Kashima Antlers

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Kashima Antlers
Escudo do Kashima Antlers.png
Brasão
Hino " 、鹿島フラメンゴに是非!"
Nome Oficial Clube de Regatas do Flamengo
Origem Bandeira do Japão Japão - Kashima
Apelidos Flamengo
Torcedores Rubro-negros otakus
Torcidas Zico é o melhor
Fatos Inúteis
Mascote Veado
Torcedor Ilustre Clodovil
Estádio Kashima Soccer Stadium
Capacidade 22222
Sede Ibaraki; Rua Captain Tsubasa, S/N
Presidente Alberto Fujimori
Coisas do Time
Treinador Osvaldo de Oliveira, conhecido como Viadão
Pior Jogador Nuvola apps core.png Zico
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Zico, Toninho Cereja, Mozer
Patrocinador Lixo
Time
Material Esportivo igual o Flamengo
Liga J-League
Divisão 1
Títulos Série A
Ranking Nacional 9000°
Uniformes



Kashima Antlers é um time de má fama do Japão, reconhecidamente derrotado, mas por outro lado o queridinho da impressa japonesa e por isso é retratado como um dos melhores times do país, embora nunca tenha sido campeão de nada fora do Japão. É todavia o maior vencedor da J-League, sendo o campeão das edições de 1996, 1998, 2000, 2001, 2007, 2008 e 2009, todos roubados, e se acha o maioral só por roubar títulos de grande porte.

O time foi baseado no Flamengo, um time igualmente desprezível do Brasil, tanto que seu uniforme deveria ser igual ao do menguito, mas aí colocaram um azul marinho no lugar do preto para não ficar tão descarado. A NHK domina o time, assim como a Rede Globo trata o Flamengo como se fosse um escravo.

O Kashima Antlers é o maior freguês do Gamba Osaka, um timinho de gambás que joga igual o Boca de Fumo, só dando porrada. Seu mascote é um veado chamado Tikal Sikal.

História[editar]

Fundação[editar]

Criado em 1945 pelo imperador Hirohito em pessoa, a ideia era aprisionar todas as bixinhas do Japão (lá conhecidos como shotacons traps) numa agremiação esportiva de massagem tailandesa, e obviamente o distintivo do clube exibiria um enorme viadão inconfundível. O presidente norte-americano Harry S. Truman, um reconhecido opressor homofóbico, não gostou nada da ideia, e mandou jogar bombas atômicas no Japão para encerrar tanta viadagem, estagnando a cultura do hentai, da viadagem e do futebol no país, que nunca pode se profissionalizar adequadamente.

Profissionalização[editar]

Em 1993 o Zico inventa no Japão o futebol profissional, provando que até mesmo otakus e outros seres desprovidos de massa encefálica são capacitados a jogar futebol, um esporte inclusivo. O grande ídolo brasileiro no Japão jogou as últimas partidas de sua vida pelo Kashima Antlers, mas o time era tão ruim que nem assim conseguiu ser campeão nos primeiros anos, amargando derrotas nas edições de 1993, 1994 e 1995, sendo campeão só em 1996 com Zico já caquético, mas ainda assim muito melhor que qualquer japa.

Com a aposentadoria do Zico, o Kashima Antlers adotou, de modo vanguardista, a famigerada prática de contratar jogadores brasileiros semi-aposentados-em-atividade a preços abusivos, uma prática que nunca traria realmente títulos ao clube, mas sim marketing, exatamente como Zico ensinou aos japoneses, prática esta que posteriormente seria imitada por todos times não só do Japão, mas da Ásia inteira, inclusive da Arábia e do Uzbequistão.

Um time brasileiro no Japão[editar]

A partir de 2000 Zico assumiria a diretoria do clube de forma vitalícia, o que significava que ele assumia uma postura de apadrinhar jogadores e técnicos fracassados no Brasil, resgatando-os do esquecimento e trazendo-os para o Japão onde seria fácil reerguer a carreira, assim técnicos sem prestígio algum, tipo Toninho Cerezo, ganhavam espaço e até mesmo títulos no Kashima Antlers. Desde então o time é obrigado a ter brasileiros jogando no clube.

Mundial da FIFA de 2016[editar]

Em 2016, numa tentativa inédita de imitar o Corinthians, o Kashima Antlers buscou ser campeão mundial sem ter sido antes campeão asiático, algo que sempre apenas viu os outros sendo campeão, tipo o Flamengo na América do Sul. O plano parecia bem sucedido, precisou vencer alguns times semi-amadores no caminho, equiparáveis às merdas que o clube é acostumado a enfrentar na J-League, superando Auckland City, Mamelodi Sundowns e Atlético Nacional, até fazer jogo duro contra Real Madrid na final, mas como a vida real não é anime, ninguém virou super-sayajin pra salvar esse clube da derrota previsível.

Torcida[editar]

Os torcedores são emos disfarçados de macho e o veado no Japão, significa Viadagem ou Virilidade (alguém sabe o que é isso?). O veado usa uma camisa rosa.