar]